Sobre a globalização

A GLOBALIZAÇÃO
Demétrio Costa de Melo
Professor de Geografia
    A globalização é um processo, que decorre de um longo período histórico, que em nossa contemporaneidade é confundida com a mundialização do capitalismo.
   Na era das grandes navegações, dos séculos XV ao XVI, interligando o Velho, o Novo e o Novíssimo Mundo, tornaram a lógica mercantil da época na primeira fase da globalização: as nações europeias como metrópoles e as colônias mercados fornecedores-consumidores.
   Com o desenvolvimento das atividades industriais, da ampliação dos impérios europeus dos séculos XVIII ao XIX subjugaram a América Latina, África e Ásia, meros fornecedores de bens manufaturados. A Inglaterra era a fábrica do mundo.
   Mas a globalização como a percebemos atualmente só veio a existir na segunda metade do século XX, quando as tensões da Guerra Fria deram lugar as tensões econômicas. Não que os conflitos militares tenham tido retrocesso, pelo contrário, o mercado mundial de armas movimenta bilhões de dólares, existem várias guerras civis em pleno curso atualmente, e o limiar entre as nações nunca estiveram tão desestabilizadas.
   O governo estadunidense vem construindo um muro para impedir, ou ao menos diminuir, a entrada “incomoda” de mexicanos em seu território, visto que o NAFTA não livrou o México da miséria. Na União Europeia as medidas legais contra os imigrantes ilegais estão se estreitando, ao ponto de o governo da Espanha pagar indenizações aos trabalhadores que resolverem voltar para seus países de origem, digamos que de forma "voluntária".
   Com a globalização muitos acreditavam que as fronteiras aos poucos perderiam importância geopolítica, mas não é isso que temos visto. Venezuela e Equador se envolveram em uma “luta diplomática” quando tropas equatorianas invadiram o país vizinho para combater os narcotraficantes, ambos ameaçaram retirar seus embaixadores.
   Em virtude desses eventos a Venezuela vem realizando compras bilinonárias em armamentos russos e criou um programa nuclear, segundo o discurso oficial, para fins pacíficos de gerar energia elétrica.
 A cultura local perde identidade com a mundialização dos costumes ocidentais. A música é um exemplo, em todos os lugares do globo as bandas de “rock” tem os mesmos estilos, as roupas, os cabelos, a maquiagem, as letras... tudo parece ser a mesma coisa, atendem a lógica de mercado de massa.
   Na mídia televisiva as empresas oferecem produtos semelhantes, com a promessa de sucesso e ascensão social. Valoriza-se mais o produto do que o conteúdo do consumidor, ou seja, reduz-se a importância do “indivíduo-cidadão” no “ser-consumidor”.
   Também podemos identificar a mundialização dos problemas: aumento da pobreza, persistência da fome, aquecimento global, desemprego, tráfico de drogas, armas e pessoas, crise econômica sistêmica, recrudescimento da economia mundial...
   Em suma a globalização é um processo complexo, cujas forças se alicerçam na cultura consumista das sociedades ocidental, e claro das culturas que se ocidentalizaram (cito aqui o Japão, a Coreia do Sul, Cingapura). É um movimento sócio-historico-cultural sem precedentes e que caminha para um comportamento de consumo destrutivo, que nos levará à insustentabilidade ambiental e social.

169 comentários:

  1. Boa noite
    Como ninguém postou nada até agora, escrevo o que você está lendo, primeiro para saber se está adicionando os post's, segundo para saber o teu nível de concentração e tempo dedicado em ler esse recado. Dura em torno de 23 segundos. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aluna: Jackcyane Vitória M. M. Aragão n°: 17 Série:2°G tarde

      Em 1929 ocorreu uma grande crise de superprodução, na qual os Estados Unidos passaram por um período conturbador, entretanto não foram os únicos, o Brasil, que na época era um grande exportador de café, também sofreu as consequências da crise. Milhares de sacas eram jogadas ao mar, sem contar com as que eram compradas pelo próprio governo, isto para ver se a ofertava aumentava, porém nada se resolveu com isso. De 1939-1945 o mundo inteiro estava focado na segunda guerra mundial, nosso país, com a “ajuda” de Vargas, conseguiu grandes conquistas industriais nesta mesma época. O Getúlio era um excelente negociador e em plena batalha conseguia fundos para “ativar” as indústrias brasileiras. Desde esse momento nossa nação já estava visando, mesmo que de forma atrasada, a industrialização.

      Em 1991, influenciados pela ALALC (associação latino-americana de livre comércio) e “indiretamente” pela União Europeia (UE), foi criado o Mercado Comum do Sul ou MERCOSUL, inicialmente com quatro integrantes: Brasil- Argentina- Paraguai – Uruguai, hoje com as associações da Bolívia- Chile- Colômbia- Equador e Peru e o México como observador. Foi produzido com a intenção de introduzir um mercado comum entre os membros, nele são praticadas tarifas de importação e exportação comuns, a livre circulação de mercadorias, capitais e serviços. Contudo, um dos objetivos do tratado e propiciar além dos aspectos mostrados, a livre circulação de pessoas, o que é um fator preocupante, pois o mesmo já vem enfrentando sérios problemas com relação a estrangeiros, que é o caso dos haitianos e bolivianos, por consequência da tragédia(terremoto) e situação social e financeira dos respectivos lugares, mas também de americanos e europeus no geral.

      Nosso país não tem condições de receber mais estrangeiros, principalmente os que vem em busca de trabalho, visto que, eles só estão vindo devido à ascensão econômica de nossa nação, e pela falta de boa educação da mesma, sim porque se o Brasil desse o devido valor a educação não precisaríamos de mão de obra imigrante, logo em vez dele está dando salários altíssimos às pessoas de fora, ele deveria gastar com nós, brasileiros, que “suamos” a camisa para ele estar como a sétima economia hoje. Outro aspecto ruim, de blocos econômicos no geral é a dependência, se um entrar em crise os demais membros provavelmente entrarão.

      Entretanto o bloco trouxe benefícios para o país, no tempo de 2002-2011 ele conseguiu um superávit intrazona de U$ 36,856. Também está liderando a capitação de investimentos diretos, que buscam maior continuidade na política. Porém o bloco, apesar de todas as reuniões é desprovido de coordenação, os seus membros ao longo dos anos só procuraram obter a rentabilidade própria e não a do “conjunto” em si, o que dificulta muito.

      Para o Brasil está tudo certo, no futuro se os outros países não mudarem as estratégias, provavelmente, todos os focos econômicos estarão aqui, ou seja, nosso lugar tem grandes chances de continuar se ascendendo da mesma forma, se não melhor.

      Excluir
    2. A Globalização possibilitou a maior integração e relacionamento entre os países, e esse relacionamento melhorou a participação das nações no mercado externo internacional, aumentando assim a economia para aquelas que entraram no processo da globalização.Nas últimas décadas o comércio exterior brasileiro modificou-se muito. Até por volta de 1960, o país era um tradicional exportador de produtos primários. Hoje nossa pauta de exportação diversificou-se bastante, vendem-se ao exterior cada vez mais produtos industrializados e semimanufaturados e até aviões. O quadro das importações também se alterou. No passado eram constituídas quase exclusivamente de bens manufaturados. Hoje mais de 40% são de matérias-primas, especialmente combustíveis e minerais, etc.
      O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é uma associação entre Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai , criada em 1991, com o objetivo de estabelecer mercados supranacionais, em que as fronteiras alfandegárias são reduzidas ou eliminadas. Esse bloco é muito importante para compreender o Brasil no século XXI.No ano de 1995, foi instalada a zona de livre comércio entre os países membros. A partir deste ano, cerca de 90% das mercadorias produzidas nos países membros podem ser comercializadas sem tarifas comerciais. Alguns produtos não entraram neste acordo e possuem tarifação especial por serem considerados estratégicos ou por aguardarem legislação comercial específica.Em julho de 1999, um importante passo foi dado no sentido de integração econômica entre os países membros. Estabelece-se um plano de uniformização de taxas de juros, índice de déficit e taxas de inflação. Futuramente, há planos para a adoção de uma moeda única, a exemplo do fez o Mercado Comum Europeu.Atualmente, os países do Mercosul juntos concentram uma população estimada em 311 milhões de habitantes e um PIB (Produto Interno Bruto) de aproximadamente 2 trilhões de dólares.
      As duas maiores economias do Mercosul enfrentam algumas dificuldades nas relações comerciais. A Argentina está impondo algumas barreiras no setor automobilístico e da linha branca ( geladeiras, micro-ondas, fogões ), pois a livre entrada dos produtos brasileiros está dificultando o crescimento destes setores na Argentina.Na área agrícola também ocorrem dificuldades de integração, pois os argentinos alegam que o governo brasileiro oferece subsídios aos produtores de açúcar. Desta forma, o produto chegaria ao mercado argentino a um preço muito competitivo, prejudicando o produtor e o comércio argentino.Em 1999, o Brasil recorreu à OMC ( Organização Mundial do Comércio ), pois a Argentina estabeleceu barreiras aos tecidos de algodão e lã produzidos no Brasil. No mesmo ano, a Argentina começa a exigir selo de qualidade nos calçados vindos do Brasil. Esta medida visava prejudicar a entrada de calçados brasileiros no mercado argentino.
      Estas dificuldades estão sendo discutidas e os governos estão caminhando e negociando no sentido de superar barreiras e fazer com que o bloco econômico funcione plenamente.

      ANA CLARA FERNANDES
      2 ANO A
      NÚMERO: 02

      Excluir
    3. O crescente processo de globalização tem despertado o interesse dos países na formação de blocos econômicos para o fortalecimento de suas economias e, assim, verem atendidos os anseios da população interna num processo economicamente sustentável, que maximize as riquezas e reduza as desigualdades sociais dos povos que formam as comunidades de cada nação.
      O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é a união composta por quatro países membros: Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil e também um país em processo de adesão, a Venezuela. Esse acordo tem como objetivo o desenvolvimento de seus membros e isto não se restringe apenas ao crescimento econômico, sendo ele apenas uma das faces do desenvolvimento, que é também social no sentido de reduzir a desigualdade e injustiça na sociedade e na própria política, gerando um espaço de estabilidade e de fortalecimento das relações democráticas. Os problemas intrabloco acabam acontecendo por conta das assimetrias econômicas e de desenvolvimento. Para que se tenha uma ideia, o comércio entre Brasil e Argentina, as duas maiores economias do bloco é cerca de 15 vezes maior que o comércio entre Paraguai e Uruguai, as economias mais fracas. Além disso, o valor agregado das mercadorias exportadas por Brasil e Argentina é maior, auxiliando, assim, na geração de crescentes superávits em favor desses países.
      Dando destaque ao lado brasileiro, algumas políticas são realizadas com a finalidade de reduzir essas disparidades,quanto a ascensão do país no bloco, tais como: investimentos em outros países do próprio bloco e empréstimos e/ou financiamentos de bancos de desenvolvimento (BNDES) a atividades produtivas nos países menos favorecidos. Isso pode parecer, à primeira vista, um benefício de mão-única, mas na verdade rende frutos como: fornecimento de equipamentos e matérias-primas para equipar o novo parque produtivo; geração de renda nos países, o que estimulará a demanda por produtos brasileiros; possibilidade da venda de novos bens compatíveis com o novo padrão de produção no Uruguai e no Paraguai, entre outros.
      O papel do Brasil no MERCOSUL é, portanto, cada vez mais integrador. Por isso, é incontestável sua posição de líder, em função de suas características econômicas, populacionais e geográficas. É importante perceber que essa posição aumenta a responsabilidade do país na condução e na sobrevivência do MERCOSUL. O Brasil, a partir do MERCOSUL, demarca definitivamente a América do Sul como sua área de influência político-econômica. Reforçando , ainda, a posição a favor do multilateralismo para fazer frente à posição norte-americana e à tentativa de implementação da ALCA.


      Aluna: Raiane Barbosa de Araújo Batista
      Série: 2º ano B - manhã
      Nº : ( não lembro! )

      Excluir
    4. O processo de industrialização em diversos países do mundo foi bastante tardio, inclusive no Brasil que é um país subdesenvolvido, enquanto os países desenvolvidos exportavam tecnologias, armamentos e produtos avançados, ainda exportávamos soja, milho e café. A globalização só veio a tona com a Guerra Fria, onde realmente começou as tensões econômicas entre Estados Unidos e União Soviética, não só a corrida armamentista, mas também espacial, que movimentava muito dinheiro. Ela tende a criar uma maior integração cultural, política, social e econômica entre os países, onde é necessário existir relações entre os países, para que os avanços possam continuar.
      O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é a união aduaneira composta por quatro países-membros - Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil - e um país em processo de adesão, a Venezuela, cujos objetivos são bastante ambiciosos, abrangendo áreas relacionadas não somente à economia, mas também à cultura, educação, deslocamentos populacionais, trabalhista, entre outros.O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente , a acesso aos recursos financeiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos, também inclui a à cultura, educação, deslocamentos populacionais, trabalhista entre outras . Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento limitado à área de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial. Para nos inserimos no mundo comercial abrimos nosso mercado, porém não sabemos se foi uma boa alternativa, pois com a vinda de empresas internacionais a produção "nacional" cai bastante tendo como unica solução aumento dos impostos sobre elas, não sendo muito eficiente, as vantagens oferecidas por elas são superiores a nossas. Enquanto a industrialização brasileira restringiu-se a substituir importações e a faze-lo com forte apoio, em muitos casos, do capital estrangeiro, os instrumentos de que o Brasil lançou mão para promover seu desenvolvimento industrial não sofreu contestação internacional. Deparamo-nos, portanto, com um quadro de crescentes dificuldades internacionais, que decorre da decisão dos países desenvolvidos de proteger não só suas manufaturas tradicionais, as sunset industries, mas, em especial, suas sunrise industries em setores de ponta. o Brasil dificilmente poderá excluir de sua estratégia outros acordos de integração ou se satisfazer com o Mercosul como plataforma para a sua inserção internacional. A concentração inicial de esforços na constituição do Mercosul como mercado comum já nos atrasou na exploração de outras opções, limitando de forma inconveniente nossa agenda sul-americana.

      Aluna : Vanessa Fábia Nascimento de Araujo N° 49
      Turma : 2 D M

      Excluir
    5. O processo de globalização facilitou de modo geral, para todos os países que o adotaram, pois ela é um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural, política que teria sido impulsionada, pelo barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI.

      Isso tem sido causa da necessidade do Brasil de manter-se no MERCOSUL, pois ele é um comerciante global, com interesses muito diversificados e natural preferência por um sistema multilateral de comércio. O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente, a acesso aos recursos financeiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos. Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento limitado à área de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial. De qualquer modo, a integração regional não deve se circunscrever ao MERCOSUL, mas incluir todos os nossos vizinhos da América do Sul, como previsto na iniciativa brasileira de constituição de uma Área de Livre Comércio Sul Americana — ALCSA.

      O MERCOSUL como uma zona de livre comércio em seu estágio final de conformação, pode ser visto como fator mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros. Contudo, a conversão do MERCOSUL em união aduaneira deverá ser conduzida com cuidado, a fim de evitar que sua tarifa externa comum se transforme em restrição indevida da capacidade do Brasil de formular e executar políticas comerciais e industriais requeridas por seus objetivos de desenvolvimento.

      E por isso o BRASIL tem mostrado uma grande necessidade econômica em permanecer no mercado comum do sul (MERCOSUL), que conseqüentemente ira mudar o estado da economia do país.

      Aluno: Adalberto Chrystian M. M. Avelar, N° 1
      Turma: 2ºano D, Turno: Manhã

      Excluir
    6. A Globalização é um processo econômico e social que estabelece uma integração entre os países e as pessoas do mundo todo. Através deste processo, as pessoas, os governos e as empresas trocam idéias, realizam transações financeiras e comerciais e espalham aspectos culturais pelos quatro cantos do planeta.

      Muitos historiadores afirmam que este processo teve início nos séculos XV e XVI com as Grandes Navegações e Descobertas Marítimas. Neste contexto histórico, o homem europeu entrou em contato com povos de outros continentes, estabelecendo relações comerciais e culturais. Porém, a globalização efetivou-se no final do século XX, logo após a queda do socialismo no leste europeu e na União Soviética. O neoliberalismo, que ganhou força na década de 1970, impulsionou o processo de globalização econômica.

      A globalização extrapola as relações comerciais e financeiras. As pessoas estão cada vez mais descobrindo na Internet uma maneira rápida e eficiente de entrar em contato com pessoas de outros países ou, até mesmo, de conhecer aspectos culturais e sociais de várias partes do planeta. Junto com a televisão, a rede mundial de computadores quebra barreiras e vai, cada vez mais, ligando as pessoas e espalhando as idéias, formando assim uma grande Aldeia Global. Saber ler, falar e entender a língua inglesa torna-se fundamental dentro deste contexto, pois é o idioma universal e o instrumento pelo qual as pessoas podem se comunicar.

      Dentro deste processo econômico, muitos países se juntaram e formaram blocos econômicos, cujo objetivo principal é aumentar as relações comerciais entre os membros. Neste contexto, surgiram a União Européia, o Mercosul, a Comecom, o NAFTA, o Pacto Andino e a Apec. Estes blocos se fortalecem cada vez mais e já se relacionam entre si. Desta forma, cada país, ao fazer parte de um bloco econômico, consegue mais força nas relações comerciais internacionais.

      Maria Vitória S. Soares - 2º ano C Nº 33 M

      Excluir
    7. O processo de globalização beneficiou todos os países que a adotaram,pois é um processo de aprofundamento economico, politica, social que foi impulsionada, pelos meios de transporte de baixo custo e a maior comunicação entre os países.

      Devido a isso à isso a necessidade do Brasil de se manter no MERCOSUL, pois possui interesses diversificados. O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente, a acesso aos recursos financeiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos. Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento limitado à área de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial. Contudo, na conversão do MERCOSUL em união aduaneira deverá ser conduzida com cuidado, para evitar que a tarifa externa comum se transforme em restrição indevida da capacidade do Brasil em atingir seus objetivos de desenvolvimento.

      A permanência do Brasil no MERCOSUL é importante, pois sua interação com seu mercado não só com os países aliados mas com todo o mundo é grande, o que faz como disse anteriormente, crescer a economia e o desenvolvimento político-social.

      Aluno: Gabriel Jorge de Lima nº 16
      2 ano B, manha.

      Excluir
    8. Globalização é um dos processos ao qual é impulsionado pelo barateamento dos meios de transporte,comunicação e se aprofunda em ecomimia,cultura,politica...Afeta todas as áreas da sociedade,
      fenômeno gerado pela necessidade de área livre comercial onde é possível sua expansão e transição financeira,Tal expansão tem como consequência aumento na concorrência.
      A globalização vem permitindo o acesso instantâneo a tecnologias,novos medicamentos,equipamentos médicos,aumento na produção de alimentos,barateamento nos custos,entre outros,no entanto a qualidade de vida ainda é desigual,a um aumento de risco nas transições financeiras,alguns estados perdem parte de sua soberania,poluição global,países desenvolvidos e subdesenvolvidos,os países mais fracos se equipam nos mais fortes muitas vezes não buscam seu meu de produção em novas tecnologia simplesmente buscam de fora .
      Aluna:Gabrielly Paula Serrão
      N°-13
      2° ano C

      Excluir
    9. Vivianny Souza Abrantes
      2º ano B
      Nº 47

      A globalização é um processo constante que influencia positivamente através do compartilhamento de mercados, pessoas e culturas. Apesar de seus aspectos favoráveis, também aumenta a desigualdade social, dentre outros fatores problemáticos.


      Com a globalização, aumenta a concorrência dos mercados. Nesta batalha, os vencedores são aqueles que investem mais amplamente em educação e em tecnologia consequentemente. Algumas economias mais fracas e até mesmo as mais fortes necessitam de algum apoio econômico e político, daí surgem os blocos econômicos como União Europeia e MERCOSUL, onde os países membros buscam se inserir na economia mundial.

      Embora ainda no caso do MERCOSUL esse bloco não faça tanta diferença na vida dos habitantes dos países membros, através desse bloco as trocas comerciais tem sido intensas apesar de não ocorrerem no âmbito cultural. Espera-se que através desse bloco, os países membros possam ter um pouco mais de influência nos outros blocos e no cenário mundial geral.

      Excluir
  2. Aluno: Willard Ruben de Souza Meira
    Série: 2°ano- c n°: 49

    O Brasil como país membro do MERCOSUL é o que mais se destaca por sua economia robusta, e pela sua capacidade de interagir com países que fazem fronteira com ele, por esse motivo facilita e de certa maneira força a relação com os mesmos. Por fazer contato com outros blocos da Europa ou mesmo da Ásia, acaba mostrando certa experiência de negociação política e econômica.
    Com a liderança do bloco o Brasil tem a função de influenciar positivamente os outros países membros, com relação aos aspectos de globalização, ou seja, desenvolvimento de novas tecnologias e desenvolvimento social. Porem a realidade atual mostra que os investimentos brasileiros não são voltados para esses fins.
    A interação comercial e política entre os membros do MERCOSUL é uma forma de união e aproximação entre as nações, também uma vantagem econômica por meio da diminuição de tarifas nas relações comerciais entre si. Essas vantagens que são dadas entre os membros do bloco levam a promoção interna e consequentemente ao desenvolvimento econômico.

    ResponderExcluir
  3. A partir da década de 1960, o Brasil que antes exportava produtos primários, devido à industrialização passa a exportar produtos industrializados e semimanufaturados que possuem maior valor no mercado global. Com isso o país passou a ampliar cada vez mais sua participação no mercado internacional e emergiu economicamente, ocupando hoje o sétimo lugar entre os países que possuem as maiores economias do mundo.
    Tendo em vista esse crescimento econômico brasileiro e também tendo como modelo uns dos principais blocos econômicos do planeta a União Europeia (UE), em 1991 foi criado o Mercado Comum do sul (MERCOSUL), que tem como membros plenos o Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai e como membros associados o Chile e Bolívia. O bloco traz grandes benefícios para o Brasil por facilitar a circulação dos produtos sem cobranças de taxas, por fortalecer as relações comerciais entre o bloco (o Brasil hoje é o principal exportador e importador da Argentina) e como vem obtendo bons resultados, desperta cada vez mais os interesses em investimento e apoio estrangeiro.
    Apesar disso, Há uma desvantagem: a estabilidade econômica de um dos membros depende da situação de todos os outros, ou seja, se um dos países entrar em crise, provavelmente os outros também entraram, já que há uma forte ligação comercial entre eles. Mas a participação do Brasil ainda traz mais vantagens do que desvantagem e sua permanência ira assegurar maior desenvolvimento e ainda mais “poder” econômico.

    MARIA CLARA V. CAMPELO - N°26
    2°ANO G

    ResponderExcluir
  4. Alguns dos aspectos considerados positivos são mais facilmente identificáveis e de menor aceitação. De modo geral, supõe-se que há uma maior oferta de capitais disponíveis aos países emergentes, o acesso desimpedido de seus governos e empresas aos recursos de uma poupança virtualmente mundial e os baixos custos de informações e de transações prevalecentes, devem contribuir para se obter uma maior disponibilidade de poupança, ou seja, uma condição para a elevação da taxa de crescimento econômico.
    Sendo alguns dos aspectos negativos, Podemos citar, A Crise Econômica,como a que aconteceu em 2008 nos Estados Unidos, gerando desemprego, falta de créditos nos mercados,queda abrupta em bolsas de valores, falência de empresas, diminuição de investimentos e muita desconfiança. Quando os Estados Unidos colocam no mercado uma grande quantidade de dólar, por exemplo, grande parcela deste volume acaba em países emergentes, valorizando a moeda local. Este fato acaba favorecendo as importações e desfavorecendo as exportações das empresas destes países emergentes.
    O Brasil, por exemplo, tem sofrido com a alta valorização do Real nos últimos anos, desde que os bancos centrais dos Estados Unidos e da Europa despejaram no mercado elevadíssimos volumes de moedas, gerando assim uma facilidade de especulações financeiras, causando problemas para as finanças, principalmente dos países em desenvolvimento, uma vez que na globalização, os mercados dos países estão interligados, bilhões de dólares podem entrar ou sair de um país em questão de segundos.

    ELAYNE CÍNTIA B.BARBOSA-Nº16
    2ºANO 'F'

    ResponderExcluir
  5. Os blocos comerciais são uma forma de inserção na economia mundial que muitos países encontraram para se estabelecerem num mundo cada vez mais globalizado. A criação desses mercados supranacionais é justamente uma característica da globalização, que não é feita de forma igualitária no mundo, em alguns lugares está mais presente e em outros ainda não é forte. No intuito de se firmarem e avançarem no atual mercado econômico mundial, a maioria dos países está se juntando em mercados regionais, e assim há uma crescente integração dos membros dos blocos, fazendo com que até mesmo eles se abram mais para o comércio exterior.
    -
    O Brasil atualmente faz parte do MERCOSUL (outros membros são Argentina, Uruguai, Paraguai, os associados sendo Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela), a participação a partir do ano de fundação, 1991, vai definir o Brasil do século XXI, já que as relações financeiras e econômicas (até políticas) com seus vizinhos vão mudar em face dessa integração. Podemos observar que antes da criação do MERCOSUL, os países que hoje o integram não eram parceiros comerciais importantes, não se ligavam entre si, disputando muitas vezes o mesmo mercado. Quase vinte e três anos depois, é notável que o volume de trocas entre os países integrantes é maior que os não integrantes.
    -
    A expansão do ‘’Mercado Comum do Sul’’ depende do desempenho das nações que o compõe. Uma crise monetária estagna e decrescem as relações, ou seja, há um efeito em cadeia, em que o rumo de uma economia pode, ou não, prejudicar o seu vizinho. Entretanto, o MERCOSUL apresentar diversas vantagens principalmente para o Brasil, que é o mais país desta integrante desta união, seja pela economia, população (Tem metade da população do mercado regional, sendo o grande mercado consumidor) ou PNB, por isso há um crescente interesse dos investimentos estrangeiros, a zona de comércio livre garante a entrada de produtos com baixo custo dos outros países pode até baixar os preços deles. Portanto, é importante a permanência do Brasil no MERCOSUL, tanto para as relações econômicas, políticas e até mesmo sociais entre seus vizinhos do sul, quanto para a atração de novos mercados e até mesmo investimento estrangeiros, fazendo a economia crescer cada vez mais, pois, como citado, desde a criação do bloco o Brasil tem ganhado muito no âmbito econômico e também em outros, mantendo-se atual e firme no atual processo de globalização.


    -


    FERNANDA FREITAS AGUIAR DE VASCONCELOS - Nº 11 - 2º ANO A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção:

      3º Parágrafo: ''...Uma crise monetária estagna e decresce as relações, ou seja, há um efeito em cadeia, em que o rumo de uma economia pode, ou não, prejudicar o seu vizinho. Entretanto, o MERCOSUL apresenta diversas vantagens principalmente para o Brasil, que é o maior país integrante desta união...''

      Excluir
  6. O aspecto referente ao capitalismo está inteiramente interligado ao fato do avanço da globalização mundial sim,pois é nele que nós buscamos apoio,e também que nós buscamos a mídia para aparecermos dos mais variados tipos , na televisão , onde a população hoje se espelha é servido um modelo de consumismo padronizado ,incutindo na cabeça do publico a ideia de que se deve consumir tênis da marca NIKE,camisa da marca "HOLLISTER",cadernos da marca "COCA-COLA",usufruirmos da marca apple.
    A participação do Brasil no cenário mundial hoje é fortíssima,com fabricas internacionais dentro de seu próprio mercado,gerando lucros sim para a nação,alem do fato de empregar milhares de pessoas em todos os cantos de nosso país,como é o caso do ramo automobilístico que disponibiliza vários cargos em diversos setores dentro de sua fabrica.
    Nosso país precisa e muito se manter como líder de sua área territorial
    (América do Sul),estabelecendo relações com seus vizinhos e divisores de riquezas do continente daí vem a aparição do Mercosul ,como aspecto impor-
    tantíssimo para a nossa evolução econômica.Mas também cabe ao Brasil fazer relações internacionais com nações que aparecem no mesmo âmbito atual(evo-
    lucão econômica),e foi oque o Brasil buscou,se associou a Russia, índia e China formando o BRIC uma associação de países em ascensão,a Africa do Sul não aceitou o convite e ficou de fora da composição da aliança

    PAULO AUGUSTO CHAVES BANDEIRA .2 ANO-F N-41

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. A globalização afeta todas as áreas da sociedade, principalmente comunicação, comércio internacional e liberdade de movimentação, com diferente intensidade dependendo do nível de desenvolvimento e integração das nações ao redor do planeta.a globalização das comunicações tem sua face mais visível na internet, a rede mundial de computadores, possível graças a acordos e protocolos entre diferentes entidades privadas da área de telecomunicações e governos no mundo. Isto permitiu um fluxo de troca de ideias e informações sem critérios na história da humanidade.
    O Brasil é um pais com interesses muito diversificados o interesse do país é em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente , a acesso aos recursos financeiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos. Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento
    O Governo Collor fez um processo que privilegiou a importação de produtos de consumo sofisticados sem gerar aumento correspondente de nossas exportações e à custa da industrialização e do emprego, como se incrementos de produtividade pudessem ser avaliados, empresa por empresa, pela economia de mão-de-obra para nos modernizar, não seguimos o exemplo do que de fato se pratica no Primeiro Mundo e alegadamente pretendemos adotar como modelo.


    Thamires Freitas Araujo 2° ano C manhã

    ResponderExcluir
  10. Como o Brasil passou muito tempo sendo colonizado sua tecnologia venho ser criada a 30 anos atrás, e isso são alguns fatos do país ainda ser subdesenvolvido, o Brasil e outros países criaram o Mercosul com o intuito de subir com sua economia e "entrar de vez" no mercado global, a globalização está muito ligada a tecnologia, apesar de sermos um dos maiores produtores dependemos muito do mercado externo, por causa do desenvolvimento tecnológico que eles tem como: micro-computadores, robôs, entre outros. Mas o que faz um país ir para frente é a educação coisa que está sendo pouco investida pelo nosso governo, sem educação não se constrói um país. O Brasil pode até virar uma potência mundial no dia que pagar sua divida externa que só faz aumentar a cada ano. O país pode ter um poder econômico forte e grandes influências no mercado externo, mais a sociedade brasileira não está preparada para isso.

    YVES CLEMENTE DANTAS REIS, Nº 50 , 2º ANO A

    ResponderExcluir
  11. Globalização não acontece do dia para a noite. Ela é um processo de aprofundamento econômica, social, política, cultural, de cada país. O mercado interno e externo dos países são características de uma globalização econômica baixa ou elevada. Outro exemplo, é que globalização é mais ou menos a interação com outros países considerando aspectos sociais, econômicos, culturais e políticos. Ela é muito importante para os índices de desenvolvimento de cada país, principalmente após a revolução industrial.
    Indo para a América Latina, temos um grupo que interagem com o mundo, chamado MERCOSUL (Mercado Comum do Sul) onde os integrantes plenos são: Argentina (desde 1991), Paraguai (desde 1991; onde fica a sede), Uruguai (desde 1991), Brasil (desde 1991) e recentemente a Venezuela (2012). E os países associados são: Chile (desde 1996), Bolívia (desde 1996), Peru (desde 2003), Colômbia (desde 2004) e Equador (desde 2004). Falando especificadamente do nosso Brasil, ele é um dos estados do Cone Sul que aplica uma influência de extrema importância política-econômica nos demais estados aderentes. Com ajudas econômicas, políticas e acordos de posse ou tratados, somos muitas vezes "espelhos" para eles. E com essa troca, principalmente entre os estados integrantes, o nosso PIB aumenta, nosso desenvolvimento social também, o que é positivo em relação a isso. Mas com tudo, também podemos sair perdendo por causa de conflitos que não muito frequentes mas pode acontecer dentro do grupo.
    A permanência do Brasil no MERCOSUL é importante, pois sua interação com seu mercado não só com os países aliados mas com todo o mundo é grande, o que faz como disse anteriormente, crescer a economia e o desenvolvimento político-social. E com certeza, a parceria que esses países tem é o que faz todos saírem ganhando.


    THALITA ALMEIDA DE OLIVEIRA - Nº 43 - 2º ANO B

    ResponderExcluir
  12. Aluna: Klivia Larissa Cardoso da Costa
    2º Ano B
    Nº 21




    “Globalização é um conjunto de transformações na ordem política e econômica mundial visíveis desde o final do século XX. Trata-se de um processo de aprofundamento da integração econômica, social, cultural e política, que tornou o mundo interligado, uma Aldeia Global.” Isso implica dizer que a globalização é basicamente a atualização do mundo, a cada dia, tudo se acelera, e isso denomina-se globalização. Ela é um fruto do capitalismo. E como fato disto, todos os países do mundo, tentam acompanhar essa atualização. Existem os países desenvolvidos, que estão a frente de outros, e existem o subdesenvolvidos que tentam se manter numa posição favorável em relação ao mundo.
    O Brasil se encontra na categoria de país subdesenvolvido. Por ter começado tardiamente seu processo de industrialização. Vários países possuem essa “estratégia” de blocos econômicos, e isso é uma coisa favorável. No caso do Brasil, eu acredito que por ser um país subdesenvolvido, essa “união” com os outros países, favorece sua posição, ajuda os países da America do Sul que fazem parte, a se tornarem suas próprias potências, tentando diminuir a necessidade de recorrer a outros países. E esse é um ponto positivo, além do fato de que o nosso país é a “cabeça” do MERCOSUL, ele cria os vínculos, então esse pode ser um dos motivos pelos quais o Brasil, não tem intenção de sair do bloco.
    Essa é basicamente a estratégia do Brasil, ele é mais influente falando por um bloco, do que por um país isolado. Sobre os pontos negativos, tem a moeda que não é única, a língua falada pelos países do Mercosul são diferentes, o maior “concorrente” do Brasil que é a Argentina, possui solo mais fértil para a agricultura, e também vale salientar o peso que é ser o líder do bloco econômico, o Brasil precisa de uma estabilidade, e confiabilidade, e este pode ser um ponto negativo, pois qualquer deslize pode fazer o MERCOSUL se romper.

    ResponderExcluir
  13. De uma maneira direta a globalização afeta todas as áreas da sociedade, principalmente comunicação juntamente com o comércio internacional e liberdade de movimentação. Sendo essa um fenômeno capitalista e complexo que começou na era dos descobrimentos e que se desenvolveu a partir da revolução industrial.
    Dado o exposto temos as vantagens e as desvantagens da globalização. Alguns dos pontos positivos são que aumenta o fluxo comercial que, naturalmente, gera mais riqueza, garante maior troca de informações com o mundo todo, permitindo as culturas evoluírem e permite usufruir do produto mais barato e serviço mais eficiente de cada país é o exemplo da china. Porém... batendo de frete com os pontos positivos temos os pontos negativos. O processo de globalização Cria mais desigualdade, muito embora tenda a melhorar o padrão de todos em geral, Não funciona bem para países que não são estruturados logo Tem sido muito americanizada e com vendas da China e de outros países bem estruturados.
    Em relação a permanência do Brasil no MERCOSUL eu acho extremamente necessário já que de certa forma faz-se a economia crescer, aumento da influência política no mundo, ampliação do mercado para os prudutos dos países membros e livre circulação de cidadões entre os países membros, mas encontramos alguns pontos que desfavorecem a permanência do Brasil no MERCOSUL já que ‘’teremos’’ paises concorrentes entre si e desputa pela liderança do bloco.
    Samí Vilela, 2°’b’, turno- matutino, número 36.

    ResponderExcluir
  14. ALUNO: Igor Giovanni da Silva Neves Nº-16
    2º ANO C

    O Brasil foi um importador de produtos industrializados, mas a partir da década de 1960, passou a exportá-los, dando início a uma maior participação no mercado externo internacional, e consequentemente ao processo de globalização.
    Tendo então como base o Mercado Comum Europeu, vários mercados supranacionais foram criados, entre eles o MERCOSUL, tendo como principais membros o Brasil, a Argentina, o Uruguai e o Paraguai, com o objetivo de reduzir ou eliminar as fronteiras alfandegárias.
    Isso além de auxiliar o desenvolvimento econômico, acarretou consigo, uma maior interação do Brasil com seus vizinhos, porém também trouxe uma desvantagem, que foi a interdependência entre os países do bloco, sendo assim, se um dos países membros entrasse em crise, toda a estabilidade econômica do bloco iria se desfazer.

    ResponderExcluir
  15. A globalização proporciona a oportunidade de relacionar-se com outras nações, em diversas áreas principalmente economia, política e cultura, onde sua principal influencia são os Estados Unidos, que criou um modelo de social a ser seguido, onde se é priorizado a qualidade de vida e os bens de consumo. E isto vem acontecendo desde as grandes navegações, onde essa ideia começou.
    O Brasil como país subdesenvolvido seguindo esse modelo necessita expandir seu mercado com outros países rumo ao desenvolvimento. Um jeito fácil foi assinar o acordo chamado MERCOSUL, onde atualmente fazem parte o Brasil, Argentina, Venezuela e Uruguai. Uma de suas vantagens é a redução de taxas de comercio entre os países membros e isso incentiva as transações comerciais e juntos representam 50% do PIB da América Latina. Outra é a livre circulação de pessoas entre os países membros.
    Uma das desvantagens é a concorrência entre os países para obter a liderança econômica, outra é não ter uma moeda unificada como a da União Europeia e também não possuir um só idioma, onde o Brasil é o único diferente.
    Miquéias Miguel
    N° 38
    2° “C”

    ResponderExcluir
  16. A globalização é a fase mais avançada do capitalismo. Com o declínio do socialismo, o sistema capitalista tornou-se predominante no mundo. A consolidação do capitalismo iniciou a era da globalização, principalmente, econômica e comercial.
    O Brasil possui uma economia aberta ao mercado internacional, ou seja, nosso país vende e compra produtos de diversos tipos para diversas nações. Fazer parte da globalização econômica apresenta vantagens e desvantagens. O Brasil possui uma economia aberta ao mercado internacional, ou seja, nosso país vende e compra produtos de diversos tipos para diversas nações. Fazer parte da globalização econômica apresenta vantagens e desvantagens
    O Brasil faz parte do Mercado Comum do Sul ( Mercosul ) foi criado em 1991 os membros deste bloco econômico da América do Sul são os seguintes países: Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai e Venezuela (o Paraguai esta suspenso do bloco em função do deposto ex-presidente Fernando Lugo em junho de 2012) a suspenção do paraguai ira ate as novas eleições em 2013.

    Vitor Rafael Ribeiro Pereira - 2º ano A - Manha

    ResponderExcluir
  17. A globalização é um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural, política, que teria sido impulsionado pelo barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerando a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.
    Por ser um país integrado a economia mundial capitalista e com conexões culturais com diversos países do mundo, o Brasil está participando atividade do mundo globalizado.O Brasil possui uma economia aberta ao mercado internacional, ou seja, nosso país vende e compra produtos de diversos tipos para diversas nações. Fazer parte da globalização econômica apresenta vantagens e desvantagens.
    As vantagens é o acesso aos produtos internacionais, muitas vezes mais baratos ou melhores do que os fabricados no Brasil. Por outro lado, estes produtos, muitas vezes, entram no mercado brasileiro com preços muitos baixos, provocando uma competição injusta com os produtos nacionais e levando empresas à falência e gerando desemprego em nosso país. Isso vem ocorrendo atualmente com a grande quantidade de produtos chineses (brinquedos, calçados, tecidos, eletrônicos) que entram no Brasil com preços muito baixos.
    O Mercosul, como uma zona de livre comércio em seu estágio final de conformação, pode ser visto como fator mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros. Contudo, a conversão do Mercosul em união aduaneira deverá ser conduzida com cuidado, a fim de evitar que sua tarifa externa comum se transforme em restrição indevida da capacidade do Brasil de formular e executar políticas comerciais e industriais requeridas por seus objetivos de desenvolvimento.

    Heloíse Maria de Freitas Barros
    2ºano A - Manhã

    ResponderExcluir
  18. O Mercosul é o mais importante projeto de política externa do Brasil. Decorrido praticamente dez anos desde a assinatura do Tratado de Assunção, o MERCOSUL representa hoje um agrupamento regional economicamente pujante e politicamente estável, que tem sabido aproveitar os ensinamentos e as oportunidades da globalização e tem, assim, atraído, cada vez mais, o interesse de todo o mundo. O Brasil como país membro do Mercosul é o que mais se destaca por sua economia, e pela sua capacidade de interagir com países que fazem fronteira com ele, por esse motivo facilita e de certa maneira força a relação com os mesmos. Por fazer contato com outros blocos da Europa ele acaba mostrando certa experiência de negociação política e econômica.
    Percebe-se que nessa esteira de desenvolvimento globalizado e com a necessidade de que, a cada dia, mais países busquem aproximação para poder comprar, vender seus produtos e serviços, sua tecnologia, é importante que os governos envolvidos nesse processo procurem torná-los mais transparentes possível, cedendo a todos, a possibilidade de conhecer os detalhes dos compromissos que serão assumidos, demonstrando com clareza as vantagens e desvantagens e o grau de interferência dos mesmos para a população em geral, e não somente dar a conhecer a grupos de interesses de uma forma fechada e às vezes isolada. Este tipo de procedimento nestes processos pode facilitar muito o seu desenvolvimento e, no momento em que todos os aspectos forem bem conhecidos e discutidos, todos os países envolvidos serão beneficiados. Outro aspecto altamente positivo da globalização é o entendimento entre os sindicatos de todo o mundo. Hoje, com a facilidade de comunicação, qualquer problema que atinja classe trabalhadora de um país é imediatamente alertado para o mundo todo. Desse modo, os colegas de outros países se posicionam e se solidarizam com o grupo em dificuldades. Quando o problema é muito grave, como o que acontece nas demissões em massa, o que faz com que os trabalhadores promovam manifestações públicas de protesto, é comum os sindicatos de alguns países mandarem representantes para apoiar seus colegas. Isso tem contribuído para que os trabalhadores criem organizações internacionais de ajuda mútua.
    Outra questão importante no aspecto econômico é a integração do Brasil no mercado financeiro internacional. Investidores estrangeiros passam a investir no Brasil, principalmente através da Bolsa de Valores, trazendo capitais para o país. Porém, quando ocorre uma crise mundial, o Brasil é diretamente afetado, pois tem sua economia muito ligada ao mundo financeiro internacional. É muito comum, em momentos de crise econômica mundial, os investidores estrangeiros retirarem dinheiro do Brasil, provocando queda nos valores das ações e diminuição de capitais para investimentos.
    Igor Brasil Lins
    2ºano E Numero 20 Manhã

    ResponderExcluir
  19. A Globalização possibilitou a maior integração e relacionamento entre os países, e esse relacionamento melhorou a participação das nações no mercado externo internacional, aumentando assim a economia para aquelas que entraram no processo da globalização. Esse processo se veio de modo tardia no nosso país, pois foi apenas na década de 60 que o Brasil começou a exportar produtos industrializados.
    Para aumentar a velocidade do processo da Globalização, O Brasil entrou no MERCOSUL (Mercado Comum do Sul). O bloco original era composto por Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai, mas em 2012 em virtude da remoção de Fernando Lugo da presidência do Paraguai, o país foi suspenso temporariamente do bloco, que tornou possível que a Venezuela se tornasse um membro pleno do MERCOSUL.
    Isso ampliou o mercado e melhorou o desenvolvimento econômico não apenas do Brasil, mas de todos os países membros além de melhorar a relação diplomática entre eles. Embora também haja problemas como não possuir uma moeda e uma língua unificada e a disputa pela liderança do bloco.


    Ândrei de Medeiros Lucena Nº: 3
    2º Ano "C" - Manhã

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Globalização é, a princípio, uma referência capitalista e imperialista. Consiste na expansão de todo e qualquer tipo de prática comandada pelas grandes empresas transnacionais, que procuram abrir novos mercados. Essas experiências se propagam análoga e velozmente no decorrer das décadas e acarretam a ampliação de atividades, comércios, tecnologias. O MERCOSUL (Mercado Comum do Sul) consiste no projeto de integração regional iniciado com os militares argentinos e brasileiros, passado o tempo, outros países foram se integralizando nessa iniciativa. O Brasil, membro pleno desse programa, é o mais desenvolvido, devido a sua industrialização passou a exportar diversos produtos industrializados e semimanufaturados que possuem maior valor no comércio global, assim a tendência econômica nacional é ter um alto crescimento, ou seja, haverá uma extensão do mercado para produtos brasileiros, conduzindo a uma maior força política e econômica dentro da economia mundial. Um dos temas negativos é a provável “vulnerabilidade” a uma crise generalizada aos países que compõe o MERCOSUL, onde o Brasil pode suportar com tamanha fragilidade a transe comum. Há também a administração de conflitos de interesse e uma menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre as nações relacionadas.
    Bianca Teixeira – 2º ANO B – Número: 06

    ResponderExcluir
  22. O Brasil está participando do processo de globalização por ser capitalista e estar ligado culturalmente,politicamente e financeiramente a outros países.
    Podem ser destacadas como vantagens do processo de globalização: a diminuição de custo e o aumento da qualidade dos produtos, provenientes da importação, a facilitação da comunicação, a ascenção tecnológica e melhoria dos meios de transporte; entre as desvantagens podem ser listadas: a desvalorização cultural(a perda da identidade cultural), o aumento da competitividade no mercado de trabalho, assim ficando cada vez mais difícil conseguir um emprego bom, e por fim, a desvalorização dos produtos brasileiros no mercado, em relação aos outros produtos importados.
    Diretamente relacionado à isso, está a entrada e permanência do Brasil no Mercosul, um projeto de integração econômica, que oferece a possibilidade de fortalecimento da influência mundial, inserção e participação dos países membros no mercado globalizado, dando a vantagem de isenção de tarifas de importação, maior número de trocas comerciais, estabelecimento da zona livre de comércio,entre outras vantagens.

    Elizabeth Barreto Galvão de Sousa
    2º ano D - Manhã
    nº 13

    ResponderExcluir
  23. O Brasil esta contido no MERCOSUL, devido ser capitalista e estar ligada a aspectos culturais,políticos e econômicos com as outras regiões do mundo.
    Com relação a globalização,está o aumento da tecnologia,o aumento na qualidade dos produtos,melhora nos meios de transporte.Dentre os pontos negativos,esta a educação que vem crescendo nos últimos anos,porém precisa de um grande salto para alcançar os outros países,outro problema também é o aumento da competição no mercado de trabalho,o que dificulta a procura de emprego,e a também a desvalorização das mercadorias brasileiras.
    Outra questão que relaciona o nosso país ao MERCOSUL,é que os outros países e utilizam da nossa economia,e quando por exemplo ocorre uma crise O Brasil é afetado,devido a sua economia estar diretamente ligada a esses outros países.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Correção:
      3 parágrafo:Outra questão que relaciona o nosso país ao MERCOSUL,é que os outros países se utilizam da nossa economia,e quando por exemplo ocorre uma crise.o Brasil é afetado,devido a sua economia estar diretamente ligada a esses outros países.(Erro gramatical do 'se' na publicação anterior).

      Excluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. A globalização é um fenômeno ligado a economia,um processo capitalista que foi aderido pelos países que fizeram parte da primeira Revolução Industrial. A economia do Brasil, diferente do que é citado pela mídia, não tem progredido, na verdade está sendo acobertada pelos políticos do país, que são os únicos favorecidos com as lavagens de dinheiro.
    Atualmente o Brasil tem uma dívida externa de US$288 bilhões, que é mais de 40% de seu PIB anual, mas ao invés de existir uma busca pela diminuição dessa dívida, ela aumenta a cada ano.
    O Mercado Comum do Sul(MERCOSUL) é o bloco econômico que o Brasil faz parte, que é composto por mais três países membros( Paraguai, Uruguai Argentina) e a Venezuela, que ainda está em processo de adesão. É uma tentativa de melhorar a economia dos países membros, copiando o modelo dos países Europeus que formam a União Européia (UE), nele o Brasil se apresenta como a maior economia, sendo responsável por 70% do PIB gerado.O papel do Brasil no MERCOSUL é, portanto, cada vez mais integrador. Contudo, é incontestável sua posição de líder, em função de suas características econômicas, populacionais, geográficas etc.

    Gabrielly Cristina de Souza; número:15 - 2ª ano A

    ResponderExcluir
  26. O MERCOSUL é um fator muito importante para o Brasil economicamente, que tem o objetivo de estabelecer mercados supranacionais ou blocos comerciais, na denominação de alguns, em que as fronteiras alfandegárias (proibições, restrições e impostos de entrada ou saída de bens e serviços de um país para outro) são reduzidas ou eliminadas. Esse bloco é muito importante para compreendermos o Brasil no século XXI, pois representa um novo capítulo nas relações brasileiras com seus vizinhos. O advento do MERCOSUL ampliou bastante as relações comercias e financeiras do Brasil com seus vizinhos do sul e do sudoeste.
    Vários estudos recentes concluíram que os processos de globalização em curso na economia internacional tendem a se reforçar mutuamente. Na primeira década dos anos 90, quatro países do cone sul- Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai- iniciaram um processo de integração regional como parte dos seus reforços para alcançarem maior peso nas negociações sobre a nova ordem internacional e uma melhor inserção produtiva internacional. Estas notas pretendem proporciona um quadro geral, onde possa ser avaliado o papel do MERCOSUL na consecução desses objetivos.
    Algumas vantagens é a permissão usufruir do produto mais barato e serviço e mais eficiente de cada país, permitindo as culturas evoluírem, aumenta o fluxo comercial que, naturalmente, gera mais riqueza,ampliação de mercados para produtos brasileiros, maior força política e econômica dentro da economia mundial. E desvantagens administração de conflitos de interesse, menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do MERCOSUL, melhor comunicação, estimula o crescimento econômico, formação de blocos econômicos e presença de multinacionais pelos continentes.

    José Bernardo da Silva Neto
    2ºano E Manhã
    Nº 24

    ResponderExcluir
  27. A Globalização é consequência sem dúvida de um mundo capitalista, suas mercadorias se desenvolvem cada vez mais, trazendo grandes tecnologias, e enfim destacando os países produtores. Temos também, a unificação de várias musicas, estilos, programas de TV,ou seja, é encontrado em todos os países.
    O Mercosul foi fundado inicialmente pelo Brasil e Argentina, com a função de integração regional entre eles, depois se procurou integrar toda a América do Sul,para uma total formação do bloco econômico, mas nos dois períodos tinham o objetivo de participar da globalização, sem ficar muito atrás dos outros países, que já tinhma relações comerciais de livre comércio internacional bem desenvolvidas.
    Podemos citar ainda seus pontos positivos e negativos, onde positivos como foi citado, permite um acompanhamento dos países participantes à globalização, movimentando muitos dólares, que irão beneficiar economicamente esses países. E pontos negativos, que para países de grandes relações internacionais como Brasil, irá em parte dificultar o comércio com países que estão fora do Mercosul.

    Igor Raphael de Lima Perez
    2ºano B - Manhã N:17

    ResponderExcluir
  28. A globalização é um processo que se intensifica nos dias atuais, mas não é um acontecimento recente, iniciando-se com a expansão marítima-comercial europeia no século XV e XVI. Essa possui um caráter global, no qual não traz apenas benefícios, onde além de proporcionar um fluxo rápido e maior de informação, devido ao avanço nos meios de comunicação, como também dos meios de transporte que gerou uma melhoria na locomoção de pessoas e mercadorias no mundo, tornando-se mais fácil. Ela vem “excluindo” os países que não possuem acesso a todos esses avanços, e consequentemente aumentando a desigualdade.

    E diante desse quadro de competição que a globalização acaba gerando entre os países, eles acabam reunindo-se em blocos para se fortalecerem economicamente. Como no bloco econômico Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), que tem a participação do Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, desde 1991, e possui mais cinco membros associados, o Chile, Peru, Equador, Bolívia, Venezuela e Colômbia. Visando a livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos e a adoção de uma politica comercial comum em relação aos outros Estados, e entre outros objetivos, o MERCOSUL é uma tentativa de seus países-membros inserissem de forma mais competitiva na economia internacional.

    No caso do Brasil, houve um crescimento das relações comerciais e financeiras com os demais membros do bloco, como também mudanças no setor de turismo, mas também surge uma necessidade de melhoramento em alguns setores mais tradicionais, devido à concorrência. Entretanto, não é nada que torne o bloco algo que o prejudique, pelo contrário, como quanto à indústria de transformação comparada a dos demais países, esse apresenta melhores condições, devido até mesmo a origem da energia empregada na produção industrial, que é sobretudo hídrica. Além disso, as economias de escala no Brasil são superiores em função da maior amplitude do mercado interno. E assim, essa superioridade brasileira indica que a integração apenas fará que amplie sua produção.

    Rayssa Mareco Alves de Sá - Nº:39 - 2º ano A, manhã.

    ResponderExcluir
  29. Aluno: Marcelo Alves Gomes – Turma: 2°ano G - Número: 24

    A globalização é representada principalmente nos países capitalistas (que teve sua ascensão na “guerra fria”, através das corridas armamentistas, industriais, e espaciais), como forma de desenvolvimento, aprimoramento, uma evolução de economias com intuito de deixá-los cada vez mais desenvolvidas.
    O fato de o Brasil ter evoluído nesses últimos anos vem em decorrência a acordos com outros países, ajudando assim a manter-se globalizado. O ingresso do Brasil e de outros países (Argentina, Uruguai, Paraguai, “Venezuela”) no tratado do MERCOSUL trouxe mais aspectos positivos para nossa economia do que negativos, podemos citar: o aumento da força econômica e política dos países membros em relação ao mundo, melhoria na economia, se tornando assim uma das economias mais dinâmica do mundo (com um PIB aproximado de 1 trilhão de dólares).Já os aspectos negativos que muitas pessoas vem se preocupando são: a pirataria que faz que nosso país sofra uma queda econômica por parte dos “discos piratas” pelo fato de serem mais baratos em relação aos originais , confrontos de interesse e confrontos entre fronteiras que vem se repercutindo por causa de posse de territórios .
    Pelo fato do Brasil ter tido mais aspectos positivos do que negativos na nossa economia, é necessário a sua permanência no MERCOSUL. É através desse tratado que conseguimos uma posição importante no RANK mundial de desenvolvimento, evoluímos não só em tecnologia , mas economicamente e politicamente .

    ResponderExcluir
  30. A globalização é um fenômeno que tende a criar uma maior integração cultural, política, social e econômica entre os países. É gerada pela busca de uma “aldeia global”, onde, segundo o canadense Marshall McLuhan, o mundo aparenta ser reduzido à situação de uma aldeia. Ou seja, seria formada uma profunda interligação entre todas as regiões do globo.

    Fruto do capitalismo, a globalização tornou o mercado internacional mais competitivo e a proximidade entre países foi necessária para que pudessem se fortalecer economicamente. Em reflexo disso, têm-se a formação de blocos econômicos que são criados com a finalidade de facilitar o comércio entre os países membros, como exemplo temos a União Europeia, a Nafta, a Apec e o MERCOSUL, no qual o Brasil está inserido juntamente com o Uruguai, Paraguai, Argentina e Venezuela.

    O MERCOSUL é uma união aduaneira que se situa como terceiro maior bloco do mundo e principal da América Latina, o que se observa entre seus países membros é uma parceria comercial de benefício mútuo. O Brasil apresenta 70% do PIB deste bloco e sua interação com os demais países gera um crescimento nas relações comerciais, fato esse que favorece não só o nosso desenvolvimento econômico mas também político e social.

    Vitória Montenegro Silva, Nº:48 - 2º ano A, manhã.

    ResponderExcluir
  31. A globalização está presente em todo o mundo.Ela teve o seu auge principalmente com os diversos avanços tecnológicos,que proporcionaram melhorias no meio de comunicação,esse foi um dos aspectos para que a globalização no Brasil se desenvolvesse acabando que por se tornando o que é hoje.Um dos países atingidos pela globalização foi o Brasil,que hoje se beneficia e também sofre com as desvantagens da globalização mundial que atingiu o país. Todos sabem que a economia brasileira é exposta ao mercado internacional ,pois o Brasil tanto importa como exporta produtos, dessa forma, tornando o país bastante ativo no mercado internacional e possibilitando a chegada de novos produtos no país.

    Toda essa movimentação pode causar danos à economia brasileira, pois em muitos casos os produtos importados possuem preço muito baixo em relação aos nossos, de certa forma, levando muitas empresas a falência causando assim muito desemprego no país. Além disso, o desemprego também é grande, pois com a globalização muitos estrangeiros bem qualificados se dirigem ao Brasil, e o que mais as empresas buscam é mão-de-obra qualificada, seja ela brasileira ou estrangeira.A nossa cultura também foi ,e ainda é,influenciada pela Globalização. Por meio da internet, da televisão ,do cinema, através de uma música e demais meios de comunicação é possível que nós acompanhemos novas culturas e dessa forma conhecer um pouco mais de outros países. Por outro lado, muitas dessas culturas, principalmente a norte-americana vem influenciando bastante os jovens brasileiros,que acabam esquecendo sua própria cultura.

    Ao integrar-se ao MERCOSUL, o Brasil goza de vantagens e ganha peso nas negociações internacionais pois passa a negociar como bloco diante dos outros blocos, e não mais individualmente, resultando na potencialização de seu poder de negociação.Alguns dos ganhos dessa integração são:Altos níveis de produção, pelo maior aproveitamento das economias de escala permitidas pela ampliação do mercado;uma melhor posição de barganha no plano internacional, em virtude das dimensões ampliadas na nova área, resultando em melhores termos de intercâmbio;transformações tanto em qualidade quanto na quantidade dos fatores de produção por força de avanços tecnológicos;os objetivos de pleno emprego, altas taxas de crescimento econômico e de uma melhor distribuição de renda tornam-se as metas comuns.De fato, o MERCOSUL oferece ao Brasil a possibilidade de se tornar o líder de uma região com um PIB da ordem de grandeza de US$ 1 trilhão; sem conflitos étnicos, de fronteira, religiosos, históricos ou culturais; com sistemas financeiros relativamente desenvolvidos; uma tradição capitalista de décadas; um parque industrial de porte razoável. Todos esses benefícios são ótimos para um país subdesenvolvido e globalizado como o Brasil.

    Maria Clara Silva Menezes/segundo ano"A"/manhã

    ResponderExcluir
  32. O mercado Comum do Sul (MERCOSUL)criado em 26 de Março de 1991 com a assinatura do tratado de Assunção no Paraguai. OS membros deste importante bloco econômico da America do Sul são: Argentina,Brasil,Uruguai e Paraguai(suspenso temporariamente do bloco em função da deposição do ex-presidente Fernando Lugo em junho de 2012).Em 1995, foi instalada a Zona de Livre Comércio entre os países membros, a área é de livre comércio e não há controle alfandegário entre os países envolvidos, ou seja, o tratado estimula a circulação de produtos além fronteiras sem cobrança de taxas como se a negociação ocorresse dentro de um mesmo país.Juntos, os países em desenvolvimento representam uma das quatro maiores economias globais.
    O Brasil vê o Mercosul como uma plataforma estratégica para aumentar sua estatura internacional. A Argentina o vê como a solução mais fácil para crises de curto prazo. Grandes diferenças separam o Brasil de seus sócios, pois ele representa entre 70% e 80% do território, população, PIB e comércio dos quatro países. Desde 2003, nossas exportações para os outros membros do Mercosul vêm crescendo com maior rapidez do que as deles para nós.A permanência do Brasil no MERCOSUL é importante pois sua interação com o seu mercado, com os países membros, mas com todo o mundo, faz crescer o desenvolvimento e a política-social.
    Globalização é um processo econômico e social que estabelece um integração entre os países e as pessoas do mundo. Afirma-se que o este processo teve inicio nas Grandes Navegações.Uma características importante é a busca pelo barateamento do processo produtivo pelas industrias ,muitas delas produzem suas mercadorias em vários países com o objetivo de reduzir os custos.

    REBECCA CLÍCIA DE OLIVEIRA E SILVA N°40
    2°ANO A/ MANHÃ

    ResponderExcluir
  33. Correção do 3° paragrafo (não entrou a margem do paragrafo) "Globalização é um processo econômico e social que estabelece um integração entre os países e as pessoas do mundo. Afirma-se que o este processo teve inicio nas Grandes Navegações.Uma características importante é a busca pelo barateamento do processo produtivo pelas industrias ,muitas delas produzem suas mercadorias em vários países com o objetivo de reduzir os custos."

    ResponderExcluir
  34. A globalização é algo indiscutível economicamente e culturalmente na atualidade, tanto é verdade que o próprio capitalismo a início foi uma prática ocidental, a qual foi em grande parte imposta a países do oriente. Na questão cultural, pode-se observar a criação de grupos sociais nas grandes metrópoles.
    Obviamente, a globalização não possui só pontos positivos, ao contrário do que se esperava, a globalização aumentou as desigualdades sociais, aumentou a concentração de renda, uma vez que as empresas multinacionais se aproveitam de países onde as leis trabalhistas e o código florestal podem ser burladas facilmente, e através disto alegando trazerem desenvolvimento, na verdade aumentam a concentração da renda e faturam em cima da piora nas condições de vida destas pessoas.
    O Brasil, não se encontra em tal estágio de fragilidade, em parte por já possuir uma indústria desenvolvida e por indicar melhora nos índices sociais, apesar de ainda serem ruins; outro aspecto que diminui a fragilidade do Brasil é sua estabilidade dentro do MERCOSUL, no qual é o principal membro, juntamente com a Argentina, e devido a seu papel de exportador de matérias primas e também industrializadas.
    O Brasil, dentro do MERCOSUL possui pontos positivos, tais quais como uma balança comercial favorável(exporta mais do que importa), existe uma cooperação científica entre Brasil e Argentina e a relação turística que envolve uma visitação ao Brasil mais intensa durante o verão e visitações maiores a Argentina durante o inverno.
    O MERCOSUL possui, no entanto aspectos negativos também, por um exemplo, atualmente existe uma falta de planejamento da política industrial entre os países do bloco, o que pode ocasionar de um país não produzir o que comercializaria com outro e assim enfraquecer as relações dentro do próprio grupo; ainda existem também barreiras comerciais com relação a produtos específicos, como é o caso da indústria automobilística.

    Giordano Nóbrega, N° 14
    2° Ano G / Tarde

    ResponderExcluir
  35. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  36. O Brasil desde o começo participa do Mercusul , que no seu início tinha apenas o próprio Brasil , a Argentina , o Paraguai e o Uruguai , e hoje o paraguai foi afastadoe e entrou a Venezuela.
    O Brasil por ser a maior economia do Mercusul e por ser uma grande potência econômica no mundoi todo principalmente depois da crise econômica na Europa (tendo como prejuízo a queda econômica de quase todos os seus países) que em sua maioria participa da união europeia e a participação financeira do Brasil no mercosul é a que mais atua esse é o princpal motivo do Brasil permanecer no mercosul.Algumas vantagens é a permissão de usufruir do produto mais barato e serviço e mais eficiente de cada país integrante do mercosul,aumentar a comercialização do Brasil dentro do mercosul e em todo o mundo , gerando assim mais riquezas,ampliação de mercados externos para produtos brasileiros. E também existe desvantagens como: administração de conflitos de interesse, menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do mercosul , formação de blocos econômicos e presença de multinacionais pelos continentes.
    Outro fator que pode prejudicar e ao mesmo tempo beneficiar a economia e o crescimeno brasileiro é a entrada de estrangeiros no Brasil , pela parte ruim é que eles podem chegar a tomar o lugar de brasileiros em certas áreas , a parte boa é que com eles vem novas experiências e novas aprendizagens para o trabalhador brasileiro e além disso estimula mais o brasileiro a estudar para que ele não perca o lugar para o estrangeiro. Outro fato bom é que os estrangeiros vem investindo mais no Brasil para ter uma idéia em 2000 eles investiam 32,779 em 2008 aumentou para 45,058 e em 2012 investiu cerca de 65,300 , com isso o Brasil melhorou sua posição no raking de investimentos estrageiros : já esteve abaixo de 20° em 2003 , em 2010 subiu para 14° e em 2012 terminou em 4° colocado , para ver que em certas áreas o Brasil está se desenvolvendo bem e que ele agora é um forte aliado juntamente com os EUA , o Japão e a China para tentar livrar a Europa de sua crise.

    ALUNO:JOSÉ ROCHA DO AMARAL NETO "
    NÚMERO 26
    TURMO "E"
    TURNO : MANHÃ

    ResponderExcluir
  37. A globalização é um fenômeno que tende a criar uma maior integração cultural, política, social e econômica entre os países. Ela tornou o mercado internacional mais competitivo e a proximidade entre países foi necessária para que pudessem se fortalecer economicamente.

    Na década de 80, Brasil e Argentina iniciam conversações e assinam acordos visando criar um mercado maior, aberto aos países que quisessem dele participar. Diante disso, Paraguai (suspenso até abril de 2013), Uruguai e Venezuela (desde julho de 2012), passam a integrar o grupo em 1991 com a assinatura do Tratado de Assunção, criando assim o MERCOSUL (Mercado Comum do Sul). Alguns outros países participam do bloco na qualidade de estados associados como Bolívia, Chile, Peru, Colômbia e Equador.

    Temos como pontos positivos a instalação da zona de livre comércio entre os países membros. A partir deste ano, cerca de 90% das mercadorias produzidas nos países membros podem ser comercializadas sem tarifas comerciais. Estabeleceu-se também um plano de uniformização de taxas de juros, índice de déficit e taxas de inflação. Futuramente, há planos para a adoção de uma moeda única, como fez o Mercado Comum Europeu. Este fora utilizado como exemplo, para a criação do MERCOSUL.Atualmente, concentram uma população estimada em 311 milhões de habitantes e um PIB (Produto Interno Bruto) de aproximadamente 2 trilhões de dólares.

    Mas também há pontos negativos. A supremacia do Brasil, por exemplo, pode resultar em problemas, uma vez que as economias mais fortes geralmente acabam por ter maiores vantagens no relacionamento comercial e se impõem naturalmente no mercado de outros países. Os problemas intrabloco acontecem justamente por conta das assimetrias econômicas e de desenvolvimento. Se houvesse a separação desses países, por exemplo, seria um problema visto que comércio entre Brasil e Argentina, é cerca de quinze vezes maior que o comércio entre Paraguai e Uruguai, as economias mais fracas. Além disso, o valor agregado das mercadorias exportadas por Brasil e Argentina é maior, auxiliando, assim, na geração de crescentes superávits em favor desses países. Como um dos objetivos desse bloco é o crescimento e desenvolvimento comum, já adotaram algumas políticas com a finalidade de reduzir essas assimetrias.

    A economia brasileira prioriza o mercado internacional. Ele tanto importa como exporta produtos, dessa forma, torna o país bastante ativo no mercado internacional e possibilita a chegada de novos produtos no país. Portanto, o Brasil possui vantagens e ganha espaço nas negociações internacionais, pois passa a negociar como seu próprio bloco e com outros, não mais individualmente, resultando em sua potencialização .

    Economistas renomados afirmam que, muito em breve, dentro desta economia globalizada as relações comerciais não mais acontecerão entre países, mas sim entre blocos econômicos. Participar de um bloco econômico forte será de extrema importância para o Brasil. Por este motivo, o mesmo deve permanecer.

    Sthefany Carolaine - 2º ANO B – Número: 39 Turno: Manhã

    ResponderExcluir
  38. Aluno: Arthur Marinho Pereira da costa Turma: 2 Ano A
    O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente , a acesso aos recursos finaceiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos. Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento limitado à área de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial. De qualquer modo, a integração regional não deve se circunscrever ao Mercosul, mas incluir todos os nossos vizinhos da América do Sul, como previsto na iniciativa brasileira de constituição de uma Área de Livre Comércio Sul americana.O Mercosul, como uma zona de livre comércio em seu estágio final de conformação, pode ser visto como fator mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros. Contudo, a conversão do Mercosul em união aduaneira deverá ser conduzida com cuidado, a fim de evitar que sua tarifa externa comum se transforme em restrição indevida da capacidade do Brasil de formular e executar políticas comerciais e industriais requeridas por seus objetivos de desenvolvimento.

    ResponderExcluir
  39. No mundo atual, a Globalização está sempre presente e interligando os países. É necessário que o país seja produtor de novas tecnologias, novos produtos, novas ideias, inovações em geral. Para um país desenvolvido é mais fácil, mas ao exemplo do Brasil, país subdesenvolvido que está crescendo, porém, ainda tem que passar por inúmeras mudanças, principalmente na educação e nas prioridades de investimentos para ter um reconhecimento maior. Assim ter sua própria empresa multinacional de carro, tecnologia de ponta, entre outros, desenvolvê-las e não ficar comprando para usar de outros países, mas sim exportando.
    Então, devemos seguir exemplos de outros países, acreditar e agir para mudar a realidade, como o Japão mudou, e que hoje é uma grande potência mundial. Seria necessário o Brasil continuar no MERCOSUL, pois é melhor trabalhar em grupo do que sozinho e conseguir ajudar também, os outros países membros e fortalecer a economia sul-americana. Quem sabe entrar de vez no cenário mundial não só como meros participantes de importar produtos dos países desenvolvidos mas sim desenvolver nossos próprios projetos e exporta-los.
    Porém devem haver grandes mudanças de todos os participantes do MERCOSUL, inclusive do nosso país. Mudar principalmente o pensamento dos políticos onde a corrupção é o foco. Roguemos a eles que investissem em educação e não pensassem neles próprios, mas sim num futuro melhor para o país.

    Gabriel Henrique - 2o ano D - numero 15

    ResponderExcluir
  40. A globalização é um conjunto de transformações políticas e econômicas que se deram pela necessidade do capitalismo de interligar o mundo, torná-lo uma Aldeia Global. Os blocos econômicos surgiram como resultado disso, com o propósito de permitir uma maior integração econômica dos países membros visando um aumento da prosperidade geral.

    O Brasil, junto com Argentina, Uruguai e Paraguai, formam o MERCOSUL. Os sócios buscam ampliar as dimensões de seus respectivos mercados nacionais, através da integração. No bloco há tarifas de importação e exportação comuns e livre circulação de mercadorias, capitais e serviços, tornando-o uma união aduaneira. O Brasil é o país mais importante do “Mercado Comum do Sul” pelo seu tamanho, peso econômico e grande mercado, isso fez com que o país atraísse o investimento estrangeiro e se desenvolvesse tecnologicamente. Ajudou também a combater a inflação e na economia.

    Apesar dos benefícios, se houver uma crise econômica em algum dos países membros, pode ser que isso venha a prejudicar a economia dos demais. A cultura também é ameaçada por haver vários contrastes de país para país. Por vivenciar a cultura de outro, a do nosso país pode perder sua importância. No entanto, mesmo com as desvantagens, a permanência do Brasil no MERCOSUL é importante para o crescimento de sua economia, já que exporta muito para a Argentina, que é membro do bloco, e com isso fica isento de impostos.

    Maria Elyzabeth Souza e Silva - 2º ano A - Nº.: 31

    ResponderExcluir
  41. Desde que as sociedades estabeleceram contatos entre si, houve troca de informações, de técnicas e de cultura. Em determinados períodos da história humana esses contatos foram acelerados. A partir da segunda metade do século XX, intensificou-se o processo de globalização com o aumento da mobilidade das atividades das transnacionais, a introdução de novas tecnologias da informação e das telecomunicações (com dimensões planetárias), aceleradas ainda mais devido à massificação do uso da Internet, iniciada com o surgimento do PC (Computador Pessoal) na década de 1980. No início dos anos 1990 a internet a marca do milhão de usuários e teve início o uso comercial da rede, provocando a expansão global da produção e do capital e a interligação acelerada dos mercados.Trata-se de um processo em curso, uma nova fase do capitalismo financeiro e do imperialismo, comandado pelas grandes empresas transnacionais, que procuram abrir novos mercados. O poder dessas empresas ultrapassa cada vez mais o poder das economias nacionais. A globalização é, portanto, um conjunto de mudanças que estão ocorrendo em nível mundial na esfera econômica, financeira, comercial, social, cultural e nos sistemas produtivos, intensificando a inter-relação dos países e dos povos. Ela implica também uma grande uniformização de padrões econômicos e influências culturais, onde percebemos que valores tipicamente ocidentais, como o casamento ao lado, mesclam-se às tradições de países tão distantes como a Tailândia.
    O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é formado por quatro países-membros - Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil - e um país em processo de adesão, a Venezuela. O embrião do processo integrador na América Latina remonta aos anos 60 do século XX, quando foi criada a ALALC (Associação Latino Americana de Livre Comércio) e aos anos 80, quando surgiu a ALADI (Associação Latino Americana de Integração). Nesta década, Brasil e Argentina iniciam conversações e assinam acordos bilaterais (Declaração de Iguaçu – 1985 e o Tratado de Integração, Cooperação e Desenvolvimento – 1988) visando incrementar o comércio entre si e criar um mercado maior, aberto aos países que quisessem dele participar. Diante disso, Paraguai e Uruguai passam a integrar o grupo em 1991 a partir da assinatura do Tratado de Assunção, criando assim o MERCOSUL (Mercado Comum do Sul). Alguns outros países participam do bloco na qualidade de estados associados como Bolívia, Chile, Peru, Colômbia e Equador. O “status” de estados associados confere aos mesmos o direito de participarem de reuniões do MERCOSUL como convidados e de assinarem tratados onde haja interesses comuns. Para ser considerado um associado, o país deverá assinar acordos de complementação econômica e obedecer a um cronograma para redução de tarifas e criação de uma zona de livre comércio com o bloco econômico.
    O papel do Brasil no MERCOSUL é, portanto, cada vez mais integrador. Contudo, é incontestável sua posição de líder, em função de suas características econômicas, populacionais, geográficas etc. É importante perceber que a posição de líder aumenta a responsabilidade do Brasil na condução e na sobrevivência do MERCOSUL. Aliado à característica integradora, o Brasil, a partir do MERCOSUL, demarca definitivamente a América do Sul como sua área de influência político-econômica. Reforça, ainda, a posição a favor do multilateralismo para fazer frente à posição norte-americana e à tentativa de implementação da ALCA (ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO DAS AMÉRICAS).
    ALUNO: TARCISIO DA SILVA 2-B. N° 42

    ResponderExcluir
  42. Tendo em vista o processo de socializar um pais com o outro, de uma forma onde há interação de pessoas e mercadorias de diferentes culturas, economias e politicas. Esses aspectos são voltados ao que chamamos de Globalização. Um fenômeno criado a partir da consolidação do capitalismo, dos grandes avanços tecnológicos, da necessidade de ter um fluxo comercial mundial e que teve seu desenvolvimento gerado a partir da revolução industrial.
    Os frutos gerados por esse processo nos trazem benefícios e malefícios. Foi um processo muito importante no combate a inflação e a entrada de produtos importados acabou ajudando bastante a economia do nosso país. Porém, a globalização acaba nos fazendo desvalorizar nossa própria cultura, preferindo produtos ou até mesmo o modo de viver de países mais ricos que o nosso. A concentração de riqueza também é uma desvantagem, os mais desenvolvidos acabam sendo os mais favorecidos.
    Como resultado desse processo econômico, encontramos o Mercado Comum do Sul (Mercosul), criado em 1991, e que além de nosso país, ainda ingressavam Argentina, Uruguai e Paraguai com a integração mais tarde do Chile, Equador, Colômbia, Peru e Bolívia, que permanecem até hoje. Tinha como objetivo a livre circulação de pessoas, de mercadorias e serviços, o que podemos considerar uma globalização entre países da América do Sul. Um bloco econômico que queria permitir a cada um dos países a melhoria nas condições politicas, econômicas e sociais. Contudo a Burocracia ainda se torna presente neste meio. Pra alguns serve de barreiras, pra outros é um bloco fraco. E tem aqueles que acham que demos um grande passo com a presença do mesmo. Hoje o Brasil, líder do Mercosul, tem uma grande parcela de responsabilidade na condução e na sobrevivência deste bloco.

    Aluna: LUANNA BERNARDO ROSAS DE LIMA
    Nº: 27 2º ANO A

    ResponderExcluir
  43. A globalização, por ser um fenômeno espontâneo decorrente da evolução do mercado capitalista não direcionado por uma única entidade ou pessoa, possui várias linhas teóricas que tentam explicar sua origem e seu impacto no mundo atual.A rigor, as sociedades do mundo estão em processo de globalização desde o início da História, acelerado pela época dos Descobrimentos. Mas o processo histórico a que se denomina Globalização é bem mais recente, datando (dependendo da conceituação e da interpretação) do colapso do bloco socialista e o consequente fim da Guerra Fria (entre 1989 e 1991), do refluxo capitalista com a estagnação econômica da URSS (a partir de 1975) ou ainda do próprio fim da Segunda Guerra Mundial.
    No geral a globalização é vista por alguns cientistas políticos como o movimento sob o qual se constrói o processo de ampliação da hegemonia econômica, política e cultural ocidental sobre as demais nações. Ou ainda que a globalização é a reinvenção do processo expansionista americano no período pós guerra-fria (esta reinvenção tardaria quase 10 anos para ganhar forma) com a imposição (forçosa ou não) dos modelos políticos (democracia), ideológico (liberalismo, hedonismo e individualismo) e econômico (abertura de mercados e livre competição).
    Vale ressaltar que este projeto não é uma criação exclusiva do estado norte-americano e que tampouco atende exclusivamente aos interesses deste, mas também é um projeto das empresas, em especial das grandes empresas transnacionais, e governos do mundo inteiro. Nesta ponta surge a inter-relação entre a Globalização e o Consenso de Washington.
    As instituições integrantes do Mercosul, definidas pelo Tratado de Assunção, foram revistas pelo Protocolo de Ouro Preto, em 1994. Por ele, cada país-membro tem um voto e as decisões necessitam ser unânimes. Três são as instâncias decisórias: um Conselho (com funções políticas), um Grupo (com funções executivas) e uma Comissão Técnica.
    O Mercosul foi significativamente enfraquecido pelo colapso da economia argentina em 2002. Alguns críticos acreditam que a negativa de ajuda do governo Bush aquele país na época, foi baseada em um desejo de enfraquecer o Mercosul, já que, teoricamente, os EUA percebem a iniciativa deste mercado como um problema para a sua estratégia politico-econômica para a América Latina[Carece de fontes?]. No entanto, é mais provável que os Estados Unidos tenham deixado de ajudar a Argentina uma vez que esse país latino-americano não transmitia confiabilidade aos mercados internacionais, deixando de honrar seus compromissos financeiros em diversas ocasiões.

    Ana Letícia S. Arruda - Nº 03
    2ºano A, manhã.

    ResponderExcluir
  44. A globalização vem deixando cada vez mais os países mais "próximos" pois estão cada vez mais compartilhando os seus interesses. O capitalismo se espalha cada vez mais pelo mundo e assim há uma necessidade de realizar comércios e criações de blocos econômicos para uma melhor relação e interação entre os países participantes.
    Na América do Sul criou-se o bloco Mercosul (Mercado Comum do Sul) em 26 de março de 1991, através da assinatura do Tratado de Assunção iniciado pelos militares argentinos e brasileiros. Os países integrantes são: Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, o qual está suspenso temporariamente devido a eposição do ex-presidente Fernando Lugo em junho de 2012. Os países associados são: Bolívia e Peru. E a Venezuela está formalizada faz pouco tempo. Esse bolco proporcionou a livre circulação de bens, serviços e produtos entre os Estados membros, através da redução e/ou eliminação das taxas de exportação e importação e a livre circulação de capitais, serviços e pessoas, assim sendo uma forma de crescimento econômico muito importante, principalmente para o Brasil.
    Mas podemos visualizar alguns aspectos negativos como a administração de conflitos de interesse e também a menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do Mercosul, pedindo uma "permissão" o que dificulta a realização de atitudes que poderiam beneficiar o país.



    ALUNA: Júlia Aline Sousa Maciel Nº 23 TURMA: 2 ano A TURNO: manhã

    ResponderExcluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. A globalização é um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural, política, que teria sido impulsionado pela comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. A partir da segunda metade do século XX, intensificou-se o processo de globalização com o aumento da mobilidade das atividades das transnacionais, a introdução de novas tecnologias da informação e das telecomunicações. Vale ressaltar que nem todos os países se inserem na economia global no mesmo ritmo. Com a globalização houve, a partir dos anos 1980, um crescimento do comércio mundial, porém a acentuada concorrência capitalista criou um espaço econômico instável, que exige competitividade. Neste processo, os países subdesenvolvidos participam com apenas 30% desse comércio global.
    -
    Com o avanço nas relações internacionais, foram criadas alianças entre os países. Pactos políticos, econômicos e etc. Eles ajudam a melhorar a interação entre duas ou mais nações. Nas questões de mercado exterior, são fechados acordos a fim de que se reduza ou acabe com as taxas dos produtos negociados. Para isso, foram criados os blocos econômicos. Esses permitem o livre comércio das mercadorias. O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é o bloco econômico que o Brasil faz parte, que é composto por mais três países membros (Paraguai, Uruguai Argentina) e a Venezuela, que ainda está em processo de adesão.
    -
    Com o objetivo de estabelecer mercados supranacionais, em que as fronteiras alfandegárias (são barreiras comerciais estabelecidas pelos governos com o objetivo de controlar o intercâmbio internacional de mercadorias) são reduzidas ou eliminadas. Esse bloco é muito importante para compreender o Brasil no século XXI. O Brasil como país membro do MERCOSUL é o que mais se destaca por sua economia robusta, e pela sua capacidade de interagir com países que fazem fronteira com ele, facilitando sua relação com os mesmos. O Brasil tem participado dos esforços integracionista da América Latina: Tratado de Montevidéu (1960), Associação Latino-Americana de Livre Comércio (ALALC), Associação Latino Americana de Integração (ALADI). O país contribuiu não só para o processo de integração física e de desenvolvimento harmônico, como também para múltiplas modalidades de cooperação no Continente, através do Tratado da Bacia da Prata, de 1969, e do Tratado de Cooperação Amazônica, de 1978. O Brasil é um país com interesses muito diversificados o interesse do país é em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente, a acesso aos recursos financeiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos.

    ResponderExcluir
  47. O mundo atual está cada vez mais dinâmico e os países interdependentes nas relações comerciais, sociais e turísticas. Com a intensa globalização, surgiram vários mercados comuns que contribuem para esse processo, como o MERCOSUL, cujo Brasil está inserido.
    Visitantes brasileiros na Argentina e vice-versa tornou-se frequente, passando para os anfitriões costumes e conhecimentos. Essas trocas culturais elevam as chances do que já vem formando-se: um planeta único e generalizado.
    Além disso, os países mebros interagem economicamente entre si, com maiores vantagens e facilidades, aumentando assim o desenvolvimento de cada nação. Unidos e abertos para o restante do mundo, geram um maior interesse internacional voltado para eles, de modo que mercados como a União Europeia, ou a Zona de livre comercio das Américas (ALCA)já pensam em uma integração com bloco sul-americano.
    Essa mundialização, entretanto, não é completamente positiva, devido aos países subdesenvolvidos ainda estarem numa posição desfavorável na exportação dos produtos. A desigualdade social entre o primeiro e terceiro é um problema constante, que foi acentuado a partir da segunda metade do século XX. Outro fator negativo é a concorrência profissional, de pessoas que vem do exterior para lugares com mão-de-obra menos qualificada, causando o desemprego.
    Com os dados apresentados, torna-se evidente que o MERCOSUL não é ainda a solução de todas as dificuldades mercantis dos membros, mas é um grande avanço para os mesmo. Precisa-se de um aperfeiçoamento, com uma politica de produção e de consumo mais justa e de educação, para que se tenha uma melhora no potencial dos trabalhadores.

    Aluna: Raissa Osias T. de Brito
    Série: 1 ano D ( manhã)
    Número: 41

    ResponderExcluir
  48. O Brasil, por consequência de sua formação histórica e territorial, é um país de subdesenvolvimento, trazendo consigo, marcas que refletem de forma desfavorável, o crescimento e o desenvolver nos campos referentes à economia (corrupção) e os dados analisados pelo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
    Primeiramente é fundamental que, a permanência do mesmo no Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) seja incontestável, muito embora venha estar passando por contrariedades nas relações comerciais com a Argentina em produtos da linha branca, na indústria automobilística, e na exportação agrícola, ainda sim, este bloco econômico, favoreceria a eclosão do país aos níveis de desenvolvimento, um exemplo disto é a integração destes países que atualmente concentram 2 trilhões de dólares, com uma população média de 311 milhões.
    Vale ressaltar que, economistas do mundo inteiro afirmam que as futuras relações socioeconômicas serão feitas a partir de acordos entre tais blocos, algo que de maneira direta, está inteiramente ligado à globalização, sendo de extrema importância, a participação do Brasil, para os grandes negócios que virão em escala mundial.
    Em suma, sabe-se que tais medidas são meramente insuficientes para acabar com estes problemas de elevada complexidade. Entretanto, o investimento na permanência do país no Mercosul , aumentaria consideravelmente o desenvolver da economia e facilitaria as relações com o capital externo.

    Gustavo da Costa Alves – 2º Ano D - Nº 17

    ResponderExcluir
  49. Melissa Antunes M Torres - 2° B - numero: 26 - turno: manhã




    A globalização é um processo de união dos países capitalistas em uma espécie de ”cultura universal”, no que tange assuntos econômicos, sociais, tecnológicos, políticos e midiáticos. Tal interligação é fruto do capitalismo, tendo como base a influencia americana. Atualmente estas atividades aduaneiras apresentam-se em blocos econômicos, indicando o desenvolvimento das nações.
    Na America do sul, o MERCOSUL (Mercado Comum do Sul) é o bloco econômico predominante. Teve inicio com militares argentinos e brasileiros, e com o passar do tempo, outros países como Paraguai e Uruguai aderiram ao bloco. Atualmente, o MERCOSUL é formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Venezuela, tendo como associados Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru. Tem forte influencia no continente, sendo zona de livre circulação de pessoas bens e capitais, chegando a 120 bilhões em trocas de US$.
    O Brasil exerce a liderança no Mercado Comum do Sul, pois sua economia é a mais desenvolvida, tem estabilidade política e um comércio externo adiantado e experiente, como a exportação de produtos semimanufaturados (que possuem maior valor no comercio mundial) o que facilita relações com mercados europeus e asiáticos. Assim, as chances do crescimento econômico brasileiro aumentam, juntamente com a capacidade de influencia no mundo e parcerias estratégicas. Em contrapartida, o MERCOSUL ainda não tem uma moeda única, há vários produtos que pagam tarifas para serem vendidos, dificultando as relações. O crescimento das nações no mundo globalizado se deve as atividades nos blocos econômicos, sendo essencial para a pátria a permanência do bloco.

    ResponderExcluir
  50. BRUNA LIMA DANTAS DE MORAES
    2° E N° 06 TURNO : MANHA
    GEO SUL.
    O MERCOSUL ou mercado comum do sul criado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai surgiu como forma de estabelecer mercados regionais onde as fronteiras alfandegárias são reduzidas ou eliminadas. Pode-se dizer que o MERCOSUL assim como outros blocos comercias é umas das principais características da globalização. Que é marcada pela crescente interdependência entre povos e economias. E os mercados regionais estimulam a integração entre os países.
    Dentro do MERCOSUL o Brasil é o grande mercado por apresentar a maior economia e quase metade da população. Esse bloco ampliou bastante as relações comerciais e financeiras do Brasil com seus vizinhos. Ele tem a economia mais industrializada, sendo o principal mercado para exportações como a do Paraguai fazendo com que tenha uma grande ascensão econômica no bloco tornando-se respeitado. A criação do MERCOSUL também provocou uma maior relação social entre os países vizinhos e faz com que eles não se vejam como inimigos, mais como parceiros comerciais. Essas relações entre os países do sul vão de acordo com o grande processo de expansão global onde a principal característica é a demanda da venda e troca com grandes mercados consumidores.
    Porem essa relação de interdependência entre os países por meio de blocos tem seus aspectos negativos, como por exemplo, no caso de uma crise econômica ou desvalorização monetária em algum país todos os outros também sofrem uma queda ou estagnação em sua economia, pois não terão mercado para vender seus produtos. Nesses momentos de crise as relações entre os membros decrescem foi o que aconteceu em 1999 com a grande desvalorização da moeda brasileira que causou uma crise. Outros problemas também ocorrem como a competitividade entre as indústrias dos outros países, mas fato é que o MERCOSUL integrou bastante as relações entre os países da America latina.

    ResponderExcluir
  51. A globalização é um dos processos de aprofundamento e integração econômica, social, política e cultural, que teria sido impulsionada pelo barateamento dos meios de transporte e a comunicação dos países no mundo, no final do século XX e início do XXI.
    Gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo em formar uma aldeia global, ou seja, uma interligação do mundo, que permita maiores mercados para os países desenvolvidos, cujos mercados internos já estejam saturados.
    O crescente processo de globalização tem despertado nos países o interesse na formação de blocos econômicos, para o fortalecimento das economias, visando um mercado cada vez mais competitivo, e assim atenderem aos anceios da população em maximizar as riquezas e diminuir as desigualdades socias.
    Em meio a esse contexto, criou-se o MERCOSUL (mercado comum do sul), um projeto de integração regional, instituído a partir do tratado de Assunção, na década de 1991. Uma aliança comercial que visa a dinamização da economia regional, movimentando entre si mercadorias, pessoas, força de trabalho e capitais. Houve o estabelecimento de uma Tarifa Externa Comum (TEC), a harmonização de legislações nas áreas pertinentes. Apresentando pontos positivos,como: o aumento do comércio intrazona, mas também o estímulo às trocas com terceiros países, maior força política e econômica dentro da economia mundial, redução ou eliminação das tarifas alfandegárias entre os integrantes. Há também, alguns aspectos negativos: administração de conflitos de interesse, menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do Mercosul, acontecendo uma crise econômica em algum dos países membros, pode afetar os demais.
    O Brasil, tem notada participação no bloco, obtendo a maior e mais industrializada economia, já é o principal mercado para as exportações do Uruguai, Paraguai e até da Argentina, as relações comerciais e financeiras com os seus vizinhos ampliaram e a questão turística do Brasil com esses países é bem positiva.

    Aluna: Carolina Dias de Carvalho
    2ºB n°: 10 turno: manhã

    ResponderExcluir
  52. A aliança de países da América do Sul ( Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai ), busca um intercâmbio de mercadorias, tecnologias e de profissionais, maior do que vinha sendo praticado, e uma redução gradativa ou eliminação de tarifas cambiais. A livre circulação, de bens, serviços e capitais e o tratamento nas relações comerciais para o aprimoramento da competitividade dos agentes econômicos intra-bloco, tendo-se em vista melhor inserção econômica em um cenário internacional caracterizado pela globalização dos circuitos produtivos financeiros e pela consolidação dos blocos regionais de comércio, num contexto histórico pós-guerra fria marcado pelo influxo das novas tecnologias de informação e das novas organizações enxutas e flexíveis porém os esboços deste acordo datam da década de 1980, quando Brasil e Argentina assinaram vários acordos comerciais com o objetivo de integração. Chile, Equador, Colômbia, Peru e Bolívia poderão entrar neste bloco econômico, pois assinaram tratados comerciais e já estão organizando suas economias para tanto. Participam até o momento como países associados ao Mercosul.
    Espera-se que o Mercosul supere suas dificuldades e comece a funcionar plenamente e possibilite a entrada de novos parceiros da América do Sul. Esta integração econômica, bem sucedida, aumentaria o desenvolvimento econômico nos países membros, além de facilitar as relações comerciais entre o Mercosul e outros blocos econômicos, como o NAFTA e a União Européia. Economistas renomados afirmam que, muito em breve, dentro desta economia globalizada as relações comerciais não mais acontecerão entre países, mas sim entre blocos econômicos. Participar de um bloco econômico forte será de extrema importância para o Brasil, futuramente, há planos para a adoção de uma moeda única, a exemplo do fez o Mercado Comum Europeu.

    ResponderExcluir
  53. Desde as primeiras noções de industrialização implantadas no Brasil, tornou-se extremamente necessário o crescimento de sua economia, que se encontrava bem atrasada em relação a outros países, com mudanças das prioridades de investimento nos meios de produção, a busca da aplicação do capital estrangeiro para o desenvolvimento industrial no país e conquista de novos mercados consumidores. Esta preocupação com a economia acontece em campo mundial e intensifica-se no período após a Guerra Fria, quando a corrida entre as grandes potências sofre uma mudança no foco de competitividade: das guerras para a indústria (sem deixar de lado a disputa por áreas de influência que sempre acompanhou a expansão econômica e o investimento dado ao mercado armamentista). Assim, tornou-se mais forte o processo de globalização no mundo, abrindo portas para novos confrontos, acordos, mercados, negociações, crescimentos e crises, chegando a interferir na cultura de cada lugar.
    O Mercado Comum do Sul ou MERCOSUL surge em 1991, inicialmente com quatro integrantes: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, com o objetivo de estabelecer mercados supranacionais ou blocos comerciais, em que as fronteiras alfandegárias – tarifas de importação e exportação de bens e serviços, proibições e restrições – são comuns aos membros, reduzidas ou eliminadas. Em nosso país, representou uma nova fase de relações comerciais e financeiras com seus vizinhos. Para analisar seus interesses, observamos o Brasil com preferência a um sistema multilateral de comércio, na qual sua inserção na economia mundial busca mais que o comércio de mercadorias; diz respeito a acesso dos recursos financeiros e à tecnologia. O MERCOSUL, como uma zona livre de comércio, pode ser considerado o fator mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras.
    Em suma, tanto a própria globalização quanto seus adventos, como o MERCOSUL, podem ser divididos em dois fatores: positivos e negativos. Já que se trata da junção de países (governos, economias e culturas diversas), existem relações que vão beneficiar alguns e prejudicar outros, a exemplo de Brasil e Argentina, em que alguns setores industriais argentinos foram comprometidos pelas exportações brasileiras; no caso de uma crise econômica ou desvalorização monetária em um país, todos os outros também sofreram com queda ou estagnação da economia. Vemos também a homogeneização das culturas, tendo a mídia como principal ferramenta. Desta forma, a globalização caminha, sem dúvidas, para muitas mudanças e causará bem mais consequências a nível mundial.

    Aluna: Mirella França Nunes Vitorino; nº 34
    2º ano E; Turno: manhã

    ResponderExcluir
  54. Lucas Fernandes da Silva, 2º. Ano C-Manhã, Número 29.

    GLOBALIZAÇÃO, BRASIL X MERCOSUL (aspecto positivo/negativo)

    O modelo econômico capitalista, movido pela necessidade de conquistar novos mercados, desenvolvesse para o processo de integração econômica, cultural, social e política, promovendo desta forma a mundialização do espaço geográfico, ou seja: A globalização.

    O modelo globalizado levou muito países a se unirem, formado blocos econômicos (União Europeia, O MERCOSUL, Nafta, etc.) com o objetivo de se fortalecerem, quer com o aumento das relações comerciais entre si, quer com o fortalecimento nas relações comerciais internacionais. O Brasil ao integrar-se ao Mercosul, ganha peso nas negociações internacionais, já que passa a negociar não mais individualmente, mas como bloco diante de outros blocos econômicos, além do próprio bloco que também representa um mercado potencial.

    O Brasil, capitalista e membro efetivo do Mercosul, possui sua economia aberta ao mercado internacional, isto é, participa ativamente do mundo globalizado. Esta abertura nos permiti ter acesso aos produtos internacionais, muitas vezes mais baratos ou melhores do que os fabricados no Brasil, (Aspecto positivo). Por outro lado, estes produtos (Chineses e Paraguaios, etc.), muitas vezes, entram no mercado brasileiro com preços muitos baixos, provocando uma competição injusta com os produtos nacionais e levando empresas à falência e gerando desemprego em nosso país (Aspecto negativo). Outros pontos negativos da globalização são: As crises econômica em um país ou bloco econômico de grande importância, que se espalham pelos quatro cantos do mundo, gerando desemprego, falta de crédito nos mercados, falências de empresas, diminuição de investimentos e muita desconfiança (EUA em 2008, Europa 2011), transferência de empresas e empregos, etc.

    Referências Bibliográficas:
    http://www.melo-geografia.blogspot.com.br/p/sobre-globalizacao.html
    http://aprovadonovestibular.com/resumo-globalizacao-o-que-e-globalizacao.html
    http://www.mundoeducacao.com.br/geografia/o-que-globalizacao.htm
    http://www.suapesquisa.com/globalizacao/brasil_globalizacao.htm
    http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/mercosul/mercosul.php

    ResponderExcluir
  55. Podemos dizer que a globalização é um processo econômico, social, cultural e política que estabelece uma integração entre os países e as pessoas do mundo todo, que deixam as distâncias cada vez mais curtas, facilitando as relações culturais e econômicas de forma rápida e eficiente.
    Esse processo de globalização tem seu lado positivo, pois gera emprego, facilidades e rapidez em conseguir informações, surgimento de novas tecnologias e cada vez mais avançada, facilita a vida e a convivência entre os países,melhor comunicação,estimula o crescimento econômico ,aumento do comércio mundial, formação de blocos econômicos e a presença de multinacionais pelos continentes, permite usufruir do produto mais barato e serviço mais eficiente de cada país (brinquedos da China, por exemplo).Mais tem seu lado negativo que são: Desvalorização de culturas,exploração de mão de obra barata,causa drásticos impactos ambientais,Os países desenvolvidos exploram os sub-desenvolvidos,Influência no aquecimento global, desigualdades sociais, xenofobia, racismo, preconceito,Intensificação dos conflitos (políticos, religiosos, étnicos), migração intensa (refugiados),diferenças acentuadas de desenvolvimento entre os países (ricos + ricos, pobres + pobres).
    Para aumentar a velocidade do processo da Globalização, e melhorar seu desenvolvimento o Brasil entrou no MERCOSUL e ser torno o mais importante projeto de política externa do Brasil. o MERCOSUL representa hoje um agrupamento regional economicamente pujante e politicamente estável, que tem sabido aproveitar os ensinamentos e as oportunidades da globalização e tem, assim, atraído, cada vez mais, o interesse de todo o mundo.
    O Brasil como país membro do Mercosul é o que mais se destaca por sua economia, e pela sua capacidade de interagir com países que fazem fronteira com ele, por esse motivo facilita e de certa maneira força a relação com os mesmos. Por fazer contato com outros blocos da Europa ele acaba mostrando certa experiência de negociação política e econômica. Portanto, é importante a permanência do Brasil no MERCOSUL, tanto para as relações econômicas, políticas e até mesmo sociais entre seus vizinhos do sul.


    Bianca Ferreira - 2 ano D - Numero 06



    ResponderExcluir
  56. Ewellyn Mary P de Freitas - Número:16
    2° Ano E

    A globalização é uma integração em caráter econômico, político, social e cultural em diversos países. Ela tornou o mercado internacional mais competitivo e a proximidade entre os países foi necessária para que pudessem se fortalecer economicamente. Os blocos econômicos foram criados com o propósito de permitir uma maior integração econômica e o livre comércio de mercadorias.
    O Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai se reuniram e assinaram o Tratado de Assunção, com vistas a criar o MERCOSUL (Mercado Comum do Sul). O objetivo era a integração dos países na livre circulação de bens, serviços e favores produtivos, do estabelecimento de uma Tarifa Externa Comum (TEC). No ano de 1995, foi instalada a zona de livre comércio entre os países membros. A partir desse ano, cerca de 90% das mercadorias produzidas nos países poderiam ser comercializados sem tarifas comerciais. O Brasil como país membro do MERCOSUL é o que mais se destaca por sua economia, e pela sua capacidade de interagir com países que fazem fronteira com ele, por esse motivo facilita e de certa maneira força a relação com os mesmos.
    Algumas vantagens para o Brasil é o grande desenvolvimento parque industrial, que supera os outros países do bloco; a entrada de produtos dos outros países com baixo custo e boa qualidade; a expansão de empresas de nosso país, já que com o bloco de uma forma fica mais fácil; maiores investimentos estrangeiros. Existem diversas vantagens, mas também há desvantagens, a infra-estrutura do país, já que a Argentina conta com boas rodovias e portos bem equipados, excelentes para o escoamento da produção; a agricultura da Argentina que possui vantagens em relação à brasileira, pois seus solos são mais férteis; a moeda única se não for bem discutida poderá tornar-se um problema para o desenvolvimento.
    Para que o Brasil se torne uma grande potência é preciso que ela permaneça no MERCOSUL, pois sua interação com seu mercado não só com os países aliados mas com todo o mundo é grande, o que faz como disse anteriormente, crescer a economia e o desenvolvimento político-social. E com certeza, a parceria que esses países tem é o que faz todos saírem ganhando.

    ResponderExcluir
  57. O Brasil possui uma economia aberta ao mercado internacional, ou seja, nosso país vende e compra produtos de diversos tipos para diversas nações. Fazer parte da globalização econômica apresenta vantagens e desvantagens. No aspecto cultural os pontos são mais positivos do que negativos. Com a globalização, os brasileiros podem ter acesso ao que ocorre no mundo das artes, cinema, música, etc. Através da televisão, internet, rádio, cinema e intercâmbios culturais, podem ficar conectados ao mundo cultural internacional.
    Conhecimentos científicos, artísticos e tecnológicos chegam ao Brasil e tornam nossa cultura mais dinâmica e completa. Por outro lado, a cultura brasileira sofre com essa influência musical e comportamental maciça, principalmente originária dos Estados Unidos. As músicas, os seriados e os filmes da indústria cultural norte-americana vão espalhando comportamentos e gostos que acabam diminuindo, principalmente entre os jovens, o interesse pela cultura brasileira.
    O MERCOSUL como uma zona de livre comércio em seu estágio final de conformação, pode ser visto como fator mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros. Em relação ao MERCOSUL podemos citar como principais pontos positivos : ampliação do mercado para produtos brasileiros e maior força política e econômica dentro da economia mundial.já os principais pontos negativos são : administração de conflitos de interesse e menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do MERCOSUL.



    Maiza lucena 2º ano B nº25 Geo Sul

    ResponderExcluir
  58. Com a economia globalizada, existe uma necessidade comercial de ocorrer a formação de blocos econômicos que tem como principal intuito dinamizar comercio e avançarem no atual mercado econômico mundial, para isso reduzem os impostos e as tarifas alfandegárias, facilitando assim as relações entre os mesmo. Essa relação ocorre geralmente entre países vizinhos, originando assim uma grande margem de lucro para os membros do bloco.
    Atualmente o Brasil faz parte do MERCOSUL , junto com a Argentina, Uruguai e Paraguai, sua participação ocorre desde da formação do bloco em 1991. As vantagens de o Brasil estar nesse bloco são visíveis, entre elas está o acesso a produtos internacionais, muitas vezes mais baratos e geralmente com uma maior qualidade, livre circulação de cidadãos entre os países membros e até mesmo a tendência de abrir novos mercados e investimentos estrangeiros. Apesar disso ocorre um grande índice de desvantagens entre elas a falência de empresas nacionais que tinham que concorrer com os produtos estrangeiros que possuíam uns preços muito baixos em relação aos nacionais, gerando assim um grande desemprego.
    Para o Brasil permanecer no MERCOSUL é a sua melhor escolha já que é um dos países mais beneficiados do bloco, a geração de lucro decorrente da sua participação, fez com que ocorresse um aumento na sua economia.

    Larissa Ingrid Oliveira da Silva-2ºA Manhã






    ResponderExcluir
  59. A Globalização é um sistema de integração econômica, cultural, social e política, e um fenômeno gerado pela necessidade do capitalismo de conquistar novos mercados, principalmente o mercado atual. A intensificação Global aconteceu na década de 70, e ganhou grande velocidade na década de 80. Vários dos motivos para essa aceleração é o alto desenvolvimento de novas tecnologias.

    O Brasil se encontra nos países subdesenvolvidos, devido a ma distribuição de renda. Geralmente as exportações brasileiras para os parceiros no MERCOSUL aumentaram consideravelmente em importância nos últimos três anos, desde 1991, quando foi assinado o Tratado de Assunção. Cresceram de 2,3 para US$ 5,4 bilhões em 1993, passando, em termos percentuais, de 7.3% para 13.9% do total, em ritmo nitidamente superior às exportações destinadas ao resto do mundo, isso se deve ao câmbio mais realista adotado até agora pelo Brasil; os moderados, e à competitividade das empresas.

    Esse resultado não pode, contudo, ser interpretado como indicativo de que deva ser necessariamente convertido, a qualquer preço, em uma união aduaneira à qual passe a se subordinar a inserção econômica internacional do Brasil. Á política comercial do Brasil não se esgota, nem pode ser conduzida através do mesmo, passando a depender do consentimento de países cuja natural inclinação é manter exclusivas as preferências de que gozam no mercado brasileiro.

    Elioenas Batista de Sousa 2º ano D nº12 Geo Sul

    ResponderExcluir
  60. Globalização, é o crescimento da interdependência de todos os povos e países do mundo.Alguns falam em “aldeia global”, pois parece que o planeta está ficando menor e todos se conhecem(assistem a programas semelhantes na TV, ficam sabendo no mesmo dia o que ocorre no mundo inteiro),por exemplo: alguém vê hoje uma indústria de automóveis que fabrica um mesmo modelo de carro em montadoras de 3 países diferentes e os vende em outros 5 países. As empresas não ficam mais restritas a um país, seja como vendedora ou produtora.
    Um dos efeitos negativos do intercâmbio maior entre os diversos países do mundo, é o desemprego que, no Brasil, vem batendo um recorde atrás do outro. A necessidade de modernização e de aumento da competitividade das empresas, produziu um efeito muito negativo, que foi o desemprego. Para reduzir custos e poder baixar os preços, as empresas tiveram de aprender a produzir mais com menos gente. Incorporavam novas tecnologias e máquinas. Houve também o aumento da distância e da dependência tecnológica dos países periféricos em relação aos desenvolvidos.
    Para sustentar o processo de globalização da economia sem acelerar a onda do desemprego e sem engrossar, em todo o mundo, a multidão de trabalhadores que hoje não encontram o que fazer é identificar e aproveitar as oportunidades que estão surgindo de uma economia internacional cada vez mais integrada.

    Tereza Leandro, 2º ano E, turno: manhã, nº: 47

    ResponderExcluir
  61. Gabrielle Cabral Nº 14
    2°ano A Geo Sul


    O Brasil é, fundamentalmente, um global trader com interesses muito diversificados e natural preferência por um sistema multilateral de comércio. O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente , a acesso aos recursos finaceiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos.
    Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento limitado à área de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial. De qualquer modo, a integração regional não deve se circunscrever ao Mercosul, mas incluir todos os nossos vizinhos da América do Sul, como previsto na iniciativa brasileira de constituição de uma Área de Livre Comércio Sul Americana — ALCSA. O Mercosul, como uma zona de livre comércio em seu estágio final de conformação, pode ser visto como fator mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros. Contudo, a conversão do Mercosul em união aduaneira deverá ser conduzida com cuidado, a fim de evitar que sua tarifa externa comum se transforme em restrição indevida da capacidade do Brasil de formular e executar políticas comerciais e industriais requeridas por seus objetivos de desenvolvimento.
    Hoje, em nosso país, o que se constata é a inexistência de uma política articulada, em termos industriais ou comerciais. O que existe, ou persiste, é a ideologia neoliberal de desarmamento comercial unilateral — a denominada inserção competitiva no mundo —, para a qual se empenhou o Governo Collor. Um processo que privilegiou a importação de produtos de consumo sofisticados sem gerar aumento correspondente de nossas exportações e à custa da industrialização e do emprego, como se incrementos de produtividade pudessem ser avaliados, empresa por empresa, pela economia de mão-de-obra.

    ResponderExcluir
  62. Nação incorporada à economia capitalista e com alianças culturais com múltiplos países do globo, o Brasil está envolvido nas atividades do mundo globalizado e recebe a denominação de global trader, ou seja, um país que negocia com o mundo inteiro, possuindo sua economia aberta.

    A vantagem da participação ativa do Brasil no mercado internacional é a possibilidade da aquisição de produtos oriundos de outros países e que muitas vezes competem com o produto nacional, porém há controvérsias quando afirmamos que isto é um benefício, uma vez que muitas empresas nacionais não conseguem acompanhar o rítmo de preços exageradamente baixos e acabam falindo. No aspecto econômico, como o Brasil está integrado ao mercado financeiro internacional é comum o recebimento de investimentos estrageiros, especialmente através da Bolsa de Valores, trazendo capitais ativos para o país, porém quando acontece uma crise mundial nós somos diretamente afetados visto que os investidores tendem a retirar o dinheiro do território. No aspecto cultural, com a globalização, os brasileiros têm acesso ao que acontece na música, nas artes e no cinema, possibilitando o conhecimento através da internet, rádio e por meio de intercâmbios, portanto gerando compreensão artística, científica e tecnológica, no entanto o país sofre com essa influência que é principalmente originária dos Estados Unidos, fazendo com que o interesse pela cultura nacional diminua.

    O empenho do Brasil em uma inclusão na economia mundial vai além do tráfico de produtos, está relacionada a entrada do capital finaceiro e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos, já que esta exigência surgiu no decorrer da globalização. O Mercosul é um dos fundamentais pólos de investimento do mundo, o argumento para este sucesso deve-se a classificação de principal reserva de recursos naturais do planeta e por ser a quarta economia mundial. O objetivo do Brasil em participar deste bloco deve-se a sua necessidade de maior atuação no cenário internacional além de que os países membros possuem uma facilidade de comércio entre si, podendo obter uma maior escala de produção para todos. O que estes países fizeram (Uruguai, Brasil, Paraguai e Argentina) foi apenas se unir e atingir uma melhor colocação no mercado internacional. Denomino, de modo coloquial, a relação do mercosul de “Mutualística” pois ambas as nações obtém e obtiveram grande desenvolvimento.

    Apesar de ser uma potência em desenvolvimento o Brasil apresenta características de país desenvolvido e é isto que o torna tão qualificado no mercado internacional. A globalização ativa aplicada no Brasil trás vantagens e desvantagens, mas é necessária para o desenvolvimento do próprio país. Com o Mercosul existe uma tendência de maior crescimento econômico, científico e tecnológico para a nação, melhorando a ampliação do nosso mercado.

    Aluno: Matheus Rabelo Lisboa Melo
    Turma: 2º ano A
    Número: 35

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *Professor, só utilizei 4 parágrafos pois este é o mais adequado para redações do tipo argumentativas. Obrigado!

      Excluir
    2. Muito bem Matheus.
      Sábia observação e aliás suas considerações no texto estão bem fundamentadas.

      Excluir
  63. A globalização é oriunda de evoluções ocorridas, principalmente, nos meios de transportes e nas telecomunicações, fazendo com que o mundo “encurtasse” as distâncias. No passado, para a realização de uma viagem entre dois continentes eram necessárias cerca de quatro semanas, hoje esse tempo diminuiu drasticamente. Um fato ocorrido na Europa chegava ao conhecimento dos brasileiros 60 dias depois, hoje a notícia é divulgada em tempo real. Esse processo de globalização surgiu para atender ao capitalismo e, principalmente, os países desenvolvidos; de modo que pudessem buscar novos mercados, tendo em vista que o consumo interno encontrava-se saturado. A globalização é a fase mais avançada do capitalismo. Com o declínio do socialismo, o sistema capitalista tornou-se predominante no mundo. A consolidação do capitalismo iniciou a era da globalização, principalmente, econômica e comercial.
    O Mercado Comum do Sul ( Mercosul ) foi criado em 26/03/1991 com a assinatura do Tratado de Assunção no Paraguai. Os membros deste importnate bloco econômico na América do Sul são os seguintes países: Argentina, Brasi, Uruguai e Paraguai (suspenso temporariamente do bloco e função da deposição do ex-presidente Fernando Lugo em junho de 2012) e Venezuela. A suspensão do Paraguai irá até abril de 2013, quando ocorrerão eleições no país. Embora tenha sido criado apenas em 1991, os esboços deste acordo datam da década de 1980, quando Brasil e Argentina assinaram vários acordos comerciais com o objetivo de integração. Chile, Equador, Colômbia, Perú e Bolívia poderão entrar neste bloco econômico, pois assinaram tratados comerciais e já estão organizando suas economias para tanto. Participam até o momento como países associados ao Mercosul. No ano de 1995, foi instalada a zona de livre comércio entre os países membros. A partir deste ano, cerca de 90% das mercadorias produzidas nos países membros podem ser comercializadas sem tarifas comerciais. Alguns produtos não entraram neste acordo e possuem tarifação especial por serem considerados estratégicos ou por aguardarem legislação comercial específica
    Suas vantagens são: O Brasil conta com um grande e desenvolvido parque industrial, que supera os outros 4 países do bloco. O turismo, que em Santa Catarina atrai uma grande quantidade de Argentinos no período de verão; com o Mercosul cria-se uma integração maior neste setor. A entrada de produtos dos outros países com baixo custo que até certo ponto pode ajudar com que exista uma queda de preços já que existe uma competição pelo melhor preço e qualidade. As empresas de nosso estado e nossa região, como Sadia e Perdigão que poderão cada vez mais expandir seus mercados, já com o bloco de uma forma mais fácil. Os países do Mercosul começarão a despertar maiores interesses para investimentos estrangeiros fazendo com que a economia de cada país cresça ainda mais. E suas desvantagens: A agricultura Argentina que possui vantagens em relação à brasileira, pois seus solos são mais férteis que os nossos. A língua, que pode se tornar um entrave. Já que 4 países falam espanhol, mas o Brasil que fala português possui a maior população. A moeda única, que como a língua, se não for bem discutida poderá tornar-se um problema para o desenvolvimento do Mercosul. A cultura, que fica ameaçada por haver vários contrastes de país para país e possivelmente um conflito neste setor. Por vivenciar a cultura de outro país, a do nosso país pode perder sua importância. E a infra-estrutura, já que a Argentina e o Chile contam com boas rodovias e portos bem equipados, excelentes para o escoamento da produção.
    Rayana Diniz; 2 ano E

    ResponderExcluir
  64. Globalização veio ajudar os países nas dificuldades e melhorar as qualidades, fazendo assim que o todo os países do mundo pode-se se desenvolver de forma igual.Mas para o capitalismo a globalização abriu novos mercados a ser explorados novas formas de venda novas formas de mexer na economia, cultura entre outras.Com a internet a comunicação melhoro de certa forma que quase tudo hoje você encontra na internet.
    Com todos esses avanços as indústrias viu uma grande oportunidade de expandir seus negócios para outros países fazendo um grande ‘império’ atrás do seu nome, mas elas procura lugares onde a mão de obra seja barata e que os trabalhador não tem uma qualificação para o trabalho para poder lucrar mais.Isso faz que o capitalismo cresça de forma desigual em casa país fazendo assim que países tenham mais desenvolvimento que outros dessa forma a globalização nunca vai acabar. Se olharmos de outro ângulo podemos perceber que isso pode ser uma jogada das indústrias para que nunca acabe esse bom momento de expandir seus negócios e alta faturação.
    Para o Brasil o MERCOSUL possibilita um comércio livre entre os países membros sem tarifas entre eles. O Brasil lidera esse bloco econômico. O fato de as mercadorias circularem livremente entre os países participantes, favorece muito o comércio exterior brasileiro, além dos investimentos que são destinados para suprir as necessidades de melhor a qualidade dos produtos negociados e torná-los mais competitivos no mercado internacional.


    Bruno Michel R. de Oliveira -2 ano F Nº:11

    ResponderExcluir
  65. A globalização é a resposta do sistema econômico chamado capitalismo que tem como objetivo de aumentar as riquezas. Tal processo teve forte crescimento na década de 80, setores da atividade econômica mundial passaram a ficar integrados, ou seja, sempre trabalhando uniformemente no objetivo na ascensão econômica principalmente das potencias.
    A globalização é um processo demorado e que exige que os países tracem metas, nas quais é muito visada a entrada em grandes blocos econômicos. Por tais objetivos foi criado o MERCOSUL (Mercado Comum do Sul) um bloco que tem como fieis participadores os países: Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai. Entre esses países ocorre maior facilitação para comercialização. Porém Nesse mesmo bloco econômico acontecem alguns conflitos como: Os conflitos comerciais entre Brasil e Argentina.
    O Mercosul está caminhado para ser um dos maiores blocos econômicos mundiais. A América do Sul sai ganhando com o avanço deste, pois esta integração econômica aumenta o desenvolvimento econômico dos países participantes do acordo. Economistas promovem expectativas para que no futuro as relações econômicas não aconteçam mais entre os países, mas sim a parti de blocos econômicos e por isso é importante que o Brasil se mantenha nesse grupo e que o mesmo continue fortalecendo-se economicamente


    Vitória Almeida Gomes 2º Ano B Nº 45

    ResponderExcluir
  66. Maria Clara Inácio de França Fonsêca , n: 30, 20 ano E; Geo Sul
    A globalização se desenvolveu a partir da Revolução Industrial, é uma forma de incluir socialmente, politicamente e economicamente os países de industrialização tardia, para abranger as relações de mercado dos países desenvolvidos que estavam superproduzindo. É uma forma de “capitalizar” o mundo e tornar os tratos comerciais mais fáceis. Isto é o que faz cada vez mais os países perderem muito de suas culturas e formas de se relacionar
    O Mercosul é um importante bloco econômico da América do Sul formado pelos seguintes: Argentina, Brasil, Uruguai, Venezuela e Paraguai que está temporariamente suspenso. É visível que o Brasil está crescendo muito no seu campo industrial e de que esse bloco é de certa forma lucrativa e que ele esta com vantagens em relação aos outros 4 países.
    Essas relações têm suas desvantagens: a Argentina possui um solo mais fértil que o nosso, os outros quatro integrantes falam a mesma língua no caso o espanhol o que pode ser um empecilho, a infraestrutura avançada da Argentina e a ameaça a nossa cultura que com tantas influências pode ser prejudicada. Mas acredito que o Brasil deve continuar nesse bloco pelas suas vantagens: O turismo, muitos Argentinos são atraídos no verão para Santa Catarina, o baixo custo de produtos dos outros países que pode ajudar com que exista uma queda de preços já que existe uma competição pelo melhor preço e qualidade, as empresas de nosso estado e nossa região, como Sadia e Perdigão que poderão cada vez mais expandir seus mercados, já com o bloco de uma forma mais fácil.

    ResponderExcluir
  67. Marcado pela ideologia econômica de liberalismo e pela rapidez e facilidade com que as transações financeiras eram realizadas, no processo de globalização obtêm-se um aumento acirrado da concorrência. Na ânsia de de obter rápido crescimento os países começaram a estabelecer mecanismos diplomáticos e comerciais que aproximassem cada vez mais as nações, com isso começou a surgir as ideias sobre a criação de blocos econômicos.
    Na América do Sul com o objetivo de atender as exigências dos fenômenos de globalização foi criado o MERCOSUL(Mercado Comum do Sul). Há, no entanto, aspectos tanto positivos quanto negativos a cerca desse método de integração entre países. No que concerne aos métodos negativos há referência a rapidez com que tudo circula não havendo um controle o que pode causar situações como os atentados de 11 de setembro nos Estados unidos, além da grande instabilidade econômica que se cria, pois qualquer fenômeno que acontece num determinado país atinge rapidamente os outros, criando uma relação de extrema dependência entre eles. Como aspectos positivos está a facilidade com que as inovações se propagam entre países e continentes, o acesso fácil e rápido à informação e aos bens.
    Portanto participar de um bloco econômico forte será de extrema importância para o Brasil, pois esta integração, bem sucedida, aumentará o desenvolvimento do país, e facilitará as relações comerciais com outras nações. Além disso, visto que muito em breve, dentro desta economia globalizada as relações comerciais não mais acontecerão entre países, mas sim entre blocos econômicos.

    MAYLLA CAVALCANTE DE LACERDA
    2° ANO B- N° 27
    GEO SUL

    ResponderExcluir
  68. Aluna: Laís Medeiros Diniz
    Número: 23 Turma: 2º ano C
    Devido à intensa globalização que domina o mundo, percebe-se uma maior interligação social e econômica entre as nações, que pode ser considerada como consequência de uma necessidade dinâmica do capitalismo para formar uma "aldeia global". Vale salientar que tal circunstância foi propícia para a expansão econômica dos países, que antes eram apenas restritas nacionalmente. Tendo em vista as novas necessidades de interligação, foram criados blocos econômicos com o objetivo de intensificar as relações socioeconômicas e comerciais entre os países membros.
    Aplicando esses conceitos, foi criado o Mercosul com o objetivo de estabelecer mercados regionais em que as fronteiras alfandegárias fossem reduzidas entre os países membros. O Brasil, detendo a maior participação econômica no bloco, vem se tornando também o principal mercado de exportações. Além disso, aproximou-se da Argentina (antigo rival das exportações para os mercados europeus e norte-americanos), proporcionando uma economia bastante diversificada.
    Com tudo isso, é visível o interesse brasileiro em manter-se no Mercosul, apoiado pela intensa globalização, favorecendo a interligação da sua economia com as dos demais países membros, produzindo um grande mercado consumidor. O principal ponto positivo dessa situação é a “independência” do capital norte-americano, que sempre influenciou o Brasil, tanto historicamente como comercialmente. E essa autonomia está sendo refletida no aprimoramento econômico que é visível ao longo desses últimos anos.

    ResponderExcluir
  69. A globalização da economia e o Mercosul

    Uma das melhores definições de globalização de economia -
    A globalização funciona na prática como a abolição das fronteiras nacionais para assuntos econômicos: num primeiro momento em função do estabelecimento de grandes blocos como MCE, Nafta, Mercosul, etc, e num segundo momento para privilegiar a qualidade e produtividade em vez considerações patrióticas.Com isso, ganha, em última análise, o consumidor, que pode comprar produtos cada vez melhores a preços cada vez menores, sem sequer ter idéia de onde é feito o produto que consome.
    Evidentemente que muitos segmentos da indústria nacional, - e isso aconteceu em todos os países, - vão sofrer intensamente os efeitos da concorrência internacional e fechar as portas. Isso está ocorrendo por exemplo na indústria têxtil e na de calçados.
    No entanto, em ambos os segmentos, empresários que se prepararam para a guerra, colocaram suas empresas na linha de frente usando tecnologia e recursos moderníssimos e enfrentando de igual para igual os melhores de todo o mundo, como é o caso da indústria aeronáutica e calçadista .
    O que não é justo é o consumidor pagar mais caro para financiar a incompetência de quem, durante todos os anos em que nossas fronteiras estiveram fechadas, não reinvestiu para melhorar a qualidade, a produtividade, a garantia, o atendimento ao cliente, o design, etc.
    O desemprego, que está aparecendo como um grave problema em todo o planeta, é na verdade é uma mudança no conceito de emprego, na relação de trabalho, com a mesma intensidade e importância que teve a evolução da sociedade agrária da Idade Média, da subordinação do servo ao senhor, para a sociedade industrial dos séculos 18 e 19 quando surge o capitalismo.
    O desocupação não é conseqüência da globalização, e nem esta daquela. Claro que interagem, mas são rios diferentes correndo para o mesmo mar, que será a construção de um novo modelo de sociedade neste início do século 21.
    O Mercosul, o bloco econômico do qual participamos, está permitindo um intenso, rápido e eqüitativo desenvolvimento dos seus parceiros. Claro que, com essa crise econômica global que estamos vivendo, alguns setores daqui sofrem mais, outros setores de lá também, ajustes são necessários, mas ao final, as populações de todos os países só tem a ganhar com o intercâmbio dos negócios entre as nações membros e com o incremento cada vez maior de suas relações em todas as áreas.O MERCOSUL ESTÁ COMPREENDIDO ENTRE OS SEGUINTES PAÍSES: BRASIL,ARGENTINA,URUGUAI E PARAGUAI.

    AMANDA RAQUEL M. DOMINGOS
    2º ano G (TARDE)

    \

    ResponderExcluir
  70. OTONIEL MARINHO CHAVES Nº38 - 2º ANO 'A' - GEO SUL

    A globalização é a fase mais avançada do capitalismo e proporciona uma maior interação entre as nações, influenciando, principalmente na economia, política e cultura das mesmas. Tal integração entre os países resultou na formação de blocos econômicos como exemplo a União Europeia, a Nafta, a Apec e o MERCOSUL.Esse blocos foram criados com a finalidade de facilitar o comércio entre os países membros bem como fortalece-los
    politico-economicamente.O processo de globalização trouxe incontáveis vantagens das quais podemos citar suncitamente a diminuição de custo e o aumento da qualidade dos produtos, a facilitação da comunicação, a ascenção tecnológica e melhoria dos meios de transporte; e como desvantagem houve uma grande uniformização de padrões econômicos e influências culturais, bem a concentração de riquezas.

    O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), criado em 1991, no qual o Brasil está inserido inicialmente com o Uruguai, Paraguai, Argentina e Venezuela e, posteriormente, ingressaram o Chile, Equador, Colômbia, Peru e Bolívia, que permanecem até hoje. Esse bloco teve como objetivo a livre circulação de pessoas, de mercadorias e serviços, ou seja, uma globalização entre países da América do Sul. O Brasil, que antes só exportava matéria-prima, passa a exportar produtos industrializados e semimanufaturados que possuem maior valor no mercado global, ampliando, dessa forma, sua participação no mercado internacional e emergindo economicamente. O país é, em seu bloco, a economia mais desenvolvida e isso facilita suas relações com mercados europeus e asiáticos, o que aumenta, consideravelmente, as chances do crescimento econômico brasileiro.

    Entretanto, o MERCOSUL ainda apresenta pontos negativos como por exemplo: não possui uma moeda única, há vários produtos que pagam tarifas para serem vendidos, dificultando as relações. Com isso, podemos observar que o MERCOSUL não é ainda a solução de todas as dificuldades mercantis dos membros, apesar de significar um grande avanço para os mesmos.

    OTONIEL MARINHO CHAVES Nº38 - 2º ANO 'A' - GEO SUL

    ResponderExcluir
  71. Com o tratado de assunção (1991): cria-se o Mercado Comum do Sul(Mercosul) – Brasil, Argentina, Paraguai,Uruguai. Uma aliança comercial visando dinamizar a economia regional, movimentando entre si mercadorias, pessoas, força de trabalho e capitais. Em virtude da remoção de Fernando Lugo da presidência do Paraguai, o país foi temporariamente suspenso do bloco; esse fato tornou possível a adesão da Venezuela como membro pleno do Mercosul a partir do dia 31 de julho de 2012, inclusão até então impossível em razão do veto paraguaio.
    No ano de 1995, foi instalada a zona de livre comércio entre os países membros. A partir deste ano, cerca de 90% das mercadorias produzidas nos países membros podem ser comercializadas sem tarifas comerciais. Alguns produtos não entraram neste acordo e possuem tarifação especial por serem considerados estratégicos ou por aguardarem legislação comercial específica.Em julho de 1999 os países membros sugerem um plano de uniformização de taxas de juros, índice de déficit e taxas de inflação. Futuramente, há planos para a adoção de uma moeda única.
    Infelizmente existe uma falta de planejamento da política industrial entre os países do bloco, o que pode ocasionar de um país não produzir o que comercializaria com outro e assim enfraquecer as relações dentro do próprio grupo; ainda existem também barreiras comerciais com relação a produtos específicos, como é o caso da indústria automobilística.


    Manoel Luis , 2°A
    turno:manhã

    ResponderExcluir
  72. A globalização é um processo que tange interações econômicas,políticas e sócias entre todos os países do mundo (com exceção de alguns países socialistas) e que visa a integração(principalmente econômica) dos mesmos,de modo que haja uma “aldeia global” em que exista um comércio mútuo .A globalização é fundamentada no modo de produção capitalista,de modo que todos os países que participam desse processo estão ligados com o comercio mundial importando e exportando com os outros países.O mais interessante desse processo é que alguns países tentando “se adaptar” a esse processo se juntando com outros para assim formarem os chamados blocos econômicos.
    O processo de industrialização teve inicio no meio do século XX onde o mundo estava tomado pela tensão da guerra fria,mas só se consolidou no fim do século XX para o inicio do século XXI.É notável que a ascensão da globalização se dá no mesmo período histórico da consolidação da hegemonia norte-americana,então podemos inferir que o grande responsável por esse processo de globalização é os Estados Unidos(o que é bem óbvio já que os Estados Unidos é a maior economia mundial e que só tem a ganhar no decorrer desse processo).


    O Brasil está bastante inserido nesse processo,o que é bem evidente já que o pais possui uma economia bastante forte e consolidada(a sexta maior economia do mundo).Mas o quadro do Brasil é bastante peculiar já que o mesmo esta inserido no MERCOSUL (Mercado Comum Do Sul) que é um bloco econômico composto por quase todos os países da America do Sul.
    Essa interação do Brasil e os outros membros do bloco dividi opiniões, já que há vários aspectos negativos nessa aliança,porém também existe Bastante aspectos positivos.O principal aspecto positivo é que essa aliança(mesmo sendo feita com países de menor porte econômico) tende a favorecer o crescimento econômico e social do Brasil,visto que essa aliança faz com que haja facilidades e praticidades de comercialização entre os países participantes.Por esse lado o Brasil realmente sai ganhando visto que essa comercialização além de aumentar a economia do pais o torna um pais mais comercialmente competitivo no âmbito global.Já se olharmos essa integração por outro ângulo podemos ver alguns pontos negativos.O principal e mais gritante de todos se deve pelo fato do Brasil ser um pais com uma das economias mais elevadas e solidas do mundo enquanto os outros países estão “engatinhando” pois sua economia ainda esta crescendo e se solidificando,essa divergência culmina que o Brasil acaba tendo que “carregar esses países nas costas” visto que os países participantes não conseguem acompanhar a frequência comercial Brasileira.Não podemos deixar de ressaltar outros aspectos positivos do MERCOSUL (como a melhor relação entre os governos dos países participantes) e outros aspectos negativos (como o aumento do desemprego para brasileiros visto que o fato do Brasil ser a maior economia do bloco acaba atraindo mão de obra qualificada de outros países que tomam as vagas de Brasileiros).

    Nickollas Elias Targino Pereira
    2º ano B
    Nº 30

    ResponderExcluir
  73. O Brasil esta contido no MERCOSUL, devido ser capitalista e estar ligada a aspectos culturais,políticos e econômicos com as outras regiões do mundo.
    Com relação a globalização,está o aumento da tecnologia,o aumento na qualidade dos produtos,melhora nos meios de transporte.Dentre os pontos negativos,esta a educação que vem crescendo nos últimos anos,porém precisa de um grande salto para alcançar os outros países,outro problema também é o aumento da competição no mercado de trabalho,o que dificulta a procura de emprego,e a também a desvalorização das mercadorias brasileiras.
    Outra questão que relaciona o nosso país ao MERCOSUL,é que os outros países se utilizam da nossa economia,e quando por exemplo ocorre uma crise O Brasil é afetado,devido a sua economia estar diretamente ligada a esses outros países.

    Luana Ventura da Silva, 2 ano-A

    ResponderExcluir
  74. Em 26 de março de 2012, o Mercosul completará 21 anos desde a sua criação com a assinatura do Tratado de Assunção realizada no Paraguai. O Mercado Comum do Sul é composto pelos países: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, tendo como associados a Bolívia e o Chile. O intuito do Mercosul é de caráter comercial, seu principal objetivo é integrar os países e organizar suas economias em um mercado comum com livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos.

    Nos últimos anos, o Brasil está sendo reconhecido no cenário mundial como uma das economias mais dinâmicas do mundo. Isso só foi possível a partir das medidas que o governo brasileiro implementou e deu continuidade ao longo dos últimos anos, como as políticas econômicas de apoio à concentração industrial, seguindo metas e compromissos para estruturação de amplos relacionamentos externos. No Mercosul, o Brasil vem se apresentando com destaque com uma fatia maior do mercado, o que possibilitou sua classificação como a 6ª economia mundial. Considerando sua influência, o mundo tem presenciado politicamente o quanto o Brasil tem sido ouvido nas mesas de negociações com reconhecimento e mérito. O que se sabe é que boas impressões significam um bom ativo para qualquer país, tornando-o mais atraente ao investimento exterior.

    O Brasil vem se destacando e ganhando importância, mas ainda há uma
    preocupação no momento quanto à crise Européia, tanto pela queda na demanda mundial, quanto pela ausência de créditos que já afetaram as exportações brasileiras. Enquanto bloco, o Mercosul precisa ser um projeto comum dos seus parceiros para que todos percebam um saldo líquido positivo no balanço entre benefícios e custos. Uma vez que neste caso, só o comércio não é suficiente. No vigésimo ano de aniversário do Mercosul, o ambiente de comemoração não é dos melhores, isso porque as barreiras protecionistas continuam mantendo o clima de tensão comercial.

    Aluno: Vinicius Antonio Abrantes da Silva Nº: 46 Turma: A Turno: Manhã

    ResponderExcluir
  75. A globalização surgiu da necessidade da procura de novos mercados consumidores. Esse fenômeno capitalista teve inicio na Era dos Descobrimentos, porém, seu processo de aprofundamento da integração das camadas sociais, políticas e econômicas tornou-se mais perceptível no pós Segunda Guerra Mundial. O Brasil também está envolvido neste processo e para tanto, é membro do MERCOSUL.
    O Mercado Comum do Sul surgiu com objetivo de criar uma zona de livre comércio entre os países Sul-americanos e hoje conta com cinco países como membros plenos. Chefiados pelo Brasil, as importações entre os países membros aumentaram consideravelmente, o que chamou a atenção de países de outros continentes, como a Nova Zelândia.
    Em contrapartida, o MERCOSUL torna-se um bloco injusto do ponto de vista dos outros países. Fora o Estado brasileiro, as demais economias sofrem um forte prejuízo e estão financiando e tornando-se dependentes do Brasil. Tudo isso resulta em uma estabilidade que pode ser afetada a qualquer momento. Caso alguém entre em crise e quebre, os outros sofrerão consequências devastadoras.
    Com a análise dos resultados durante os últimos anos, cria-se uma perspectiva de que um dia, os integrantes possam realmente ajudar uns aos outros, integrando totalmente, não só sua economia, mas sim sua cultura, moeda e linguagem, a fim de diminuir as diferenças socioeconômicas apresentadas.

    Fernanda Vieira Carvalho – 2º ano “C”
    Número: 12

    ResponderExcluir
  76. A globalização é de fato um processo de integração social, politica, cultural e principalmente econômica, Que teve seu ápice no final do seculo XX com o as facilidades e o barateamento do transporte e comunicação mundial, É uma das principais formas do capitalismo se interligar com o mundo inteiro. A globalização também é responsável pela integração humana entre etnias e culturas diferente. As principais formas de globalização são as empresas que expandem suas atuações para diversos países do globo, levando então consigo uma grande massa de influências, empresas como Pepsi, Coca-Cola, Fiat, Apple, Facebook, Toyota, Airbus são exemplos claros de globalização. Os grandes responsáveis pela integração entre países do mesmo e diferentes continentes são os Mercados de integração e mercados comuns, as conhecidas uniões aduaneiras. No nosso caso(BRASIL) nós citamos o MERCOSUL(Mercado comum do sul).

    A questão que move a Economia Internacional é a sua atividade de trocas. As mercadorias então produzidas em um país “ A ”, para serem deslocadas para um país “ B ”, necessitam de meios de ligação eficientes, que reduzam seus custos, reduzam tempo na hora de receber insumos e de levar o produto acabado para seu destino.
    O MERCOSUL tem seu início em 1991, com o Tratado de Assunção instituindo um mercado comum entre Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Com isso, ganhou força a expectativa de que esses países realizassem maior intercâmbio entre si, nos mais diversos âmbitos, com ganhos, obviamente, também no nível comercial.

    Para o Brasil, o Mercosul tem um grande importância na politica externa da atual presidente Dilma Rousseff, como afirmou o chanceler brasileiro,Antonio Patriota, em entrevista coletiva no ultimo dia 22/03.
    Como principal e maior país do bloco, o Brasil vem ganhando cada vez mais importância. Após 22 anos da assinatura e vigor do Tratado de Assunção a tendencia é que o Mercosul continue se destacando no cenário mundial.

    Valdemir Trigueiro de Lucena Junior - 2º Ano F - Manhã - Nº 46

    ResponderExcluir
  77. Isabella Laurindo Silva
    2 ano D

    A globalização é um processo de interdependência entre países que, pode ser econômico, cultural, social e político. Esse processo que vem de muito tempo, é caracterizado pela facilidade de comunicação entre as nações fazendo com que principalmente o comércio se desenvolvesse imensamente em todo o mundo, aumentando assim a renda dos países. Mas existe também um lado negativo dessa integração, como a perda da identidade cultural.
    O MERCOSUL é um exemplo de globalização, mas essa união acontece apenas em alguns países da América do Sul, são estes: Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai inicialmente. Hoje tem como mais membros o Peru, Chile, Bolívia e mais recentemente a Venezuela. Como na Globalização, existem vantagens e desvantagens. Em momentos de crise é interessante que se tenha um compromisso entre países com mais fácil circulação de mercadorias com melhores preços, fazendo com que sejam esses países os menos afetados possíveis. O próprio ingresso da Venezuela no MERCOSUL partiu principalmente de um interesse em seu Petróleo exemplificando assim a visão dos países voltada para o benefício. Mas em tempos de decisões a serem tomadas é mais difícil um consenso, como no caso da aproximação com a União Europeia ou seja, interesses de alguns países nem sempre são os mesmos dos outros.
    Dessa maneira, apesar das desvantagens é importante a permanência do Brasil no Mercosul já que existem, nessa união, facilidades que não podem ser desperdiçadas como a livre zona de comércio, uniformização das taxas de juros, aumento no desenvolvimento econômico dos países membros, além de facilitar as relações comerciais com outros blocos econômicos, como o NAFTA e a União Européia.

    ResponderExcluir
  78. O processo de aprofundamento da integração social, cultural, politica e econômica são denominados de "globalização". Este fenômeno é gerado devido ás necessidades do capitalismo para se formar uma aldeia global, permitindo maiores mercados para os países centrais, que são tidos como desenvolvidos e o mercado interno já está saturado.

    A globalização se tornou um estágio inevitável para a economia mundial. O grande fluxo de mercadorias, informações e pessoas contribuíram para que esse processo fosse ainda mais acelerado. Hoje, aproveitando o novo sistema imposto, diversos países tem se unido na formação de blocos econômicos como por exemplo o MERCOSUL.

    O Brasil faz parte do Mercosul, criado em 1990, que também conta com a participação da Argentina,Paraguai e Uruguai, onde é um tipo de aliança comercial cuja principal função é criar uma dinâmica rede de relações comerciais entre os países envolvidos.

    ALUNA: Kennya Karlla Santana Melo - 2º ano A - Manhã - N: 24

    ResponderExcluir
  79. Aluna: Roberta Maciel Almeida de Andrade #34 2ºB

    Globalização é um processo de atualização, que tende à unificação de todos os povos e países do planeta. É movida basicamente pelo consumo, de forma que você pode comprar um produto que foi fabricado do outro lado do mundo, mas utilizando a matéria-prima que foi comprada em outro país, e esse mesmo produto é semelhante a um produzido em outro lugar, com materiais diferentes, e assim sucessivamente, ou seja, os países estão ficando cada vez mais parecidos, vendendo os mesmos tipos de alimentos, roupas, calçados, músicas, entre outros.
    Visando a estagnação das fronteiras econômicas entre os países – um dos principais objetivos da globalização -, foram criados blocos econômicos, em destaque o MERCOSUL, que busca, além do que já fora mencionado, uma união entre as nações latinas – em primeiro caso, Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai -, para deixarem de competir entre si e passarem a competir com o estrangeiro, aumentando o seu desenvolvimento.
    Ao participar do MERCOSUL, o Brasil fortalece sua economia, criando laços com os países vizinhos, facilitando assim as exportações e deixando de lado a dependência econômica somente com os Estados Unidos. Porém, a permanência do nosso país no bloco também pode trazer aspectos negativos, bem como o aumento da pirataria e do desemprego, e, mais ativamente, a perda da identidade cultural.

    ResponderExcluir
  80. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  81. Rodolfo Medeiros 2°C

    Criado no início da década de 90 a partir de um tratado que constitui a união entre determinados países para o desenvolvimento de um Mercado Comum, o MERCOSUL revela essa nova realidade que vem sendo encarada há algumas décadas pela economia mundial – são novas dimensões continentais. Assim, países como o Brasil, a Argentina, o Paraguai e o Uruguai integram esse grupo que potencializa o mercado para um PIB de mais de um trilhão de dólares.

    Juntos, os países em desenvolvimento representam uma das quatro maiores economias globais. A área é de livre comércio e não há controle alfandegário entre os países envolvidos, ou seja, o tratado estimula a circulação de produtos além fronteiras sem cobrança de taxas como se a negociação ocorresse dentro de um mesmo país. Para o Brasil, assim como para os demais territórios, a vantagem em fazer parte de um grupo como este está na sua direta conexão com o conceito de uma nova economia mundial. A união fortalece as transações comerciais e atrai investimentos ao representar 50% do Produto Interno Bruto de toda a América Latina.
    Porém a cultura fica ameaçada por haver vários contrastes de país para país e possivelmente um conflito neste setor. Por vivenciar a cultura de outro país, a do nosso país pode perder sua importância.A língua, que pode se tornar um entrave. Já que 4 países falam espanhol, mas o Brasil que fala português possui a maior população, sem falar na moeda única que para o Brasil como a língua, se não for bem discutida poderá tornar-se um problema para o desenvolvimento do MERCOSUL.

    ResponderExcluir
  82. Júlio Gusmão C. de Mendonça - 2°ano "F"; N°25.

    O crescente processo de globalização tem despertado o interesse dos países na formação de blocos econômicos para o fortalecimento de suas economias e, assim, verem atendidos os anseios da população interna num processo economicamente sustentável, que maximize as riquezas e reduza as desigualdades sociais dos povos que formam as comunidades de cada nação.

    No que se refere ao Brasil, é muito importante que ele mantenha-se no MERCOSUL, numa questão de logística, para que os produtos que foram produzidos entre os países integrantes possam ter uma circulação mais fácil sem as taxas mais altas cobradas a outros países que não estão nesse bloco econômico fortalecendo a economia interna. O Brasil tem 16,27 milhões de pessoas em situação de extrema pobreza, o que representa 8,5% da população. Com o nosso país no MERCOSUL estaremos diminuindo esse número já que teremos uma economia mais forte.

    O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias, diz respeito, principalmente, a acesso aos recursos financeiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos. Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento limitado à área de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial. De qualquer modo, a integração regional não deve se limitar ao MERCOSUL, mas incluir todos os integrantes da América do Sul, como previsto na iniciativa brasileira de criação de uma Área de Livre Comércio Sul Americana — ALCSA. O MERCOSUL como uma zona de livre comércio, pode ser visto como algo mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros.


    ResponderExcluir
  83. A globalização é um conceito amplamente difundido e está ligada a uniformização de padrões que vem acontecendo no decorrer das décadas. Por se tratar de um fenômeno capitalista, ela funciona para aproximar as diferentes culturas e costumes. Para entendermos corretamente o conceito é necessário observar o papel do desenvolvimento tecnológico e as práticas econômicas de diversos países, uma delas está ligada a criação de blocos econômicos.

    Os blocos econômicos surgiram com a finalidade de ampliar as economias e eliminar obstáculos aduaneiros, estabelecendo uma nova ordem mundial. Os grandes blocos como Mercosul, Nafta,Alca, Apec, União Europeia constituem ao longo do processo histórico, uma estratégia, amplamente difundida, para o desenvolvimento dos países membros que possuem características semelhantes e necessitam de um incremento nas relações de intercâmbio dos negócios. O fato de o Brasil pertencer ao bloco econômico MERCOSUL (Mercado Comum do Sul) permite seu rápido desenvolvimento em relação aos seus parceiros, de forma a beneficiá-lo com essa união; seu mercado é ampliado e algumas tarifas alfandegárias são eliminadas, isso dinamiza o comércio e a economia não só do Brasil, mas de todos os países membros (Uruguai, Paraguai, Argentina e Venezuela).

    As consequências, no entanto podem não ser totalmente positivas, de maneira que haja aumento da pobreza, maiores índices de desemprego, refinanciamento de créditos, fuga de capitais e investimentos, entre outras.

    Valeska Maria Pereira de Souza - 2º ano A - Nº: 45

    ResponderExcluir
  84. A atual discussão em torno da Alca ( Área delivre comércio das Américas ) tem levantado algumas questões sobre que tipo de integração desejavam os países que hoje compõem o Mercosul. Para além do âmbito comercial e econômico, o processo de integração a ser concretizado afeta diretamente as sociedades nele envolvidas, mesmo quando estas não têm consciência desse fato.
    A globalização interferiu analisando especificamente os aspectos, ou seja, procurando entender como a sociedade tem reagido frente ao processo de integração, a partir de diferentes grupos de interesse e mais especificamente a partir dos sindicatos, e como ela de fato participou das negociações do Mercosul. Pode-se citar que logo após a segunda guerra mundial, já se apresentavam os primeiros indícios do violento processo de internacionalização do capital, pelo qual o mundo estava caminhando.
    Nestes tempos de transformações, o Mercosul é reflexo direto da globalização e regionalização da economia, ocorrendo tendências complementares que respondem ás mudanças estruturais da ordem mundial, então, a globalização funciona como a abolição das fronteiras nacionais para assuntos econômicos, em um primeiro momento em função do estabelecimento de grandes blocos como MCE, Nafta, e em segundo momento para privilegiar a qualidade e produtividade em vez considerações patrióticas.
    Aluna: Sarah Gonçalves De França
    Turma: 2ºano B , nº37

    ResponderExcluir
  85. Para quem não sabe a globalização também é parte do capitalismo, que muitas pessoas contestam. A globalização faz parte da fase ou até mesmo o módulo mais avançado do capitalismo. Com a queda geral do socialismo e sistema capitalista se ascendeu ao mundo, dessa forma, também dando início ao período da globalização.
    Uma das vantagens que todas as pessoas se beneficiam é justamente o produto importado que acompanhando a globalização o mesmo fosse ganhando mais qualidade e o preço foi sendo mais baixo. Além disso, a facilidade de comunicação também melhorou muito, hoje em dia é possível acompanhar fatos em outros continentes em tempo real. Uma desvantagem é que cresceu competitividade por vagas de empregos, muitas pessoas procuram melhores formações profissionais e fica cada dia mais difícil conseguir um bom emprego.
    O papel do Brasil no MERCOSUL é, portanto, cada vez mais integrador. Contudo, é incontestável sua posição de líder, em função de suas características econômicas, populacionais, geográficas etc. É importante perceber que a posição de líder aumenta a responsabilidade do Brasil na condução e na sobrevivência do MERCOSUL.

    Aluna: Thaysa Rodrigues, 2º D, nº 46

    ResponderExcluir
  86. A globalização funciona na prática como a abolição das fronteiras nacionais para assuntos econômicos: Em um primeiro momento em função do estabelecimento de grandes blocos como o MERCOSUL, e em um segundo momento para privilegiar a qualidade e produtividade em vez considerações patrióticas, com isso, em um terceiro momento, ganha o consumidor, que pode comprar produtos cada vez melhores a preços cada vez menores, sem se quer ter ideia de onde é feito o produto que consome.
    O MERCOSUL, bloco regional formado inicialmente por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, é resultante da implementação do processo de integração regional, que visa promover o desenvolvimento integrado dos países membros. Porém, Paraguai foi temporariamente suspenso do bloco e esse fato tornou possível a adesão da Venezuela no MERCOSUL em 2012.
    O bloco econômico do qual participamos, está permitindo um intenso, rápido e equitativo desenvolvimento dos seus parceiros. Claro que, com essa crise econômica global que estamos vivendo, alguns setores daqui sofrem mais, outros setores de lá também, ajustes são necessários, mas ao final, as populações de todos os países só têm a ganhar com o intercâmbio dos negócios entre as nações membros e com o incremento cada vez maior de suas relações em todas as áreas.

    ALUNO: Pedro Igor Pereira 2ºD. Nº38

    ResponderExcluir
  87. O processo de globalização é um processo de atualização, que tende à unificação de todos os povos e países do planeta. É uma visão completamente capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.
    O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias, diz respeito, principalmente, a acesso aos recursos financeiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos. O papel do Brasil no MERCOSUL (Mercado Comum do Sul) é cada vez mais integrador. Contudo, é incontestável sua posição de líder, em função de suas características econômicas, populacionais, geográficas etc. Não há dúvidas de que o Brasil acaba por exercer grande influência e possui muito poder nas decisões tomadas no âmbito do MERCOSUL.
    Por causa disso, a relação entre o governo brasileiro e o governo dos outros países também envolvidos nesse mercado está cada vez melhor. Mas isso atrai mão-de-obra qualificada de fora do país, aumentado o índice de desemprego dos brasileiros. Que é um problema a parte para ser resolvido pela nossa Presidenta.

    Alexandre Simplicio Costa Rocha - 2ºano B - nº02 - manhã

    ResponderExcluir
  88. Desde o primórdio da humanidade, sempre houve a necessidade de uma interação entre os seres humanos, fosse para compartilhar conhecimento, produtos e/ou como forma de aproximação daqueles semelhantes. Porém com a evolução das sociedades e de toda a sua conjuntura , essas relações passaram a ser cada vez mais intensas, com finalidades principalmente no âmbito econômico, onde já era possível visualizarmos a presença de um capitalismo dando seus primeiros passos. Até chegarmos nos nossos dias, mudanças incontestáveis ocorreram no sistema da vida humana, mas sua essência permanece a mesma: a dependência da conexão entre os homens e suas atividades a qual identificamos como globalização, palavra esta causadora de uma explosão de interligações sócio-politico-econômicas entre os continentes de maneira a formar uma imensa cadeia “viciosa” que não tem mais volta.
    Para exemplificar, cito um grupo formado por alguns país latino americanos com o intuito de se interligarem preferencialmente economicamente, o Mercosul, constituído pelo Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Com o propósito firmado em 1991, os membros acordaram por uma maior facilidade na interação entre eles como a adoção da livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos, do estabelecimento de uma Tarifa Externa Comum (TEC), de uma política comercial comum, da coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais, e da harmonização de legislações nas áreas pertinentes, para que houvesse um crescimento simétrico de cada um deles, entretanto não é bem isso que vemos, pois o Brasil e Argentina como países mais desenvolvidos desse bloco, ficam com um maior poder e acabam extraindo mais da metade do produto final(R$) para si, gerando grandes desigualdades e deficiências para os outros dois que são um pouco deixados de lado.
    Nosso país, ainda mais importante que a Argentina , usa seu domínio sobre esse grupo para de destacar no mercado mundial, pois consegue investimentos, mercados e importações para o Mercado Comum do Sul, quando na verdade a maior porcentagem desse acordos estacionam por aqui e não são distribuídos para principalmente Paraguai e Uruguai, ou seja, enquanto estes tentam ocupar um lugar apresentável no setor mundial mesmo tendo tantas dificuldades para o crescimento econômico, aqueles usufruem da autoridade que possuem para favorecer suas próprias necessidades e esquecem do real objetivo dessa união. O Brasil que fique atento, pois depender de um grupo para ter certos privilégios e ter sua imagem constantemente vista no cenário mundial como um ótimo país para se fazer negócios, não é tão bom quanto se imagina, pois ele dificilmente vai sair desta posição para sozinho conseguir ter seu crescimento tanto desejável.

    Yasmim de Vera e Ayres- 2ano B, N:49

    ResponderExcluir
  89. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  90. O Mercado Comum do Sul (Mercosul) foi instituído por meio do Tratado de Assunção em 1991,formado pelo Brasil, Argentina, Uruguai ,Paraguai(suspenso temporariamente do bloco,a suspensão irá até abril de 2013,quando ocorrerão eleições no país) e Venezuela. Este bloco envolve dimensões econômicas, políticas e sociais, o que se pode inferir da diversidade de órgãos que ora o compõem, os quais cuidam de temas tão variados .No aspecto econômico, o Mercosul assume, hoje, o caráter de União Aduaneira, mas seu fim último é constituir-se em verdadeiro Mercado Comum, seguindo os objetivos estabelecidos no Tratado de Assunção.
    No ano de 1995, foi instalada a zona de livre comércio entre os países membros. A partir deste ano, cerca de 90% das mercadorias produzidas nos países membros podem ser comercializadas sem tarifas comerciais. Alguns produtos não entraram neste acordo e possuem tarifação especial por serem considerados estratégicos ou por aguardarem legislação comercial específica. Em julho de 1999, um importante passo foi dado no sentido de integração econômica entre os países membros. Estabelece-se um plano de uniformização de taxas de juros, índice de déficit e taxas de inflação. Futuramente, há planos para a adoção de uma moeda única, a exemplo do fez o Mercado Comum Europeu. Atualmente, os países do Mercosul juntos concentram uma população estimada em 311 milhões de habitantes e um PIB (Produto Interno Bruto) de aproximadamente 2 trilhões de dólares.
    As duas maiores economias do Mercosul enfrentam algumas dificuldades nas relações comerciais. A Argentina está impondo algumas barreiras no setor automobilístico e da linha branca ( geladeiras, micro-ondas, fogões ), pois a livre entrada dos produtos brasileiros está dificultando o crescimento destes setores na Argentina. Na área agrícola também ocorrem dificuldades de integração, pois os argentinos alegam que o governo brasileiro oferece subsídios aos produtores de açúcar. Desta forma, o produto chegaria ao mercado argentino a um preço muito competitivo, prejudicando o produtor e o comércio argentino. Em 1999, o Brasil recorreu à OMC ( Organização Mundial do Comércio ), pois a Argentina estabeleceu barreiras aos tecidos de algodão e lã produzidos no Brasil. No mesmo ano, a Argentina começa a exigir selo de qualidade nos calçados vindos do Brasil. Esta medida visava prejudicar a entrada de calçados brasileiros no mercado argentino.
    O mais decepcionante é a falta de coordenação das políticas macro e industriais. A política industrial argentina não coincide com a brasileira. Temos problemas na pauta de restrições às importações de produtos brasileiros. Isso é consequência de políticas setoriais ainda não convergentes. Quanto à maior liberdade de circulação de serviços, o Mercosul também avançou, mas menos.O fato é que total liberdade de comércio, ainda não existe. Dois setores que ainda não estão totalmente liberados são os automobilístico e do açúcar. Já na questão da União Aduaneira, o Mercosul ainda está muito falho e é necessário uma mesma política tarifária de impostos alfandegários. Um produto vindo da China deveria, por exemplo, ter o mesmo tratamento nos países membros, mas há exceções nisso. Como mercado comum e união aduaneira o Mercosul ainda não cumpriu o que se propôs.
    Entretanto o bloco trouxe benefícios para o país como, por exemplo,o turismo, que em Santa Catarina atrai uma grande quantidade de Argentinos no período de verão, com o Mercosul cria-se uma integração maior neste setor;o Brasil conta com um grande e desenvolvido parque industrial, que supera os outros 4 países do bloco;as empresas de nosso estado e nossa região poderão cada vez mais expandir seus mercados, já com o bloco de uma forma mais fácil.







    Nicolly Andrade Cavalcanti n°27-2°Ano"G"

    ResponderExcluir
  91. Brena Heloiza Gonçalves Araújo-2 ano G,N:03

    A globalização como o próprio nome sugere, tem a finalidade de unir, juntar, ou seja, tornar tudo mais “popular”, mas para isso alguns blocos econômicos estão travados ou limitados, causando retardação na união de blocos, um caso claro disso é o MERCOSUL.
    O MERCOSUL é constituído por: Argentina, Brasil, Uruguai ,Venezuela e Paraguai, este está suspenso até abril de 2013 , (mês que haverá eleição local),o fato do Paraguai esta suspenso faz o bloco ficar imóvel, sem nenhuma decisão até que haja um representante deste país, mas não e só o Paraguai que está interrompendo o desenvolvimento do bloco, a Argentina com a criação de barreiras, esta aumentando os preços dos produtos brasileiros para se tornarem incompatíveis com os nacionais ,algo incoerente entre países de um mesmo bloco, acarretando prejuízos para o Brasil.
    Portanto o MERCOSUL ainda precisa de mudanças para se chegar a um bloco forte, independente e é claro globalizado, o Brasil está apto a promover essa mudança, e está ajudando como pode os países aliados a chegar a esse ideal.

    ResponderExcluir
  92. Bruna Helena G. Araújo. 2 ano-G N:04

    Todo país busca expandir seu comércio, encontrar uma maneira de se destacar socialmente, economicamente ,como o Brasil que por meio do Mercosul tenta uma boa relação comercial com seus países vizinhos mas será que esse bloco econômico ajuda ou prejudica o nosso pais¿
    Desde o surgimento da globalização nações buscam melhores comércios, maiores lucros que atendam a suas expectativas.
    Países que possuem os mesmos objetivos formaram blocos para uma melhor relação como a União Europeia que beneficiou todos os constituintes chegando a adotar uma moeda própria.
    O Brasil faz parte do Mercosul também constituído pela Argentina ,Uruguai, Paraguai e Venezuela. Esse bloco foi criado em 1991 espelhando em uma economia europeia com poucas disparidades econômicas e sociais . Com esse bloco o nosso país teve a unificação de taxas de juros dos países que participam do bloco, diminuição nas taxas de inflação mas atualmente a Argentina ,segunda maior economia do bloco, começou a aumentar os impostos para produtos importados inclusive para os que participam do Mercosul para torna-los menos competitivos com produtos nacionais ,da mesma forma com países europeus dificultando uma futura e desejada relação que o Mercosul teria com EU que é o objetivo de qualquer nação globalizada . Outros impasse é o caso do Paraguai que é efetivo no bloco mas está suspenso pelo impeachment do presidente impossibilitando qualquer mudança no bloco.
    Aderir a um bloco pode ser extremamente bom, por que garante melhores relações internacionais , um beneficio mutuo mas a partir de que um deles não se comprometa com o verdadeiro significado de estar em um bloco econômico essas relações não vale mas a pena para essas nações atingidas, então para estar em um bloco todos os países tem que comprometer com esse casamento econômico para que não haja traições.

    ResponderExcluir
  93. Podemos dizer que globalização é um processo econômico e social que estabelece uma integração entre os países e as pessoas do mundo todo. Através deste processo, as pessoas, os governos e as empresas trocam idéias, realizam transações financeiras e comerciais e espalham aspectos culturais pelos quatro cantos do planeta.
    Muitos historiadores afirmam que este processo teve início nos séculos XV e XVI com as grandes navegações e descobertas marítimas. Neste contexto histórico, o homem europeu entrou em contato com povos de outros continentes, estabelecendo relações comerciais e culturais. Porém, a globalização efetivou-se no final do século XX, logo após a queda do socialismo no leste europeu e na união soviética. O neoliberalismo, que ganhou força na década de 1970, impulsionou o processo de globalização econômica.
    Com os mercados internos saturados, muitas empresas multinacionais buscaram conquistar novos mercados consumidores, principalmente dos países recém saídos do socialismo. A concorrência fez com que as empresas utilizassem cada vez mais recursos tecnológicos para baratear os preços e também para estabelecerem contatos comerciais e financeiros de forma rápida e eficiente. Neste contexto, entra a utilização da Internet, das redes de computadores, dos meios de comunicação via satélite etc.
    Na atualidade, a importância das trocas entre países pertencentes a blocos econômicos é cada vez maior. Em tempos de globalização, os blocos representam a possibilidade de garantir mercados e expandir o comércio. Foi o que ocorreu com os países do Mercosul que, desde 1990, tiveram um extraordinário crescimento do comércio entre si. Além disso, o Mercosul foi uma das estratégias de abertura da economia brasileira à concorrência externa e de atração de investimentos internacionais. E mais: dentro do Mercosul o Brasil tem uma posição vantajosa, na medida em que se constitui na mais forte economia industrial do bloco.


    Hyanca Yasmin 2A numero:20

    ResponderExcluir
  94. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  95. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  96. Em um cenário mundial globalizado em que vivemos, onde cada vez mais surge a necessidade de inovar para que as nações se tornem competitivas, a evolução nas trocas comerciais se ampliam, abrindo a necessidade de criação de novas estratégias de comércio, resultando nas alianças e blocos econômicos entre países, com o intuito de proteger as economias, se tornar competitivo, com redução de preços e aumento do mercado para os seus produtos. Com base nesse contexto, os países do cone sul viram no Mercosul uma forma de união vantajosa, com livre comércio e redução de tarifas, garantindo assim, maiores lucros para todos os seus Estados-Parte. Alguns países participam do bloco na qualidade de estados associados como Bolívia, Chile, Peru, Colômbia e Equador. O “status” de estados associados confere aos mesmos o direito de participarem de reuniões do MERCOSUL como convidados e de assinarem tratados onde haja interesses comuns. Para ser considerado um associado, o país deverá assinar acordos de complementação econômica e obedecer a um cronograma para redução de tarifas e criação de uma zona de livre comércio com o bloco econômico. Os objetivos do MERCOSUL são bastante ambiciosos, abrangendo áreas relacionadas não somente à economia, mas também à cultura, educação, deslocamentos populacionais, trabalhista, entre outros. Perdemos sim, ao longo dos últimos anos, algumas batalhas importantes em razão da aceitação, sem maiores cuidados, de excessiva dependência, por exemplo, do petróleo importado e de empréstimos externos a taxas flutuantes de juros. Estamos muito longe, porém, de haver perdido a guerra do pleno desenvolvimento. O fundamental é não aceitarmos passivamente a receita do pessimismo e da resignação com um status de pequeno país, verdadeiramente incompatível com a grandeza de nosso povo; que recuperemos, em uma palavra, o sentimento da dignidade nacional. A realização desse destino de grandeza passa indefectivelmente pelo resgate da imensa dívida nacional de justiça social, a grande organização do país, de que precisamos. Pela eliminação da pobreza e da miséria. Por empregos e salários condignos que façam de cada trabalhador brasileiro um sócio dessa grandeza nacional, como consumidor e cidadão. Pela criação de um forte mercado interno que será a verdadeira plataforma da nossa inserção no mercado internacional.

    Desiré Dominique Diniz de Magalhães
    2º ano B Nº: 11

    ResponderExcluir
  97. Alguns dos aspectos considerados positivos são mais facilmente identificáveis e de menor aceitação. De modo geral, supõe-se que há uma maior oferta de capitais disponíveis aos países emergentes, o acesso desimpedido de seus governos e empresas aos recursos de uma poupança virtualmente mundial e os baixos custos de informações e de transações prevalecentes, devem contribuir para se obter uma maior disponibilidade de poupança, ou seja, uma condição para a elevação da taxa de crescimento econômico. Também uma maior eficiência nos investimentos, direcionando os recursos existentes para as oportunidades mais produtivas. Observa-se ainda a disponibilidade de instrumentos para melhor gerenciamento de riscos financeiros por parte de governos e empresas.
    Uma grande facilidade de financiamento de Déficits Fiscais, já que os governos deixam de depender apenas dos mercados domésticos. Sendo alguns dos aspectos negativos, Podemos citar, A Crise Econômica,como a que aconteceu em 2008 nos Estados Unidos, gerando desemprego, falta de créditos nos mercados,queda abrupta em bolsas de valores, falência de empresas, diminuição de investimentos e muita desconfiança. O mesmo aconteceu em 2011 com a crise econômica na Europa. Ocorreu também a transferência de empresas e empregos gerando gerando uma mão-de-obra barata e qualificada, baixa carga de impostos, matéria-prima barata e outros. Este fato acaba ocasionando desemprego, principalmente nos países mais desenvolvidos. Um bom exemplo é o que está ocorrendo na Europa, desde o início do século XX. Muitas empresas transferiram suas bases de produção para países como China, Índia, Cingapura, Taiwan, Malásia, etc. Relatamos ainda as distorções cambiais, principalmente alta valorização de moedas locais de países em desenvolvimento.
    Quando os Estados Unidos colocam no mercado uma grande quantidade de dólar, por exemplo, grande parcela deste volume acaba em países emergentes, valorizando a moeda local. Este fato acaba favorecendo as importações e desfavorecendo as exportações das empresas destes países emergentes. O Brasil, por exemplo, tem sofrido com a alta valorização do Real nos últimos anos, desde que os bancos centrais dos Estados Unidos e da Europa despejaram no mercado elevadíssimos volumes de moedas, gerando assim uma facilidade de especulações financeiras, causando problemas para as finanças, principalmente dos países em desenvolvimento, uma vez que na globalização, os mercados dos países estão interligados, bilhões de dólares podem entrar ou sair de um país em questão de segundos. Este capital especulativo acaba prejudicando muito a economia dos países que não conseguem controlar este fluxo de capitais.

    Aluna: Camila de Lourdes das Neves Silva Silvestre.
    Série: 2º ano F. Número: 12

    ResponderExcluir
  98. (uma breve definição de globalização) É um processo econômico e social que estabelece uma integração entre os países e as pessoas do mundo todo. Através deste processo, as pessoas, os governos e as empresas trocam idéias, realizam transações financeiras e comerciais e espalham aspectos culturais pelos quatro cantos do planeta, deixando cada vez mais curta as distâncias, mais rapidamente e mais eficiente.

    Com os mercados internos saturados, muitas empresas multinacionais buscaram conquistar novos mercados consumidores, principalmente dos países recém saídos do socialismo. A concorrência fez com que as empresas utilizassem cada vez mais recursos tecnológicos para baratear os preços e também para estabelecerem contatos comerciais e financeiros de forma rápida e eficiente. Neste contexto, entra a utilização da Internet, das redes de computadores, dos meios de comunicação via satélite etc.

    À busca pelo barateamento do processo produtivo pelas indústrias é outra característica importante da globalização. Muitas delas, produzem suas mercadorias em vários países com o objetivo de reduzir os custos. Optam por países onde a mão-de-obra, a matéria-prima e a energia são mais baratas. Um tênis, por exemplo, pode ser projetado nos Estados Unidos, produzido na China, com matéria-prima do Brasil, e comercializado em diversos países do mundo.

    No que se refere aos aspectos negativos, é a facilidade com que tudo circula, não havendo grande controle de qualquer espécie. No entanto, a globalização também serve para os mais fracos se equipararem aos mais fortes, pois tudo se consegue adquirir através desta grande auto-estrada da informação do mundo que é a Internet. Outro ponto negativo é a instabilidade econômica que se cria no mundo, pois qualquer fenômeno que acontece num determinado país atinge rapidamente outros países, regiões e povos.

    Aluno:José Matheus Monteiro de Medeiros
    Série: 2º ano E
    Número: 25

    ResponderExcluir
  99. A globalização surgiu com a necessidade de novos mercados consumidores. É um processo que muitos países passam desde que a revolução industrial fora feita, o mundo todo vive se atualizando, todo dia são criados novas tecnologias, por conta do alto índice de globalização dos países.

    Para os países na América do Sul não ficarem fora da globalização foi criado o MERCOSUL, que é um acordo de livre mercadoria entre os países da América Latina, diminuindo portanto a taxa de importação desses países. O Brasil faz parte desse acordo junto com outros países, como Bolívia, Paraguai, Uruguai, Argentina e Venezuela, que fazem o possível para terem seus países em grande processo industrial, agrícola e técnico.Contanto, tudo tem seu ponto negativo, ou seja, o MERCOSUL pode influenciar com o aumento da pirataria nos países, perda da identidade cultural do país, risco do aumento de desemprego, risco de enfraquecimento da moeda, entre outros.

    Conclui-se que o MERCOSUL, apesar de ser um bloco "novo", é muito importante para o desenvolvimento, fortalecimento e proteção da América Latina. A ideia de estabelecer um grupo com a mesma taxa aduaneira, agora não tem mais limitação à somente isso, já vem expandindo sua "liberdade" entre os países, como a de livre circulação e educação comum, tendo como base a União Européia.

    Aluna: Yanna Karla Albino Assis de Souza
    Série: 2º ano C
    Número: 50

    ResponderExcluir
  100. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerando a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.
    Considerando esta realidade o presente trabalho busca analisar a influência da globalização para esta situação e questionar a oportunidade mesmo da integração. Para tanto, parte-se de uma observação do fenômeno da globalização, suas forças dinâmicas e suas implicações. Segue-se analisando a integração como forma de atuação dos Estados no cenário mundial e a influência das forças econômicas na conformação deste processo – especialmente no âmbito do Mercosul. Por fim, discorre-se sobre a necessidade e o molde que deveria assumir a integração em países subdesenvolvidos. Do estudo resultou que a mencionada estagnação decorre, em grande parte, do fato de os estados membros terem realizado apenas as etapas que viabilizaram a liberalização comercial e não terem aprofundado mais a integração. Isso, porém, não exclui a importância da integração pois verificou-se que, assim como os desenvolvidos, os países subdesenvolvidos também tem a ganhar com ela, mas para estes, á diferença daqueles, exige-se uma participação mais ativa do Estado. A partir do que foi pesquisado, conclui-se elencando uma série de posturas que se acredita deveriam ser assumidas pelos Estados-membros do bloco para operacionalizar o Mercosul em bases mais sólidas e solidárias.
    Raysa Cristina Souza Silva
    Série: 2° ano D Manha
    Numero: 42

    ResponderExcluir
  101. O MERCOSUL é de fundamental importância para abranger o nosso mercado, logo não haverá uma concentração das exportações que já nos levaram a uma crise junto aos Estados Unidos em 1929, além do mais, aproximou as economias da América Latina. A unificação da moeda não se mostra interessante para alguns países como o nosso em virtude da enorme dívida externa.
    Essa integração nos favoreceu com as relações como a da Venezuela que exporta petróleo para nós a um preço bom. Só que essas relações não estão cumprindo, pois não vemos a livre circulação de pessoas que em países como Argentina e entre outros há um “preconceito” ao trabalho estrangeiro, e também não houve de fato a ingressão em suas matérias, logo não há de fato uma eficiente relação ainda.
    O MERCOSUL falta ter um acordo com a União Europeia, ressaltando que aquele teve como base este para sua criação, e é importante para aumentar o mercado exportador. A globalização nãos está acontecendo de forma efetiva, pois com ela haverá a ocupação de empregos por estrangeiros e muitos não gostam, como no conflito entre Venezuela e Equador.
    Concluímos que a globalização não é efetiva e o MERCOSUL está avançando lentamente e apresenta defeitos para solucionar. Será que precisaremos mais 20 anos para solucionar?
    Lucas Dantas Fernandes 2°C n°28

    ResponderExcluir
  102. Aluno: Gustavo Soares Leite Série: 2º ano Turma: C Número: 14

    A globalização é um fenômeno capitalista, em que cada vez mais é preciso conquistar-se novos mercados. Antigamente, a Inglaterra era considerada a ''fábrica do mundo'', onde eram produzidos os principais e mais desejados bens de consumo. Hoje, o mundo se espelha nos produtos norte-americanos, onde marcas como Coca-Cola, Apple, Chevrolet, Ford e outras diversas, fazem sucesso em todo o mundo.
    Este fenômeno é importante, pois faz com que a concorrência seja maior, que não exista apenas um produto, e que empresas instalem fábricas em países subdesenvolvidos por exemplo, para terem mais chances de concorrer com as outras que possuem fábrica em tal país e que o nível de qualidade de seus produtos aumentem.
    A permanência do Brasil no Mercosul (Mercado Comum do Sul) é importante pois cria uma zona de livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos, melhorando o desenvolvimento econômico e a relação diplomática entre os países membros. Um ponto negativo é a falta de coordenação das políticas macro e industriais, por exemplo, a política industrial argentina não coincide com a brasileira.

    ResponderExcluir
  103. Aluna : Letícia Bezerra de Sousa
    2B - Número : 23


    Após a 1° guerra mundial, os EUA se firmaram como país mais rico do mundo, pois além de não terem sofrido fisicamente com os conflitos, eram os maiores produtores mundiais de aço, comida enlatada, maquinas, petróleo, etc. Já no dia 24 de outubro de 1929 começa a maior crise da historia do capitalismo. Porém não foram os únicos, o Brasil na época era um grande exportador de café, também sofreu as consequências, com Vargas no poder o Brasil adquiriu grandes conquistas industriais na mesma época.
    No ano de 1991 foi criando o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), onde os membros deste importante bloco econômico da América do sul são os países: Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela e hoje com participação do Chile, Equador, Bolívia, Colômbia e Peru. Já no ano de 1995 foi instalada a zona livre de comercio entre os países membros.
    A economia do Brasil tem um mercado livre e exportador como mencionado antes, onde atualmente tem apresentado um crescimento consistente. O Brasil é uma das chamadas emergentes, é membro de diversas organizações econômicas como : MERCOSUL, a UNISAL, o G8+5, o G20 e o Grupo Cairns .
    As duas maiores economias do Mercosul Brasil e Argentina enfrentam algumas dificuldades nas relações comerciais, Estas dificuldades estão sendo discutidas e os governos estão caminhando e negociando no sentido de superar barreiras e fazer com que o bloco econômico funcione plenamente, e possibilite a entrada de novos parceiros da America do Sul. Esta integração econômica, bem sucedida, aumentaria o desenvolvimento econômico nos países membros, além de facilitar as relações comerciais entre o Mercosul e outros blocos econômicos, como o nafta e a união europeia .

    ResponderExcluir
  104. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  105. A globalização é um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural, política, que teria sido impulsionado pelo barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerando a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência. O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é a união composta por quatro países membros: Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil e também um país em processo de adesão, a Venezuela. Esse acordo tem como objetivo o desenvolvimento de seus membros e isto não se restringem apenas ao crescimento econômico, sendo ele apenas uma das faces do desenvolvimento, que é também social no sentido de reduzir a desigualdade e injustiça na sociedade e na própria política, gerando um espaço de estabilidade e de fortalecimento das relações democráticas. Os problemas intra bloco acabam acontecendo por conta das assimetrias econômicas e de desenvolvimento. Para que se tenha uma ideia, o comércio entre Brasil e Argentina, as duas maiores economias do bloco é cerca de 15 vezes maior que o comércio entre Paraguai e Uruguai, as economias mais fracas. Além disso, o valor agregado das mercadorias exportadas por Brasil e Argentina é maior, auxiliando, assim, na geração de crescentes superávits em favor desses países.
    Vantagens:
    - O Brasil conta com um grande e desenvolvido parque industrial, que supera os outros 4 países do bloco.
    - O turismo, que em Santa Catarina atrai uma grande quantidade de Argentinos no período de verão; com o Mercosul cria-se uma integração maior neste setor.
    - A entrada de produtos dos outros países com baixo custo que até certo ponto pode ajudar com que exista uma queda de preços já que existe uma competição pelo melhor preço e qualidade.
    - As empresas de nosso estado e nossa região, como Sadia e Perdigão que poderão cada vez mais expandir seus mercados, já com o bloco de uma forma mais fácil.
    - Os países do Mercosul começarão a despertar maiores interesses para investimentos estrangeiros fazendo com que a economia de cada país cresça ainda mais.

    Desvantagens:
    - A agricultura Argentina que possui vantagens em relação à brasileira, pois seus solos são mais férteis que os nossos.
    - A língua, que pode se tornar um entrave. Já que 4 países falam espanhol, mas o Brasil que fala português possui a maior população.
    - A moeda única, que como a língua, se não for bem discutida poderá tornar-se um problema para o desenvolvimento do Mercosul.
    - A cultura, que fica ameaçada por haver vários contrastes de país para país e possivelmente um conflito neste setor. Por vivenciar a cultura de outro país, a do nosso país pode perder sua importância.
    - A infraestrutura, já que a Argentina e o Chile contam com boas rodovias e portos bem equipados, excelentes para o escoamento da produção.




    Camilla Louise
    2ª C
    Nº 8

    ResponderExcluir
  106. A globalização é a forma de como os países interagem e popularizam, por exemplo, algumas mercadorias tornando-as comuns.E para isso foram criados alguns blocos econômicos assim como o Mercosul.

    O mercado mundial vem tonando-se ainda mais competitivo cada dia, tornado necessário inovações comerciais. O Mercosul é uma forma de tornar ainda mais interativo o comercio entre os países membros e melhorar as relações econômicas.Mas o único objetivo não é apenas o desenvolvimento econômico
    mas, também o desenvolvimento social.

    A concorrência também aumenta a demanda, gerando assim um leque de variedades quanto a escolha dos produtos pelos países subdesenvolvidos, muita demanda e barateamento.Com uma variedade tão grande, as alianças formadas entre países é positiva pois, o comércio entre eles é mais aquecido.Outro ponto positivo é que os países subdesenvolvidos poderão se igualarem em relação aos países desenvolvidos nos bloco econômicos.

    Pelo outro lado, prejudica quando há uma queda de algum país dessa aliança, ou seja, se um país quebrar os outros estarão mais propícios à queda.Outro aspecto negativo é que alguns produtos importados (do Mercosul por exemplo) podem ser mais baratos se comparados aos produtos nacionais diminuindo a procura deles.

    Erick Furtado - 2º F

    ResponderExcluir
  107. Aluno: Pedro Arthur Alvarenga B. Lopes
    Série: 2° Ano Turma: C
    Número: 40

    Globalização é um fenômeno capitalista que consiste na interligação econômica, social, política e cultural dos países. A Globalização efetivou-se no no século XX, quando as grandes crises econômicas surgiram em consequência da Guerra Fria. Com a busca de novos mercados internacionais, principalmente dos países desenvolvidos, surgiram os Blocos Econômicos.
    Um desses Blocos Econômicos é o MERCOSUL (Mercado Comum do Sul), associação entre Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela (Membros Plenos), Chile, Bolívia, Peru, Colômbia e Equador (Membros Associadas), criada em 1991, com o objetivo de estabelecer blocos comerciais, em que as fronteiras alfandegárias, são reduzidas ou eliminadas, criando uma livre circulação do comércio entre os países membros.
    A importância do Brasil na Mercosul se dá pelos fatos de que o país é o que tem maior PNB e maior população entre os países membros, tornando-se o grande mercado consumidor e a facilidade que o país tem de negociações com outros, aumentando as relações de comércio não só de si com o bloco, mas da Mercosul com outros países.

    ResponderExcluir
  108. Em um mundo globalizado, vem se mostrando cada vez mais a necessidade de inclusão na globalização, por aspectos principalmente econômicos. Em vista de que caso um país tente resistir à globalização acabará quase que certamente em crise financeira, pois não pode vender seus produtos ou comprar produtos necessitados.
    Graças a isso o Brasil se viu necessitado a embarcar no mercosul, para não ficar atrás economicamente, é tanto que um dos fatores que explica o crescimento econômico brasileiro, é a ingressão no mercosul, que também é um jeito de se inserir em um mundo globalizado.
    Vendo isso de um ponto de vista negativamente, observamos o fato de que os países são quase obrigados a entrar no merco sul para acompanhar o ritmo economicamente, já se olharmos pelo lado positivo, veremos a facilidade na transição de pessoas, e a facilidade de transições econômicas.

    ResponderExcluir
  109. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  110. A globalização é um fenômeno social, surgiu para atender ao capitalismo e aos países desenvolvidos uma integração em caráter social, cultural politico e econômico como, por exemplo, empresas desenvolvendo atividades em diferentes territórios, países diferentes que se interligam através desse fenômeno como se diminuíssem, ”encurtassem” as distancias entre eles trazendo inúmeros benefícios para tais.

    Com a facilidade que ele trás para vida das pessoas também trás seus males, uma de suas desvantagens é o desemprego as empresas acabam aprendendo a produzir com bem menos, usando a tecnologia o trabalhador vai perdendo o seu valor, outra artimanha da globalização são os blocos econômicos se fortalecendo no mercado tornando-o cada vez mais competitivo.

    Surge então em 26 de março de 1991, o MERCOSUL com a assinatura do Tratado de Assunção, tal bloco presta a livre circulação de bens, serviços e produtos entre os membros mais de uma maneira melhor, reduz a taxa de exportação ou importação dentro de todas as regulamentações. O bloco é muito importante, pois significa um novo capitulo nas relações brasileiras para com seus vizinhos, existia muita rivalidade entre o cone sul e hoje em dia não existe com tanto impacto.

    Conclusão, a globalização influi muito no MERCOSUL devido aos benefícios que ambos trazem entre a proximidade dos países que então associados ao bloco, como a economia bastante diversificada entre eles, não há mais competição entre exportações de produto para o mercado europeu entre outros, sendo o MERCOSUL o exclusivo mercado comercial bem-sucedido na América Latina.

    Aluna: Ana Luiza Lima de Oliveira
    Série: 2º ano A
    Número: 04

    ResponderExcluir
  111. A globalização trouxe maior acessibilidade a informação, comunicação e integração dos países, fazendo com que haja a facilidade no comércio dentre os mesmos.
    Na América Latina o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL)foi fundado em 1991, com o Tratado de Assunção, visando criar uma zona de livre comércio entre os países associados (na época Brasil,Argentina,Paraguai e Uruguai). O MERCOSUL faria com que as taxas alfandegárias fossem anuladas, ou seja, não seria cobradas taxas de importação e exportação de produtos entre os membros. Esse tipo de política criaria uma maior comercialização e aumento da economia desses países e no caso de uma crise no mundo, os associados ao MERCOSUL não sofreriam um impacto tão grande em relação aos outros.
    Esta política econômica com a globalização fez com que o desenvolvimento industrial desses países aumentassem e a troca de conhecimento foi facilitada. Alguns dos problemas enfrentados pelos países é que a moeda não é unificada, a língua não é a mesma e a dependência de alguns países por outros.

    Jair Adhonai Correia dos Santos
    2° ano C


    ResponderExcluir
  112. Aluno: Dominick Pereira Araújo Silva; Turma: 2ºano B; Nº: 13

    O Brasil atravessa um momento bastante considerável em relação a políticas de mercado expansionistas, tanto quanto a pontos positivos e também negativos. O mercado comum do sul (MERCOSUL) possibilita a abertura de novos horizontes ao nosso país bastante produtivos e benéficos.
    Com um acordo de livre comércio entre as maiores potências latino-americanas o mercado sul-americano cresce possibilitando maior estabilidade financeira e também menor intervenção de outros e países e também outras organizações existentes atualmente no mundo.Por outro lado, temos os olhos altamente gordos e grandes dos EUA, em cima dos interesses do acordo, que por ser a maior potência mundial, acaba pressionando alguns países envolvidos no tratado, de modo que algum país saia prejudicado em alguns termos ou ocasiões.
    O MERCOSUL de forma geral, incita ao intercâmbio entre nações, fazendo a relação entre o mercado externo e interno, com juros abaixo do proposto e com maior liberdade de comércio, também possibilitando avanços no que tange à: Educação, com o SEM(setor educacional do MERCOSUL), proporcionando maior integridade econômica e cultural; também as migrações, para fins lucrativos para as nações envolvidas como: professores, engenheiros, juízes, médicos, etc. trazendo melhorias para o país receptor e outras inúmeras melhorias.
    Percebemos que o Brasil é bastante dependente do maior acordo latino-americano e que o mesmo nos proporciona lados positivos e negativos, felizmente mais positivos e o quanto ele foi produtivo para a arrecadação do PIB e também relações internacionais com menor valor de juros e com maior estabilidade de mercado. Vale ressaltar a Venezuela que hoje participa parcialmente do MERCOSUL, por conta do país enfrentar cotidianos confrontos sociais, o que não é permitido no próprio. No geral é um estilo econômico bem sucedido que ainda tratá bastante frutos para os países correlacionados o mesmo.


    ResponderExcluir
  113. Já não é mais novidade para a população não alienada brasileira de que o nosso país é recheado de corruptos que pensam, na maioria das vezes, em dar-se bem. Desta maneira, eles sempre procurarão algo onde poderão beneficiar-se. Contudo, conseguem mascarar em muitas das vezes. Não digo que o Mercosul é exatamente para o roubo, porque não é. É um tratado que auxilia, entre tudo, a parceria Brasileira com os outros países da América. Pois é um programa que traz diversos benefícios, inclusive quanto aos intercâmbios sociais e comerciais.
    Como muitos possuem o conhecimento de que a bolsa de valores é contada em dólar, quanto mais verba o Brasil possuir, maior será sua posição quanto um país estável economicamente. O Mercosul não tem apenas como objetivo o comércio intrazona, mas também com o mundo todo. A globalização só ajuda a favorecer isso. Por exemplo, quase 90% das exportações brasileiras para a Argentina no ano de dois mil e oito foram de produtos industrializados, e 85% das exportações argentinas para o Brasil também. Ainda em 2008 houve um fluxo comercial recorde entre os dois países - de quase US$ 31 bilhões. Uruguai e Paraguai que são as menores economias do bloco tiveram acesso aos mercados brasileiro e argentino.
    Não é nada ruim ou maléfico. Os objetivos brasileiros quanto o Mercosul são excelentes, e mesmo que alguns dos políticos que ajudam a dirigir o país só pensem no benefício próprio, outra grande parte luta para o melhor dele, inclusive tem esperanças de que há de ser um país melhor. Se o ensino da língua espanhola for melhorada no Brasil, por exemplo, facilitará os intercâmbios entre os países da América, o que ajudará na economia do país e na melhor aprendizagem do idioma e no conhecimento das culturas.

    KEVIN ALVES SOUSA DO Ó. 2° ANO B, MANHÃ. N° 20.

    ResponderExcluir
  114. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  115. O Brasil participa ativamente do mundo globalizado por ser integrado a economia mundial capitalista e possui conexões culturais com vários países além de um crescente mercado internacional que possibilita a chegada de novos produtos no país, mas essas trocas podem causar danos á economia , pois em muitos casos os produtos importados são mais baratos que o nossos.
    A economia brasileira cresceu bastante com os avanços da tecnologia no que tange a comunicação e culturalmente (cinema, internet, música). Os países Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil participam do Mercosul que tem o objetivo de estabelecer uma aliança comercial visando a redução de tarifas cambiais e movimentando entre eles, mercadorias e capitais.
    O turismo e a entrada de produtos de outros países com menor custo é uma das vantagens do Mercosul, enquanto possui como desvantagem a língua, a falta de uma moeda única entre os países do Mercosul, a cultura, por haver vários contrastes de um país para o outro.

    Aluna:Luana Santana
    2° ano C - Manhã
    Número:25

    ResponderExcluir
  116. A globalização no Brasil começou muito tarde, e ela pode trazer diversos benefícios tanto para cultura quanto para nossa economia, porém pode trazer diversas desvantagens. O Brasil possui uma economia aberta ao mercado internacional, ou seja, nosso país vende e compra produtos para diversas nações.
    A desvantagem é que na exportação os produtos possuem preço baixo em relação aos importados, o que leva a falência de muitas empresas causando muitos desempregados. O desemprego também é grande, logo muitos estrangeiros vem ao Brasil em busca de empregos, e o que as empresas buscam é mão de obra qualificada seja ela brasileira ou estrangeira, outra desvantagem é o fato de que se ocorrer uma crise no mundo o Brasil é diretamente afetado, já que tem sua economia muito ligada ao mundo financeiro internacional.
    A vantagem é que o país vai ter mais acesso aos produtos internacionais, muitas vezes mais baratos ou melhores do que os fabricados no Brasil e também os brasileiros podem ter acesso ao que ocorre no mundo das artes, cinema, música, etc. Através da televisão, internet e intercâmbios culturais, podemos ficar conectados ao mundo cultural internacional tendo assim mais conhecimentos científicos e tecnológicos o que torna nossa cultura mais completa.

    Aluna: Maria Beatriz Roque
    2° ano C – Manhã
    Número: 32

    ResponderExcluir
  117. A globalização é um fenômeno que facilita cada vez mais a integração econômica, social e cultural entre diversos países no mundo todo, trazendo desenvolvimento tecnológico e econômico. Hoje qualquer acontecimento importante num determinado país atinge rapidamente outros, e os povos estão cada vez mais interdependentes. Com o Mercosul, o Brasil tem seu poder de negociações internacionais potencializado, contribuindo portanto para sua integração com outros países.
    O Mercosul é o mais importante projeto de política externa do Brasil, pois possibilita uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial e acesso aos recursos financeiros e à tecnologia normalmente só encontrados em países desenvolvidos, podendo ser visto como fator significativo na expansão das exportações brasileiras.
    Podemos citar como aspectos positivos (não só para o Brasil, mas para todos os países membros do Mercosul) a dinamização econômica, a consolidação do processo de liberalização comercial, a atração de investimentos e o fortalecimento das instituições democráticas. Mas essa expansão também traz diversos aspectos negativos, como por exemplo a administração de conflitos de interesse e a dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do Mercosul.

    Aluna: Liliane Leite Lacerda
    Série: 2º ano F
    Número: 29

    ResponderExcluir
  118. A globalização é um processo de interdependência entre países que, pode ser econômico, cultural, social e político, ela surgiu com a necessidade de novos mercados consumidores e também pode ter sido impulsionado pelo barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. Logicamente que a globalização não possui só aspectos positivos, ao contrário do que se esperava, a globalização aumentou a desigualdade social, aumentou a concentração de renda, entre outros fatores.
    O Mercado Comum do Sul (Mercosul) é composto pelos países: Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai (a Bolívia e o Chile também fazem parte, porem são associados). Seu principal objetivo é integrar os países e organizar suas economias em um mercado comum com livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos. O Brasil está se destacando bastante no cenário mundial como uma das economias que mais vem crescendo no mundo.
    O Brasil vê vantagens ganhando “prestigio” nas negociações internacionais e a Argentina o vê como uma solução mais fácil para crises de curto prazo. Desde 2003, nossas exportações para os outros membros do Mercosul vêm crescendo com maior rapidez do que as deles para nós. A permanência do Brasil no MERCOSUL é importante pois sua interação não é só com os países membros, mas com todo o mundo, faz crescer o desenvolvimento do nosso pais.


    Larissa Andrade de Morais Cavalcanti 2º ano B Nº22

    ResponderExcluir
  119. As globalizações que nos atingem no dia-a-dia das formas variadas, pois existem mudanças positivas para o nosso cotidiano e mudanças que estão tornando a vida de muita gente mais difícil. Um dos efeitos negativos do intercâmbio maior entre os diversos países do mundo, é o desemprego que, no Brasil.No caso brasileiro, a abertura foi ponto fundamental no combate à inflação e para a modernização da economia com a entrada de produtos importados, o consumidor foi beneficiado: podemos contar com produtos importados mais baratos e de melhor qualidade e essa oferta maior ampliou também a disponibilidade de produtos nacionais com preços menores e mais qualidade. É o que vemos em vários setores, como eletrodomésticos,roupas,carros, lavanderia. A opção de escolha que temos hoje é muito maior.
    Já o Mercosul, como é conhecido o Mercado Comum do Sul, é a união aduaneira (livre-comércio intrazona e política comercial comum) de cinco países da América do Sul. Em sua formação original, o bloco era composto por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Em virtude da remoção de Fernando Lugo da presidência do Paraguai, o país foi temporariamente suspenso do bloco; esse fato tornou possível a adesão da Venezuela como membro pleno do Mercosul a partir do dia 31 de julho de 2012, inclusão até então impossível em razão do veto paraguaio. No dia 17 de dezembro de 2007, Israel assinou o primeiro Tratado de Livre Comércio com o bloco. Em 2 de agosto de 2010, foi a vez de o Egito assinar também um TLC.
    Os pontos positivos do Mercosul são:ampliação do mercado para produtos brasileiros,maior força política e econômica dentro da economia mundial,já os negativos são:administração de conflitos de interesse,menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do Mercosul.

    Marília Dirthy de Oliveira Arruda Nº33
    2ºano A

    ResponderExcluir
  120. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  121. O Brasil é, fundamentalmente, um global trader com interesses muito diversificados e natural preferência por um sistema multilateral de comércio. O interesse do Brasil em uma inserção na economia mundial vai além do comércio de mercadorias; diz respeito, principalmente , a acesso aos recursos finaceiros e à tecnologia, normalmente só encontrados em países desenvolvidos.

    Por todas essas razões, a integração regional não pode ser senão um complemento limitado à área de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial. De qualquer modo, a integração regional não deve se circunscrever ao Mercosul, mas incluir todos os nossos vizinhos da América do Sul, como previsto na iniciativa brasileira de constituição de uma Área de Livre Comércio Sul Americana — ALCSA. O Mercosul, como uma zona de livre comércio em seu estágio final de conformação, pode ser visto como fator mais significativo na notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros. Contudo, a conversão do Mercosul em união aduaneira deverá ser conduzida com cuidado, a fim de evitar que sua tarifa externa comum se transforme em restrição indevida da capacidade do Brasil de formular e executar políticas comerciais e industriais requeridas por seus objetivos de desenvolvimento.

    O Brasil lançou mão, largamente, da proteção tarifária e não-tarifária na sua política de industrialização pela substituição de importações. Desta forma, incentivou o investidor estrangeiro a pular o muro tarifário e produzir aqui o que antes exportava diretamente para o Brasil. Passou a adotar, em seguida, política para atrair o capital estrangeiro, não só no que concerne à produção em nosso território, mas também para exportação. Assim o Brasil constituir-se-ia, no mundo, em um dos países mais abertos ao investimento direto estrangeiro,foi feito um atestado por sua importância no percentual do PIB nacional.

    Aluno: Luan Gonçalves Pereira - 2ºAno B - Nº: 24

    ResponderExcluir
  122. O MERCOSUl caracteriza-se pelo regionalismo aberto,tem por objetivo não só o aumento do comércio intrazona, mas também o estímulo às trocas com terceiros países. São Estados Associados do Mercosul a Bolívia (desde 1996), o Chile (desde 1996), o Peru (desde 2003), a Colômbia e o Equador (desde 2004). Ainda que não sejam Estados Associados, em 2012,Guiana e o Suriname passaram a contar com formas de participação nas reuniões do MERCOSUL.
    As discussões para a constituição de um mercado econômico regional para a America Latina remontam ao tratado que estabeleceu a Assosiações Latina Americana de Livre Comercio (ALALC) desde a decada de 1980. À época, a Argentina e o Brasil fizeram progressos na matéria, assinando a Declaração do Iguaçu, que estabelecia uma comissão bilateral, à qual se seguiram uma série de acordos comerciais no ano seguinte. O Cooperação e Desenvolvimento, assinado entre ambos os países em 1988, fixou como meta o estabelecimento de um mercado comum, ao qual outros países latino-americanos poderiam se unir.
    Em suma, O aperfeiçoamento da união aduaneira é um dos objetivos basilares do MERCOSUL. Como passo importante nessa direção, os Estados Partes concluíram, em 2010, as negociações para a conformação do Código Aduaneiro do MERCOSUL. Ademais, com objetivo de reduzir os custos financeiros nas transações comerciais, o Conselho do Mercado Comum aprovou o “Sistema de Pagamento em Moedas Locais” para o comércio entre os Estados Partes do MERCOSUL. O Sistema de Pagamentos em Moeda Local já está em funcionamento para operações entre Brasil e Argentina. O mesmo mecanismo está sendo implementado entre Brasil e Uruguai.


    Giovanna Ferreira de Oliveira Sampaio Soares 2ºano F Nº19

    ResponderExcluir
  123. O Brasil e o Mercosul: Enquanto a industrialização brasileira restringiu-se a substituir importações e a faze-lo com forte apoio, em muitos casos, do capital estrangeiro, os instrumentos de que o Brasil lançou mão para promover seu desenvolvimento industrial não sofreu contestação internacional. Esta só viria a manifestar-se quando nossas exportações de manufaturas se tornaram competitivas com a indústria dos países desenvolvidos, nos respectivos mercados ou em terceiros países. A contestação internacional passaria a ser verificada mais recentemente, também em termos de pressões para a abertura de nosso próprio mercado, o que se expressaria não só através de ameaças de sanções comerciais mas, ainda, do condicionamento da renegociação da dívida externa. Essas pressões se manifestam em especial com relação a produtos de alta tecnologia, áreas nas quais os países detentores do know-how relutam em reconhecer o direito de países como o Brasil de criar uma capacidade nacional de produção, ainda que destinada ao mercado interno.
    Concluimos que a inserção do Brasil na economia mundial não se dá apenas pela via do comércio, em termos de acesso a mercados de bens; requer também, e talvez principalmente, acesso ao mercado de capitais e de tecnologia, o que, normalmente, só é encontrado no mundo desenvolvido.

    De qualquer modo, mesmo no plano do comércio de bens, o Brasil é um global trader com interesses muito diversificados e com clara preferência por um sistema de comércio multilateral e nao-discriminatório.

    O Mercosul, como área de livre comércio em formação, já produziu excelentes resultados comerciais. E projeto que continua, portanto, a merecer alta prioridade. Devemos reconhecer, contudo, não ser suficiente para o Brasil como plataforma de inserção regional e muito menos mundial.

    A conformação do Mercosul como mercado comum é um projeto a ser realizado a longo prazo; o governo brasileiro, agora, tenta consolidá-lo como União Aduaneira.

    By: Ana cândida formiga L
    2º ANO B Nº03 Geo SUl

    ResponderExcluir

  124. Desde que as sociedades estabeleceram contatos entre si, houve troca de informações, de técnicas e de cultura. Em determinados períodos da história humana esses contatos foram acelerados. Trata-se de um processo em curso, uma nova fase do capitalismo financeiro e do imperialismo, comandado pelas grandes empresas transnacionais, que procuram abrir novos mercados. O poder dessas empresas ultrapassa cada vez mais o poder das economias nacionais.
    A globalização é, portanto, um conjunto de mudanças que estão ocorrendo em nível mundial na esfera econômica, financeira, comercial, social, cultural e nos sistemas produtivos, intensificando a inter-relação dos países e dos povos. Ela implica também uma grande uniformização de padrões econômicos e influências culturais, onde percebemos que valores tipicamente ocidentais, como o casamento ao lado, mesclam-se às tradições de países tão distantes como a Tailândia.
    O Mercosul é, antes de mais nada, um projeto comercial. O Tratado de Assunção, que dá vida ao Mercosul, estabelece os primeiros compromissos de natureza comercial entre os sócios, a fim de contribuir para uma melhor compreensão do que representa esse ambicioso projeto,
    O propósito da integração dos países membros do Mercosul é dinamizar a inserção de suas economias no plano internacional, incrementar a captação de investimentos produtivos e assegurar a estabilidade econômica e níveis cada vez mais elevados de bem-estar social e qualidade de vida das suas populações. Quase não há quem abertamente discorde da importância estratégica dos avanços do Mercosul e, a partir deste, de uma área de integração em toda a América do Sul para que, fortalecidos, possam se integrar na Área de Livre Comércio das Américas e com a União Europeia ou com outros blocos ou países. Mesmo os que apresentam opiniões contrárias têm plena consciência de que essa união comercial entre os países da América Latina fortalece e proporciona ganhos em várias áreas da indústria e da agricultura. Além disso, após o advento da globalização é necessário um fortalecimento do comércio para viabilizar a competição com os outros mercados, principalmente com países de Primeiro Mundo que possuem uma agricultura fortemente automatizada e desenvolvida. A única maneira de países como os da América Latina se inserirem nesse contexto é promovendo a união. É exatamente a isso que visa o Tratado do Mercosul, fortalecer nossa economia por meio da união com os demais países do Cone Sul e da América do Sul.


    Ingrid Fabric Gouveia Lima N°21
    2ºA

    ResponderExcluir
  125. A partir dos anos 1980 os processsos de integração regional ganharam uma maior importancia. Dentro desse contexto encontra-se o MERCOSUL, que, apesar de ter seu início marcado em 1991 com a assinatura do Tratado de Assunção, suas bases remotam muito antes, pois os paises possuem relaçoes historicas, nao apenas de comercio. Tendo em vista que o principal objetivo desse processo de integração é a criaçao de um Mercado Comum, ou seja, um objetivo comercial, esse trabalho visa compreender melhor as relações comerciais dentro do bloco, partindo especialmente do ponto de vista brasileiro
    A integração, apesar de ter sido todo um processo iniciado com os primeiros acordos da cooperação entre Brasil e Argentina em 1979 e 1980, firmados pelos presidentes Videla e Figueiredo, efetivamente só veio a se materializar com o Tratado de Assunção, ja citado no texto, em 1991. Assim, o maior interesse dado ao mercosul está dentro do contexto da cooperação Sul-Sul, sendo que a America do Sul é uma das prooridades do governo, principalmente partindo do MERCOSUL como um projeto político. O problema é que para os demais países do bloco, o foco está principalmente na integração econômico-comercial.
    A globalização corresponde a uma integração das economias e sociedades de todo o mundo com o objetivo de beneficiar, facilitando e agilizando a vida de modo geral. Tal integração se dá muito rápido e continuamente, de modo a trazer em muitos casos malefícios, que atingem a todos. A globalização transfere cada vez mais a responsabilidade do estado para as empresas privadas, nas nações desenvolvidas, normalmente seus componentes tende a arcar com despesas de serviços que deveriam ser disponibilizadas pelo poder público, como educação e saúde.
    Para fazer seus paises participarem da globalização, não ficando por tanto para trás desse fenômeno mundial, fora criado o Mercosul, que é um acordo de livre mercadoria entre paises da América latina, sendo diminuída a taxa de importação desses países. O Mercosul é um bloco econômico muito difundido, o Brasil faz parte desse acordo junto com outros tantos países, que fazem o possível para terem seus paises em grande processo de desenvolvimento industrial, agrícola, e técnico.

    MATHEUS CÈSAR RIBEIRO
    2° A
    N° 34.

    ResponderExcluir
  126. O Brasil com sua forte economia e como um dos países integrantes do Mercosul possuía grande facilidade em comercializar e se relacionar com outros países, com a expansão global traria maior acessibilidade a informação assim como caso houvesse uma crise, estes continuariam a se manter com suas economias, suas industrias aumentariam e também seu desenvolvimento, com o facilitamento da informação os países poderiam ajudar-se em casos extremos. Algumas vantagens do Brasil na Mercosul seriam: conta com um grande e desenvolvido parque industrial, que supera os outros 4 países do bloco por isso tem uma especie de monopólio na economia; o turismo, que em Santa Catarina atrai uma grande quantidade de turistas no período de verão; com o Mercosul cria-se uma integração maior neste setor. Porem não foram apenas alegrias que trouxe a união, desvantagens também podem ser mencionadas como: A língua poderia se tornar um entrave. Já que 4 países participantes falam espanhol, mas o Brasil que fala português possui a maior população;a moeda única, que como a língua, se não for bem discutida poderá tornar-se um problema para o desenvolvimento do Mercosul e a infra-estrutura, já que a Argentina e o Chile contam com boas rodovias e portos bem equipados, excelentes para o escoamento da produção.

    ALUNO: Iury Sales Ferreira De Oliveira
    SÉRIE: 2° ano C - Manhã
    Número: 19

    ResponderExcluir
  127. A Globalização é um processo de interação cultural, social, política e econômica e isso tornou favorável aos países subdesenvolvidos como o Brasil de usufruir de tecnologia estrangeira e compartilhar informações, também com a interação entre as mais diferentes nações, gera o enriquecimento das culturas.
    Na América Latina foi criado o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) com o objetivo de amenizar as diferenças entre as nações pertencentes ao bloco. Aumento do comércio (as mercadorias são comercializadas sem tarifas), gerando mais riquezas para ambos, maior troca de informações e conhecimento, usufruir de produtos por um melhor preço e também de melhor serviço dos países.
    Contudo, com a grande troca de informações acabamos perdendo nossa privacidade, devido a diversificação das culturas, muitos povos acabam perdendo a sua identidade.

    AMANDA DE SOUZA MAGALHÃES
    2º ANO C, Nº 01.

    ResponderExcluir
  128. Mercosul e Globalização


    O Mercosul ( mercado comum do sul ) é uma associação criada em 1991, entre Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai com o objetivo de melhorar suas economias e relações. Mas com o passar do tempo entraram nessa associação Chile, Bolívia, Peru, Equador, Venezuela e Colômbia. O Brasil se fortificou bastante enquanto a área financeira e comercial, em destaque a Argentina possui muitas das filiais brasileiras em seus territórios ( e vice-versa ), essa necessidade brasileira de se manter no Mercosul é por causa de ser o país mais importante em relação de exportações dos países dessa associação e neste grupo de países o Brasil e Argentina tem uma economia bem diversificada.

    No inicio da década de 90, o Brasil passa a adotar idéias liberais, abrindo o seu mercado interno, criando maior liberdade para a entrada de mercadorias e de investimentos externos, derrubando assim, algumas barreiras protecionistas. A idéia era ter o capital estrangeiro como ajuda para retomar ao crescimento econômico.

    No caso brasileiro, a abertura foi ponto fundamental no combate à inflação e para a modernização da economia com a entrada de produtos importados, o consumidor foi beneficiado: podemos contar com produtos importados mais baratos e de melhor qualidade e essa oferta maior ampliou também a disponibilidade de produtos nacionais com preços menores e mais qualidade. Mas a necessidade de modernização e de aumento da competitividade das empresas, produziu um efeito muito negativo, que foi o desemprego. Para reduzir custos e poder baixar os preços, as empresas tiveram de aprender a produzir mais com menos gente. Incorporavam novas tecnologias e máquinas.
    2 ano E, Renan Matias Mendes numero: 42

    ResponderExcluir
  129. Pedro Henrique R. Duarte - 2ºano "F"; nº42

    Com o progresso das comunicações e dos meios de transporte, o mundo perdeu suas fronteiras transformando a Terra numa aldeia global(um único tipo de povo). A globalização é influencia direta no processo de formação de blocos econômicos, em relação ao Brasil temos o MERCOSUL.

    MERCOSUL é um bloco econômico que engloba os países da América do Sul são eles: Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Blocos Econômicos são a união de vários países com o intuito de realizarem o comércio aberto entre eles.

    O interesse do Brasil de manter-se no MERCOSUL está ligado a necessidade de estar influente no comércio mundial e levar junto no trem os países do MERCOSUL.

    ResponderExcluir
  130. A integração e relacionamento entre os países, e esse relacionamento melhorou a participação das nações no mercado externo internacional possibilitou na formação de blocos econômicos para o fortalecimento de suas economias verem atendidos os anseios da população interna num processo economicamente sustentável, que maximize as riquezas e reduza as desigualdades sociais dos povos que formam as comunidades de cada nação.
    O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é a união composta por quatro países membros: Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil e também um país em processo de adesão, a Venezuela. Esse acordo tem como objetivo o desenvolvimento de seus membros e isto não se restringe apenas ao crescimento econômico, sendo ele apenas uma das faces do desenvolvimento, que é também social no sentido de reduzir a desigualdade e injustiça na sociedade. O MERCOSUL teve como objetivo a livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos, o estabelecimento de uma Tarifa Externa Comum (TEC), a adoção de uma política comercial comum com relação a terceiros Estados ou grupos e a coordenação de posições em foros econômicos comerciais regionais e internacionais. Os membros do grupo criaram dois órgãos superiores para administrar o Tratado de Assunção de 1991: ‘’o Conselho do Mercado Comum (CMC) e o Grupo Mercado Comum (GMC). O CMC possui caráter político e é formado pelos ministros das Relações Exteriores e da Economia ou Fazenda, que têm a faculdade de tomar decisões para assegurar o cumprimento dos objetivos e prazos estabelecidos.
    Por sua parte, o Grupo Mercado Comum tem caráter executivo e é integrado pelos chanceleres, que velam pelo cumprimento do Tratado e pelas decisões adotadas pelo Conselho. Também propõem medidas sobre liberalização comercial, coordenação de políticas macroeconômicas e negociação de acordos em relação a terceiros. Atuamente a recente reunião da cúpula do Mercosul, realizada na última semana em Assunção (Paraguai), mostra que há um esvaziamento preocupante do bloco. Há poucos anos, a união era vista como uma alternativa de expansão econômica e independência política, o que não se confirmou. ‘’



    aluno:João Guilherme monteiro reis 2°ano F n°22

    ResponderExcluir
  131. Desde o início da História da humanidade, as sociedades do mundo estão em processo de globalização, ou seja, em integrar economicamente, socialmente, culturalmente e espacialmente os países, para se formar uma "Aldeia Global" tendo em vista atender ao capitalismo e, principalmente, os países desenvolvidos; de modo que pudessem buscar novos mercados, em que o consumo interno encontrava-se saturado.
    O forte desenvolvimento da globalização gerou atração para os países em formar blocos econômicos já que vistos que suas economias iam se fortificar, e, além disso, puder atender os pedidos de toda a sociedade tendo como aumento nas riquezas do país e os conflitos gerados pela desigualdade social, um dos principais fatores gerados a partir do monopólio de riquezas em uma sociedade, reduzir devido a esse novo método.

    O Brasil faz parte do MERCOSUL (Mercado comum do sul) que foi estabelecido para se propagar em meio da economia dos países do Sul. Incialmente com os quatros países integrantes Argentina, Paraguai, Uruguai e ele, tendo recentemente a inclusão da Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru e o México ainda como observador. Realiza-se como zona de livre comércio entre eles, por onde são praticadas tarifas de importação e exportação comuns com a circulação de mercadorias, capitais e serviços livres. Embora, também exista circulação de pessoas, mesmo sendo um fator preocupante já que há presença de estrangeiros em nossas terras vem causando enormes problemas para a sociedade tanto no social quanto no financeiro. É através do Mercosul que estar havendo um aumento significativo na expansão das exportações brasileiras para seus parceiros sendo cada vez mais integrador. Por isso, é incontestável sua posição de líder, em função de suas características econômicas, populacionais e geográficas.
    Tendo como finalidade, o Brasil, ele é um país com as portas abertas para exportações tendo em vista o combate à inflação e o maior desenvolvimento na modernização da economia para os produtos externos, como consequência da globalização, ou seja, ele indiretamente necessita passar por essa etapa da globalização. Porém, recua o grande desejo de consolidar sua nacionalização, tendo como a sociedade em produzir seus próprios produtos sendo mais baratos e qualificados.


    FÁBIA DANYELA ALENCAR
    2º ANO A
    Nº10

    ResponderExcluir
  132. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  133. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  134. É de suma importância saber antes de iniciar quaisquer estudos que, o Brasil no MERCOSUL assume o importante papel de líder, e tem grande responsabilidade em manter a "sobrevivência" do bloco (composto por quatro membros plenos: Brasil, Argentina, Venezuela e Uruguai, cinco países associados: Chile, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia e mais dois países observadores: Nova Zelândia e México) .
    Na realidade o tratado para livre-comércio entre países membros não é necessariamente posto em prática, tendo em vista que, as maiores economias que são Brasil e Argentina possuem maior poder de inserir suas mercadorias sobre as economias mais fracas e mesmo assim, não há um grande comércio entre tais nações, lembrando também que alguns dos países tem maiores relações com países como os Estados Unidos e a China do que com as próprias nações do MERCOSUL.
    Enfim, tentando elucidar os aspectos positivos na teoria são muitos, porém na prática grande parte não é exercida e como vimos, os aspectos negativos também são muitos, vendo que há boa desigualdade entre os blocos econômicos, maiores relações com países de fora do grupo e a possível problemática da Venezuela, em querer formar o novo grupo ALBA que visa não um mercado regional, mas ser um bloco geopolítico anti os Estados Unidos, algo que não interessa o Brasil, Argentina nem Chile.

    BEATRIZ TAVARES PORFIRIO - 2° ANO F/N°: 07

    ResponderExcluir
  135. A globalização "atual", que veio logo após a Guerra Fria, trouxe mudanças muito grandes, onde o mundo praticamente "unificou-se". Influências vindas principalmente do Estados Unidos, foi priorizado a qualidade de vida e os bens de consumo, de produtos praticamente iguais, e que todos possuem um. Culturas "perdem a identidade" por causa de costumes popularizados e adotados por muitos. Mas ao contrário do que se pensavam, as fronteiras não perderam sua importância, ocorrendo até hoje conflitos entre países por conta disso.
    Compreendendo as consequências da globalização, criou-se o Mercosul, participando a Argentina, Paraguai, Uruguai, Brasil e recentemente a Venezuela. Essa união pode trazer várias vantagens, como a unificação da moeda, a livre circulação de pessoas entre os países, e por exemplo, um professor de geografia poderia ir dar aula no Uruguai e receberia seu salário normal, teria esse maior liberdade. Mas com a unificação da moeda, isso causaria uma interdependência, onde se um país entra em crise, todos os outros entram em colapso.
    A formação desse grupo, trouxe uma grande interação do Brasil com esses países e também a redução de taxas de comércio entre eles. Assim, existe ai, uma grande oportunidade para ampliar a rede do Brasil em exportação e importação de produtos e assim valorizando e aumentando o crescimento nacional, trazendo melhorias para o nosso PIB, e quem sabe investimentos para aumento do IDH.

    Eduardo Felipe Fonseca de Freitas
    Nº-51
    2º "C"

    ResponderExcluir
  136. A Globalização é antiga, surgida desde a fase dos descobrimentos, que passou a muito tempo despercebida, começando a se desenvolver com a revolução industrial e mais tarde com a revolução tecnológica.Essa só ocorreu pós Segunda Guerra Mundial,onde os países vitoriosos e os devastados,querendo impedir outra guerra, começaram a criar acordos diplomáticos e blocos econômicos, interligando-os econômico, social, cultural e politicamente.Começava assim a abertura do comércio, do capital e dos produtos para com as outras nações. Acarretado o rápido crescimento e intuito de se tornar um país desenvolvido.Os mais beneficiados foram os países emergentes.

    Tem aspectos positivos pois gera uma relação diplomática entre esses países,gera mais riquezas por causa do fluxo comercial, usufruto de produtos mais baratos e maior troca de informações com o mundo todo. Mas também existem desvantagens, como o aumento das desigualdades,há um bom funcionamento para países bem estruturados e o desrespeito as culturas.

    O Mercosul bloco econômico criado para reduzir as fronteiras e possibilitar o livre comercio entre os países integrantes: Brasil,Uruguai,Venezuela,Argentina e Paraguai. Atualmente a União europeia vem tendo conversas para uma negociação ou criação de um bloco econômico entre as mesmas, facilitar o livre comércio e a tarifa de exportações e importações.

    O Brasil tem interesse principalmente nos recursos financeiros e nas tecnologias( encontradas geralmente em países de primeiro mundo), querendo dar um passo longo para se tornar um país desenvolvido. Hoje está entre as 10 maiores economias do mundo, mas com uma terrível qualidade no aspecto social, e isso o impossibilita de ser desenvolvido, boa parte disso gerada pela globalização( que gera a desigualdades sociais). Com isso a integração regional é só um complemento limitado á áreas de bens no quadro de uma inserção brasileira mais ampla no cenário mundial, com notável expansão das exportações brasileiras para seus parceiros.

    Aluna: Djullie Caroline de Barros Rocha
    Serie: 2º ano Turma: C
    nº: 10

    ResponderExcluir
  137. Mercados fechados como era os feudos da Idade Média tornaram-se insustentáveis com passar do tempo. Visto isso, as grandes nações europeias começaram a ter uma maior integração entre si e a busca de novos mercados de consumo e exploração que é o caso da América e África.
    Na contemporaneidade, vemos um mundo totalmente interligado através dos meios de comunicação e transporte, liderado pelas grandes potencias a nível global e com lideranças regionais cada vez mais importantes com a ascensão dos blocos econômicos.
    Em um contexto de uma crise econômica generalizada, com a iminencia de outras ainda maiores, com os grandes desequilíbrios ambientais e sociais e com a tensão bélica que sonda várias nações, a união em blocos supranacionais que compartilhem o mesmo contexto diante o mundo é evidentemente uma das melhores saídas.
    O Brasil está inserido em um grupo com poder ascendeste que é o BRICS. Mas sua atenção principal é o Mercosul. Esse é um bloco econômico continental que conta com a participação de países fronteiriços, com culturas de mesma raiz e que se encontram em condições socioeconômicas semelhantes.
    Portanto, o Brasil mesmo dentro de um contexto global de crise está se saindo bem, pois conta com seu próprio crescimento estimulado e pelo crescimento e fortalecimento do Mercosul, demonstrando superavit cada vez maior, tornando-se um líder a nível sul-americano e latino-americano e atraindo a atenção de mais países a sua causa.


    LETYCIA DE LIMA MEDEIROS 2 ANO G- N.21

    ResponderExcluir
  138. O processo de globalização nasceu a partir das necessidades do capitalismo, e hoje denomina-se como sua fase mais avançada permitindo as nações se interligarem, levando em conta aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos.
    As empresas multinacionais e transnacionais vem contribuindo pra a globalização no Brasil, as inovações tecnológicas, principalmente nas telecomunicações, diante disto, foi possível a troca de informações entre as empresas e instituições financeiras, ligando os mercados do mundo. A globalização vem ajudado as relações do Mercosul com os outros blocos econômicos, tais como o MCE e o Nafta, está permitindo um intenso, rápido e imparcial desenvolvimento dos seus parceiros.
    O papel do Brasil no Mercosul é, portanto, cada vez maior, é tido como o " país líder ", em função de suas características econômicas, populacionais e geográficas. A posição de líder aumenta a responsabilidade do Brasil em fazer com que o Mercosul se mantenha estável, e contribua com a globalização do nosso e de outros países.

    Aluna: Isabela Remígio Número: 18° Turma: 2° ano C Manhã GEO Sul

    ResponderExcluir
  139. A globalização são mudanças que ocorrem em um país seja ela econômica, social, política ou cultural, atingindo todas as classes de um ponto de vista mais capitalista. A necessidade, e a vontade que o Brasil tem de se expandir economicamente, não é de se admirar pelo fato do mesmo ter começado a se industrializar tardiamente.
    O Brasil hoje faz parte de um dos principais acordos econômicos feitos na América Latina, o MERCOSUL , que consiste na integração de países como, a Argentina, Paraguai, Uruguai, e ainda em questão, a Venezuela , formam uma população total estimada em 311 milhões de habitantes e um PIB de aproximadamente 2 trilhões de dólares, onde o Brasil é o bem mais desenvolvido de todos, e que consequentemente contribui melhor para o mercado comum do sul. A comercialização entre os países membros é muito importante, para a melhor relação entre eles e para a ampliação econômica, e até mesmo para melhorar o turismo, principalmente do Brasil com a Argentina.
    O pontos negativos desse grande “acordo” se da a partir da desigualdade entre os países membros com vantagem do Brasil, e a disputa para ser a liderança do bloco econômico, e a falta de livre e total circulação de certos produtos. A relação do MERCOSUL com a globalização, é algo muito simples com essa expansão de informação, vem com ela a tecnologia que ajuda sem sombra de dúvidas, na forma de “compartilhamento “ de produtos entre os países membros.
    Aluna:Sofia Maria Almeida Dias
    Série:2ºano Turma: B nº:38

    ResponderExcluir
  140. A globalização é um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural, política, que teria sido impulsionado pelo barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. A globalização é um fenômeno capitalista e complexo que começou na era dos descobrimentos e que se desenvolveu a partir da Revolução Industrial. Mas o seu conteúdo passou despercebido por muito tempo, e hoje muitos economistas analisam a globalização como resultado do pós Segunda Guerra Mundial, ou como resultado da Revolução Tecnológica. Atualmente os grandes beneficiários da globalização são os grandes países emergentes, especialmente o BRIC, com grandes economias de exportação, grande mercado interno e cada vez maior presença mundial. Antes do BRIC, outros países fizeram uso da globalização e economias voltadas a exportação para obter rápido crescimento e chegar ao primeiro mundo, como os tigres asiáticos na década de 1980 e Japão na década de 1970. A globalização afeta todas as áreas da sociedade, principalmente comunicação, comércio internacional e liberdade de movimentação, com diferente intensidade dependendo do nível de desenvolvimento e integração das nações ao redor do planeta. Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é a união aduaneira composta por quatro países-membros - Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil - e um país em processo de adesão, a Venezuela, cujos objetivos são bastante ambiciosos, abrangendo áreas relacionadas não somente à economia, mas também à cultura, educação, deslocamentos populacionais, trabalhista, entre outros. A globalização aumenta a concorrência e a competitividade entre os países.Com isso, eles se unem em blocos econômicos, como o Mercosul para se fortalecerem e ficarem mais competitivos no mercado global.

    Aluna: Adna Carolyne Santana
    Serie: 2º ano E
    Nº: 1

    ResponderExcluir
  141. Globalização é um processo de comunicação entre países, que começou ao final do século XX e começo do século XXI, esta comunicação é sobre vários assuntos como: Economia, cultura, política e social. Alguns dizem que é a expansão do capitalismo, já outros não. E como todo processo necessita de métodos, que usados por seres humanos possuem pontos positivos e negativos.
    Um dos métodos usados para este processo foi a formação de blocos econômicos, exemplo, o MERCOSUL, formado por membros planos: Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela e como estados associados: Chile, Bolívia, Peru, Colômbia e Equador.
    No caso do Brasil, Ele melhorou sua economia, sendo o mais rico da América do sul, construindo aliados para isso, mas não deixando de ser um país emergente ou subdesenvolvido. Assim fazer parte do MERCOSUL é uma “lei” para o Brasil, mas ele se sobressaindo pode provocar ou despertar algumas desavenças com outros países, causando desigualdades sociais em relação a pátria ou até Xenofobia.
    Mas de um modo geral a globalização não tem como ser igual em todos os países, porque existem principalmente muitas culturas e politicas diferentes, Não tem como ter uma ideologia para todos. Portanto cada país tem que ter sua “Paíslização”

    Mariana Barboza Balbino 2F n° 36

    ResponderExcluir
  142. O Brasil sofreu uma industrialização muito tardia e por causa disso hoje em dia nos ainda vivemos em um pais subdesenvolvido,porem nosso pais avançou muito economicamente e tambem em outras áreas, e com isso as pessoas acabaram descobrindo mais do mundo e passaram a sentir necessidade de comprar coisas que elas na necessitam como tudo que vêem na televisão ou roupas de marcas.
    O Merco-sul foi criado com o intuito de aumentar a economia dos países participantes,e vem dando resultado já que o Brasil esta na tabela dos países de melhor economia no mundo, e isso não ajuda só os países participantes ajuda tambem quem faz acordo com o Merco-sul como o egito,e ja que o mundo esta ficando cada vez mais conectado devido a globalização a tendencia é aumentar cada vez mais a economia de todos.

    Aluno: João Pedro Palhano
    Serie: 2º ano F
    Nº: 23

    ResponderExcluir
  143. Thayná Reis; 1° Ano G; Tarde n°33

    A globalização é um processo por quais muitos países passam desde que a revolução industrial fora feita, o mundo vive se atualizando, cada dia aparece novas tecnologias devido ao alto índice de globalização de um país. Para fazer seus países participarem da globalização, não ficando por tanto para trás desse fenômeno mundial, fora criado o Mercosul, que é um acordo de livre mercadoria entre países da América latina, sendo diminuída a taxa de importação desses países.O Mercosul é um bloco econômico muito difundido, o Brasil faz parte desse acordo junto com outros tantos países, como Bolívia, Argentina, Paraguai, Uruguai, que fazem o possível para terem seus países em grande processo de desenvolvimento industrial, agrícola, e técnico.
    Com essa "união" pode ter vantagens como:
    - O Brasil conta com um grande e desenvolvido parque industrial, que supera os outros 4 países do bloco.
    - O turismo, que em Santa Catarina atrai uma grande quantidade de Argentinos no período de verão; com o Mercosul cria-se uma integração maior neste setor.
    - A entrada de produtos dos outros países com baixo custo que até certo ponto pode ajudar com que exista uma queda de preços já que existe uma competição pelo melhor preço e qualidade.
    - As empresas de nosso estado e nossa região, como Sadia e Perdigão que poderão cada vez mais expandir seus mercados, já com o bloco de uma forma mais fácil. Mas também pode ter algumas desvantagens com:
    - A agricultura Argentina que possui vantagens em relação à brasileira, pois seus solos são mais férteis que os nossos.
    - A língua, que pode se tornar um entrave. Já que 4 países falam espanhol, mas o Brasil que fala português possui a maior população.
    - A moeda única, que como a língua, se não for bem discutida poderá tornar-se um problema para o desenvolvimento do Mercosul.
    - A cultura, que fica ameaçada por haver vários contrastes de país para país e possivelmente um conflito neste setor. Por vivenciar a cultura de outro país, a do nosso país pode perder sua importância.
    - A infra-estrutura, já que a Argentina e o Chile contam com boas rodovias e portos bem equipados, excelentes para o escoamento da produção.
    O Mercosul é um bloco que promete crescer muito econômicamente, já que na última terça-feira a presidente Dilma Rousseff afirmou que com a entrada da Venezuela o bloco se tornou a quinta maior econômia mundial.

    ResponderExcluir
  144. O MERCOSUL é a união aduaneira (livre-comércio intrazona e política comercial comum) dos países: Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, este ultimo está suspenso até as eleições de 2013, o objetivo da união desses países é o comércio entre as iontrazonas, a troca de mercadorias sem tarifas alfandegárias, barateamento dos transportes e etc.
    A aliança desses países os favorecem, como por exemplo aumentando seu poder político e economico na economia mundial, mas em contra partida algumas vezes existe a divergencia de interesses por parte desses países e a dependencia de decisões que precisam da aprovação de todos os membros.
    A relação entre o mercosul e a globalização(abrange o mundo todo em várias áreas como cultura, política, caráter social e econômico, se intensificou depois da guerra fria) é que os países subdesenvolvidos podem ter maior interação com os países de "primeiro mundo", e estar mais envolvido com as novas tecnologias; toda essa globalização ajuda para o seu desenvolvimento além de servir para toda a população que acompanha esse crescimento e a globalização.

    Aluna: Evllin Sousa C. Oliveira
    2 ano E n:15

    ResponderExcluir
  145. Devido à sua extensão territorial, fronteira com vários países e sua capacidade de interagir com outros países, o Brasil é o principal bloco do MERCOSUL.
    A globalização mudou completamente o quadro político, econômico e social de todo o mundo, “impondo” o que nós devemos fazer para que a economia flua corretamente, o Brasil como país subdesenvolvido em ascensão precisa entrar nesse quadro para que consiga se tornar desenvolvido, assim precisando aumentar sua capacidade industrial e por isso a criação do MERCOSUL que garantiu a todos os países envolvidos varias vantagens entre si.
    Mesmo com todas essas vantagens existem problemas entre os países do MERCOSUL como a falta de moeda igualitária ou não possuírem a mesma língua, essas diferenças geram uma disputa pela liderança do bloco.

    José Roberto de Farias neto - 2º ano C – manhã - nº 23

    ResponderExcluir
  146. A inserção do Brasil na economia mundial não se dá apenas pela via do comércio, em termos de acesso a mercados de bens; requer também, e talvez principalmente, acesso ao mercado de capitais e de tecnologia, o que, normalmente, só é encontrado no mundo desenvolvido. De qualquer modo, mesmo no plano do comércio de bens, o Brasil é um global trader com interesses muito diversificados e com clara preferência por um sistema de comércio multilateral e não discriminatório.
    O MERCOSUL, como área de livre comércio em formação, já produziu excelentes resultados comerciais. E projeto que continua, portanto, a merecer alta prioridade. Devemos reconhecer, contudo, não ser suficiente para o Brasil como plataforma de inserção regional e muito menos mundial.
    Para o Brasil os pontos positivos do MERCOSUL se devem a principalmente ampliação do mercado para produtos brasileiros e a maior força politica e econômica dentro da economia mundial. Seus pontos negativos se devem principalmente a administração de conflitos de interesse e menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do MERCOSUL.
    A conformação do MERCOSUL como mercado comum é um projeto a ser realizado em longo prazo; o governo brasileiro, agora, tenta consolidá-lo como União Aduaneira.A transformação do MERCOSUL em União Aduaneira terá de ser feita, entretanto, de forma a não se criar um obstáculo à preservação dos níveis atuais de industrialização brasileira nem à sua necessária expansão futura, em termos não só quantitativos, mas também qualitativos. E desde que não implique cerceamento indevido da capacidade negociadora do Brasil no terreno comercial, em particular na América do Sul.
    Aluna: Victoria de Barros Pinheiro Kuramoto da Silva
    Série: 2°ano F N° : 47

    ResponderExcluir
  147. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  148. A Globalização teve seu início mais significativo no final da década de 80, onde de acordo com os fatos é possível observar que neste período o mundo era dividido entre o capitalismo e o socialismo. Hoje o capitalismo classificado como (produzir, vender para obter lucros) usa dois sistemas auxiliares que são o neoliberalismo e a rede de informação mundial, ou seja, um sistema que faça seu produto ser conhecido e comercializado no mundo inteiro e assim podemos denominar de Globalização. Todo esse processo de Globalização foi fundamental no tocante estreitamento entre as empresas e países tendo a contribuição em massa das multinacionais que de uma forma significativa fortaleceu e efetivos todo esse processo.
    Outro fato importante para o Brasil assim como para os países da Argentina, O Uruguai e Paraguai é o Mercado Comum do Sul mais conhecido como MERCOSUL que é um projeto de política externa de grande relevância para o nosso país. Todo esse processo se iniciou por meio do Tratado de Assunção em 19, ou seja, a integração dos quatro países por meio da livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos, do estabelecimento de uma Tarifa Externa Comum (TEC), da adoção de uma política comercial comum, da coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais, e da harmonização de legislações nas áreas pertinentes. Foi no ano passado (2012) que o MERCOSUL passou pela primeira ampliação desde sua criação, tendo a Venezuela inserida. Ainda nesse mesmo período foi assinado o Protocolo de Adesão da Bolívia ao MERCOSUL.
    Logo, podemos concluir que o MERCADO COMUM do SUL representa hoje um agrupamento regional economicamente poderoso e politicamente estável, que tem sabido aproveitar os ensinamentos e as oportunidades da globalização e tem, assim, atraído, cada vez mais, o interesse de todo o mundo.

    Aluna: Maria Luiza Queiroz
    2ano E n:32

    ResponderExcluir
  149. A globalização é um processo por quais muitos paises passam desde que a revolução industrial fora feita, o mundo vive se atualizando, cada dia aparece novas tecnologias devido ao alto índice de globalização de um país.

    Para fazer seus paises participarem da globalização, não ficando por tanto para trás desse fenômeno mundial, fora criado o Mercosul, que é um acordo de livre mercadoria entre paises da América latina, sendo diminuída a taxa de importação desses países.

    O Mercosul é um bloco econômico muito difundido, o Brasil faz parte desse acordo junto com outros tantos países, como Bolívia, Argentina, Paraguai, Uruguai, que fazem o possível para terem seus paises em grande processo de desenvolvimento industrial, agrícola, e técnico.


    Darllan Cassio Oliveira / 2ºano F / Numero 14

    ResponderExcluir
  150. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerando a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.
    Por ser um país integrado a economia mundial capitalista e com conexões culturais com diversos países do mundo, o Brasil está participando atividade do mundo globalizado.O Brasil possui uma economia aberta ao mercado internacional, ou seja, nosso país vende e compra produtos de diversos tipos para diversas nações o Brasil, como nos demais países subdesenvolvidos, a globalização econômica tem elevado as taxas de desemprego e ampliado a distância entre ricos e pobres. Mercosul (Mercado Comum do Sul) é um bloco econômico formado pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. A Venezuela está em processo de adesão para se tornar Estado membro; Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru são países associados ao bloco, podendo participar das reuniões, no entanto, não possuem direito de voto. O principal critério para uma nação se associar ao Mercosul é ser integrante da Associação Latino Americana de Integração (ALADI).O papel do Brasil no MERCOSUL é, portanto, cada vez mais integrador. Contudo, é incontestável sua posição de líder, em função de suas características econômicas, populacionais, geográficas etc. É importante perceber que a posição de líder aumenta a responsabilidade do Brasil na condução e na sobrevivência do MERCOSUL.
    Aliado à característica integradora, o Brasil, a partir do MERCOSUL, demarca definitivamente a América do Sul como sua área de influência político-econômica. Reforça, ainda, a posição a favor do multilateralismo para fazer frente à posição norte-americana e à tentativa de implementação da ALCA (ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO DAS AMÉRICAS).
    Brenda França 2•ano D numero: 7

    ResponderExcluir
  151. O Brasil possui uma economia aberta ao mercado internacional, ou seja, nosso país vende e compra produtos de diversos tipos para diversas nações. Fazer parte da globalização econômica apresenta vantagens e desvantagens.
    As vantagens é o acesso aos produtos internacionais, muitas vezes mais baratos ou melhores do que os fabricados no Brasil. Por outro lado, estes produtos, muitas vezes, entram no mercado brasileiro com preços muitos baixos, provocando uma competição injusta com os produtos nacionais e levando empresas à falência e gerando desemprego em nosso país. Isso vem ocorrendo atualmente com a grande quantidade de produtos chineses (brinquedos, calçados, tecidos, eletrônicos) que entram no Brasil com preços muito baixos.Outra questão importante no aspecto econômico é a integração do Brasil no mercado financeiro internacional. Investidores estrangeiros passam a investir no Brasil, principalmente através da Bolsa de Valores, trazendo capitais para o país.
    E com MERCOSUL ajuda muito o Brasil, pois aumenta as exportações,reduz preço interno por aumento da concorrência ,amplia o mercado para produtos brasileiros,tem maior força política e econômica dentro da economia mundial, mas por outro lado também há vários conflitos de interesse, e menor agilidade e dependência em decisões que necessitam de acordo entre os membros do Mercosul.

    João Vitor Oliveira dos Anjos; 2° ano A; número: 22

    ResponderExcluir